Atento ao Brasil e valorizando a democracia 

Atento ao Brasil

Atento ao Brasil e valorizando a democracia

 

Nesta quinta-feira, 6 de setembro, a redação do Cultura Alternativa viveu um dia diferenciado. Sendo uma data que antecedia a um feriado nacional, o Dia da Independência, o 7 de setembro, passamos o dia na frente da televisão acompanhando noticiários jornalísticos que se repetiam e abordavams diversos temas.

 

Jair Bolsonaro – O que vimos

O atentado a faca ao candidato a presidente da república Jair Bolsonaro, na verdade, foi um tentado à democracia brasileira.

É fundamental o debate no campo das ideias, é fundamental a discordância com base e respeito, é fundamental que possamos voltar a ser brasileiros unidos por um país e não, por um projeto pessoal.

Ninguém, segundo os noticiários diversos que assistimos ao longo do dia, foi divergente desta reflexão.

Todos, sem exceção, tanto jornalistas, quanto políticos, quanto entrevistados, solicitavam uma reflexão sobre a harmonia e a distensão que atinge diversos campos em nosso país como redes sociais, diversos diálogos familiares, entre amigos, enfim, precisamos refletir sobre esta profunda tensão.

Temos que parar e repensar, defender nossas ideias, respeitando obviamente a integridade física de cada um.

Atentados são evidentemente uma atitude medíocre e o autor desta atrocidade tem que responder judicialmente pelos seus atos. Isso é um consenso nacional segundo matérias jornalísticas diversas que acompanhamos neste dia horroroso.

 

Fernando Haddad – A entrevista

Outro fator que acompanhamos foi a entrevista de Fernando Haddad que começou tranquila, respeitosa, com perguntas pausadas, feitas pelo jornalista Fernando Gabeira, mas, logo descambou para uma série de perguntas atrapalhando as respostas do candidato a vice-presidente da República, o que confundiu um pouco o assinante consequentemente as ideias de quem estava assistindo.

Uma questão que foi destacada na entrevista foi o “nós contra eles”, ato político que vem sendo utilizado por diversos partidos de destaque nacional.

Os jornalistas contestavam se a manutenção dessa dicotomia é benéfica para o país. Agora, há que se registrar, que o jornalista no afã de conseguir sua resposta, muitas vezes, impedia o candidato de alinhavar suas respostas na íntegra.

Por sua vez, o candidato várias vezes, em vez de responder a pergunta feita pelo jornalista, desviava e dava uma resposta distante da indagação feita.

E o público vendo essa disparidade, a forma como o jornalista interrompe o candidato. E vendo a forma como o candidato não responde o jornalista, prefere, com certeza, ir dormir.

 

Redes Sociais – Os sem noção

Nas redes sociais o ímpeto, a vontade de ser lido, faz com que pessoas façam posts sem pensar, sem avaliar, sem comprovar a veracidade.

Vimos vários posts de despreparados dizendo que o atentado teria sido uma armação e estes, pelo menos, retiravam do ar o post rapidamente.

Outros diziam “quem planta a violência colhe o que planta”. Outros compartilhavam posts sem noção. Mas a grande maioria, consciente do poder da rede social, ficou sem publicar nada aguardando o desenrolar dos fatos.

É fundamental que você ao fazer um post feito numa rede social, comprove previamente e criteriosamente a veracidade do mesmo.

E quando não for uma informação, que seja uma opinião embasada e passível de defesa, e não algo jogado ao vento, apenas para provocar os desatentos e humildes.

 

Final de Noite – Carmem Lúcia

Por fim, depois deste dia intenso de repetições de de matérias jornalísticas, de entrevistas, de contradições, assistimos a uma entrevista com a Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ministra Carmen Lúcia.

Uma entrevista tranquila, onde a entrevistadora fazia perguntas competentes e a ministra respondia com conhecimento de causa. Tudo sem agressão, com respeito, e valorizando acima de tudo a informação.

Foi um dia cansativo, cheio de emoções, onde o jornalismo venceu, mas, é preciso que o país, se repense e valorize acima de tudo a harmonia. A discussão é fundamental, mas, é importante, que mostramos para nós mesmos e para o mundo que a democracia no Brasil é madura e tem credibilidade.

É fundamental que o brasileiro repense seus atos e faça do nosso país um novo país onde o debate aconteça, mas, o respeito à democracia seja o norte para tudo sob todos os aspectos.

 

Júlio Sérgio

Leitor do Cultura Alternativa

http://culturaalternativa.com.br/