Welcome to Cultura Alternativa   Click to listen highlighted text! Welcome to Cultura Alternativa
All for Joomla All for Webmasters

Badi Assad lança clipe de Entrelaçar

Badi Assad
Cantora Badi Assad divulga o segundo vídeo da trilogia gravada na cidade de Paraty
O videomaker Bruce Carosini com uma câmera na mão e Badi Assad com seu violão.
Juntos, fizeram três registros audiovisuais para faixas de Singular, o último disco da cantora, explorando diferentes olhares e experiências na cidade de Paraty, litoral sul do Rio de Janeiro.
O segundo clipe acaba de ir pro ar, trazendo a canção autoral “Entrelaçar”.  > PLAY

Entrelaçar narra um romance solar e apaixonado, o vídeo explora o envolvimento da artista com a cidade como objeto do desejo, os caminhos pelas ruas estreitas e suas construções, povoadas de cultura, histórias e belezas.

Badi Assad lança clipe de Entrelaçar

O primeiro videoclipe da série, lançado no ano passado, busca a poesia contemplativa da paisagem natural, à beira da praia, para a balada intimista “Vejo Você Aqui”, composição de Badi com Zélia Duncan.
O terceiro e último, tem previsão de lançamento para março.
“Paraty é uma cidade singular, linda, romântica, povoada de histórias.
Um amálgama de memórias que se eternizam em sua atmosfera solar. Paraty não é uma escolha difícil, muito pelo contrário, ela cai nas graças de todos que apreciam o belo”, conta Badi.
Singular é 14º álbum da cantora e violonista (lançado com o nome Hatched nos EUA e Europa), onde a artista mais uma vez faz releituras personalizadas, atribuindo roupagem brasileira à músicas do pop alternativo internacional.
O repertório é em inglês e português, traz músicas autorais e versões de Alt-J, Mumford & Sons, Hozier, Lorde e Skrillex.

Entrelaçar
(Badi Assad, 4:13)

Leva-me pelos caminhos
No sótão da sua memória
Na dispensa de seus apetites
Na ampulheta das suas horas
Leva-me nos quartos dos seus segredos
Corpos como brinquedos

Sem palavras entrelaçar
E mergulhar em mim
E se perder nas estrelas da imensidão em mim

Um beijo neste doce mar
De braços, pernas, unhas, línguas
Peças que se encaixam como máquinas
Numa engrenagem contínua
Fusíveis nos dedos
Galopes no pulsar
Ferro nas coxas, narcotizar

Existem praias tão lindas cheias de luz…

Click to listen highlighted text!