Welcome to Cultura Alternativa   Click to listen highlighted text! Welcome to Cultura Alternativa
All for Joomla All for Webmasters

Blá-blá-blá zinhos de hoje. Um dia depois de ontem.

Blá-blá-blá zinhos de hoje. Um dia depois de ontém.

Blá-blá-blá zinhos de hoje. Um dia depois de ontém.

 

  • Bom dia em WhatsApp. Blá-blá-blá. Não há coisa mais blá-blá-blá do que você ler compartilhamentos de bom dia. Meu Deus é uma verdadeira chatice e exalta a falta de criatividade.

  • Todos se elogiando em um grupo de WhatsApp. Ninguém fala do post do outro, analisando o mesmo, valorizando o mesmo, questionando o mesmo. Sinto que ler algo do outro hoje é uma perda de tempo.

  • Alguns lêem posts no Facebook, mas, todos comentam. Não consigo comentar um post que não li. Alguns são extensos, outros são apenas uma foto, mas, na minha idade, creio que colocar um like em algo que não li é um Blá-blá-blá. Esse item segue a mesma linha do item anterior.

  • Entrar no elevador sem cumprimentar ou cumprimentar e ser taxado de … fiquei pensando sobre este blá-blá-blá. Muitos cumprimentam outros não. Outros comprimentos são mal entendidos. Enfim, é um perfeito blá-blá-blá.

  • O que é correto hoje e o que não é correto hoje. Eu juro que não sei fico perdido com relação essa questão e evito discussão sobre o tema. Muitas vezes essas discussões são perfeito blá-blá-blá.

  • Dizer parabéns no grupo de WhatsApp sem colocar uma frase, algo personalizado, nada é estranho para mim. Lembrar aquela canção que dizia: êh vida de gado Povo marcado povo feliz.

  • Uma escola como pintura nova, toda azul, e os alunos saindo de dentro da sala e ficando de cara pro sol. Outro dia vi esta cena do carro que estava e me senti um perfeito blá-blá-blá.

  • Hoje eu li sobre o desemprego no Brasil. Outro dia ouvi que o empregador só empregaria alguém com experiência. Como alguém pode conseguir experiência se não conseguir emprego? Blá-blá-blá. E porque o empregador deve empregar alguém que não tem experiência? Blá-blá-blá.

  • O casamento do príncipe, a meia hora de passeio na charretes olhando seus súditos, o faminto admirando a alteza. Blá-blá-blá.

 

Anand Rao

Editor do Cultura Alternativa

Click to listen highlighted text!