Brown, nosso cachorro, nosso eterno amigo.

Brown, nosso cachorro, nosso eterno amigo.

Brown partiu, depois, de tentar retirar um câncer. Não resistiu, mas, fizemos tudo para que ele ficasse bem.

Nesse texto vou escrever sobre a relação homem e seu animal de estimação, que não é animal, é amigo, confidente, pura poesia, puro abrigo.

O Cachorro o amigo – Brown

Não posso escrever sobre a amizade do cachorro e seu dono. Eliza e Raíssa podem. Deve ser uma amizade tão íntima que despi-la é impossível. Deve ser uma amizade tão linda que não há palavras para descrevè-la. Deve ser como o amor, um sentimento que não se  descreve se vive. E Eliza e Raíssa viveram Brown como ninguém viveu. Primeiro na minha casa, depois, na da mãe.

Eu, apenas observei, e brindei meu sonho com este que foi um grande mito de verdade e amor para mim.

O Amor Humano – Vida

Brown, não foi, ficou, escreveu seu nome, sua história, perante a família Adusumilli. Recebeu amor da nossa família e deu amor para nossa família. Nos uniu, traduziu seu jeito em magia, tinha um estilo ímpar, enfim, era pura vida. Tanto que escrevo este texto com facilidade, pois, ele é da família e nunca deixará de ser. Não será esquecido jamais, nos deu vida e foi vida entre nós. Brown é uma lenda. Seu estilo parecido com o da minha filha Eliza, marcou, e ela, com ele dormiu e com ele aprendeu muito sobre a palavra amor.

O Cachorro o amigo – Eliza Adusumilli

Eliza é poeta. Eliza é diferente. Eliza é quieta. Eliza é amor. Eliza é segredo. Eliza é flor. Nem sei o que dizer de Eliza, sua vida é ímpar, tem posições fortes e as defende, enfim, Eliza nos orgulha e vamos seguir em frente sempre. Eliza é um capítulo único no livro da família Adusumilli.

O Amor Humano – Câncer

Isso me doeu muito. Chorei intensamente. O câncer me pegou duas vezes e venci. O Brown fez a cirurgia por causa do câncer e se foi. Fiquei refletindo sobre a questão.

Essa doença é noticiada diariamente. Faço clippings jornalísticos por profissão, ou seja, todos os dias leio ou sei de derrotas para a doença.

Como me machuca isso. Me dói, me fere, é como se tirassem um pedaço de mim. Mas, vou continuar a lutar contra esta doença, ajudando pessoas, e sempre, distanciando-a de mim.

Evoé Brown, ela não te pegou, tentamos vencê-la e vencemos, mas, um coagulo pós cirurgia te adormeceu. Foi duro receber a notícia da tua passagem. Foi e está sendo muito duro.

O Cachorro o amigo – Vida Eterna

Brown, lá no céu, deve estar dizendo como foi amado na terra. Deve estar dizendo como todos o queriam bem. Deve estar latindo para os pássaros ou voando com eles, deve estar de olho pela janela em quem passar na calçada, deve estar roendo os móveis quando os dentes estavam para nascer, deve estar cheiroso e galante conquistando a todas e a todos.

O Amor Humano – Poesia

Brown

Brown, filho eterno da família Adusumilli

Rio de paz e calma ao deitar no chão e observar

Ode à poesia mais eterna do amor

We love you

Nada o afastará de nós, moras aqui e estás vivo.

Anand Rao

Editor do Cultura Alternativa

www.culturaalternativa.com.br

Esse registro foi postado em Geral e marcado .