Welcome to Cultura Alternativa   Click to listen highlighted text! Welcome to Cultura Alternativa
All for Joomla All for Webmasters

Caminhos e descaminhos na França – Dijon

Caminhos e descaminhos na França

Caminhos e descaminhos na França – Dijon

Nossa leitora a Claudia Dias, viajou para a França e nos trouxe relatos e suas experiencias mais incríveis.

 

Chegada em Dijon: vimos que não tem Uber, mas tem táxi na frente da Gare (estação).

Muito importante pra quem está com mala grande e pesada. Caso não esteja, use um aplicativo para se direcionar a vá a pé. Nosso hotel ficava a 2 km, mas ficava longe para quem estava com malas grandes e pesadas!

Chegando em Dijon, na Gare Dijon Ville, deixamos as malas no hotel e, como sempre, fomos andar pela cidade. Já viemos com dicas de locais que pegamos pela internet. Adoramos Dijon. A arquitetura é linda, cheia de lojinhas com especiarias em mostardas, as famosas mostardas de Dijon, deliciosas! É uma das regiões de vinhos mais conhecidos no mundo! Os vinhos são deliciosos! Fica próxima a Paris, fácil de ir de trem, aproximadamente 1:30, então, vale muito à pena incluir no roteiro.

 

Caminhos e descaminhos na França – Place de lá Libération

 Mussée des Beaux-Arts/Palais des Ducs de Bourgogne e outros lugares

Saímos do hotel, a pé, com destino a Place de lá Libération, a 1,3 km. Nesse percurso fomos em direção ao centro histórico e nos deparando com lindas construções, casas, igrejas e monumentos. Passamos pela Place de La République, com uma bela fonte, seguimos até a Place da La Libération e ao chegar lá ficamos encantadas com um “prédio” maravilhoso, o Le Mussée des Beaux-Arts e o Palais des Ducs de Bourgogne. Depois de muitas fotos, seguimos pela rua Liberté, dentre outras ruas, com uma parada na Cathédrale Saint-Bénigne, até o Porte Guillaume, que lembra o arco do triunfo, e o Jardim Darcy, que fica bem perto da Gare (estação).

 

Caminhos e descaminhos na França – rota da coruja

Vimos pelo chão das calçadas, triângulos dourados com desenho de uma coruja, intercalados com um triangulo pintado de vermelho, de vez em quando uma placa quadrada dourada com o desenho de uma coruja! É a chamada rota da coruja, onde estão os principais pontos turísticos do centro histórico de Dijon!

Na rua Liberté, encontramos a loja Moutarde Maille, que oferece degustação de suas mostardas!

Na praça Libération tem vários bares e restaurantes, bem como em outras ruas da cidade!

 

Caminhos e descaminhos na França – hotel

Ficamos no Hotel Mercure Dijon Centre Chenonceau

Muito bom! Umas 4 estrelas com ótimo preço. Quarto grande, bem estruturado, boas camas, bom banheiro, ótimo ar condicionado. Os atendentes, recepcionistas do hotel e funcionários do restaurante, são educados e simpáticos. O restaurante é muito bom, mas o preço é um pouco puxado. Pagamos por um prato, carne e batatas, com uma taça de vinho, próximo à 50 €. Ganhamos uma entrada de cortesia, com camarões, muito gostosa. Como sempre, os restaurantes colocam pão à mesa, sem nada para acompanhar, sequer um azeite, o que não é consumido na França. Não vimos em nenhum restaurante durante toda a viagem. Há outros restaurantes pela cidade com preços melhores.

O café da manhã completo é 19€ no restaurante ou 8€ no bar do hotel, este bem simples.

 

Caminhos e descaminhos na França – Beaune

No dia seguinte fomos à Beaune, de trem. Compramos os tickets em um dos terminais de autoatendimento da estação e partimos. Chegando lá, usamos o google maps para nos levar até ao Mussée du Vin de Bourgogne e, enquanto isto, fomos conhecendo a cidade. Passamos numa igreja para conhecer e fazer nossa oração. Depois vimos que o museu fica bem ao lado! O museu tem história interessante sobre a produção de vinhos na Borgonha, tipo de uvas, solo, equipamentos e métodos antigos utilizados na colheita e produção do vinho, objetos, copos e taças utilizadas no passado para beber o vinho, etc.

Ao sair dali, caminhando pela cidade, encontramos, ao redor de uma pracinha, um bar de vinhos, com uma carta de várias páginas com grande variedade, onde tomamos 3 taças de diferentes vinhos, cada um melhor que o outro, variando de 7€ a 8,50 € a taça. Tomamos um da safra de 2014, de Beaune, muito equilibrado, muito bom. O Bar a Vins Le66 é muito legal. Foi o que mais gostamos em Beaune. Vimos algumas caves para degustação e venda de vinhos. Pela estrada, entre Dijon e Beaune, há vários vinhedos e plantação de canola, o que encanta os olhos com suas flores amarelas, o que vimos por todo percurso de nossa viagem. O Trem que pegamos para ir a Beaune tem como destino a cidade de Lyon, portanto, observe as informações do painel com destino à Lyon!

 

Caminhos e descaminhos na França – Dijon

De volta à Dijon, à tarde, fomos caminhando da estação, curtindo a cidade e as lojinhas de mostardas, compramos algumas. Curtimos um bar na Place de lá Liberátion, com um bom vinho e uma boa tábua de queijos, o que fizemos em quase todas as tardes de nossa viagem.

Gostaria de ter visitado o museu de belas artes, que geralmente são belos em qualquer cidade, mas não quis deixar minha amiga sozinha, que depois de ir ao museu do Louvre e D’orsay acha que nenhum outro vale à pena.

 

À noite fomos ver a cidade iluminada! A praça estava linda, com águas coloridas que surgiam do chão, mudando de cor pelo efeito da luz, e o Palais des Ducs de Bourgogne estava simplesmente fantástico.

Jantamos em um dos restaurantes da praça e depois curtimos muito aquele lugar e momento de despedida de Dijon!

 

No dia seguinte ainda passeamos mais um pouco pela cidade e partimos para Paris, em 01/05/18, após 22 dias de viagem pela França!

Click to listen highlighted text!