Escolha da escola, como fazer?

Escolha da escola, como fazer?

Escolha da escola, como fazer? Pesquisa revela mudança no comportamento dos pais na hora de escolher a escola dos filhos

 

O impacto da crise econômica na forma de consumo das famílias brasileiras também alterou questões educacionais

A crise econômica que atingiu o país nos últimos anos obrigou as famílias brasileiras a modificarem os hábitos de consumo.

Essa mudança de comportamento trouxe impactos também para a forma como os pais decidem uma questão bastante importante para o universo familiar: a educação dos filhos.

 

Escolha da escola, como fazer?

 

Uma pesquisa do Sistema Positivo de Ensino, realizada em 11 cidades brasileiras, mostrou as tendências de comportamento e consumo quando se trata de pagar por ensino privado para os filhos.

 

O levantamento ajuda a compreender como as famílias escolhem a escola dos filhos em momentos de crise e instabilidade econômica.

 

Os entrevistados têm filhos entre 4 e 17 anos, todos matriculados em escolas particulares.

A pesquisa investigou o perfil das famílias, quais são os principais canais de busca por uma escola, os fatores primordiais da escolha, o período do ano em que a decisão foi tomada e qual é a importância do material didático na decisão.

Os dados mostram pais mais cautelosos em relação a preços e exigentes com a qualidade de ensino.

 

“Essas informações são importantes porque ajudam as escolas a entenderem melhor o seu público e se prepararem para as mudanças.

É preciso se adaptar rapidamente às novas realidades econômicas das famílias”, explica Selleiro.

 

A principal mudança, segundo ele, é que os pais, que antes escolhiam a escola entre outubro e dezembro do ano anterior, agora estão deixando para escolher poucos dias antes do início das aulas – a maior parte deles (25%) no mês de janeiro.

O levantamento deixa claro também o papel das redes sociais no momento da escolha.

Com a facilidade de acesso às informações que as escolas oferecem em suas páginas e perfis sociais, fica mais fácil investigar sobre serviços, valores e a reputação das marcas.

O primeiro passo é buscar informações pela internet. O Facebook é a rede social mais utilizada para isso, com 59% dos pais utilizando esse canal para suas pesquisas.

“Dessa forma, o consumidor consegue comparar, trocar experiências e se até se transformar em influenciador no processo de escolha de outros pais.

É certo que tudo isso conta na tomada de decisão”, destaca Selleiro. Cientes disso, escolas investem cada vez mais em presença on-line e campanhas de mídia digital.

Com o aumento da participação feminina no mercado de trabalho e no orçamento doméstico, o poder de decisão da mãe na hora de escolher a escola dos filhos também é cada vez maior.

Em 82,5% dos casos, a mãe tem influência nessa escolha, contra 52,7% dos pais.

Por fim, entre os fatores decisivos no momento de escolha estão: ensino de qualidade, localização, mensalidade, segurança e bons professores.