All for Joomla All for Webmasters

Fluminense inova administrativamente e torcida dá show em Brasília – Por Anand Rao

Fluminense inova administrativamente e torcida dá show em Brasília

Assisti o campeonato carioca. Enquanto eu assistia sempre dizia, os times cariocas são fracos a nível técnico, portanto, vão sofrer no início do brasileirão, e é o que vem acontecendo. A receita caiu, contratações famosas não podem ser mais feitas. E as cariocas, o Rio, a diversão, tiram os jogadores do foco muitas vezes.

Administrativamente o Fluminense inova

Primeiro, o Fluminense quer ser S.A. . Seu presidente tem dito em entrevistas diversas que o clube tem que se tornar Sociedade Anônima. Tem que ser gerido como empresa e isso gera mudanças na legislação e etc. Também, junto com o Flamengo rompeu com a forma administrativa da Federação Carioca de Futebol e sofreu. Vejam que o time vencedor do torneio foi o que teve mais pênaltis a seu favor, mas, hoje não faz gol e está muito ruim no campeonato brasileiro.

Outro fator importante foi a atitude do Flamengo. Há alguns anos, implementou a filosofia de não pagar salários superiores a 200 mil. Fiz um artigo elogiando o clube. Não sei se essa filosofia se mantem, se não, é um erro, se sim, parabéns.

Lembro-me que à época alguns não concordaram e foram embora do time. O Fluminense, nesta época “Flunimed”, nome que eu usava sempre para ironizar a parceria com a Unimed, buscava jogadores conforme a vontade do representante da Unimed, Celso Barros. Depois, conforme a harmonia de vontades entre Barros e Peter Siemsen e jogadores caros vinham para o clube. E mesmo no Brasileirão que o Fluminense foi campeão o futebol não convenceu.

O Brasil vive disso, da má programação de gestão, da vitória factual, da troca de técnicos na derrota, essa filosofia que já deu certo em tempos antigos (penta campeão) mas, que não dá mais certo (7 X 1 para a Alemanha). Acho que o Fluminense está tentando inovar como fez ao longo da história com o troca-troca do Horta.

Enfim… Muitos tricolores que só pensam em vitórias (já fui um deles) , como se isto fosse o símbolo de uma boa administração, acharão que estou delirando. Mas, não estou. Clubes que pensam assim não formam uma base sólida, nem centros de treinamento, nem nada. Estou satisfeito com a mentalidade administrativa Peter Siemsen.

O Time dos jovens de xerém

É muito interessante a utilização de jovens formados no clube. Isso valoriza o Flu enquanto clube que forma profissionais. E esses jogadores para vencer tem que passar por um longo processo de experiência. Jogadores jovens vindos de outros clubes, inclusive clubes do nordeste, também somam mas, aqueles que nunca jogaram na série A têm que galgar experiência. Portanto, o Fluminense está agindo certo para o futuro. Não é no presente que as vitórias virão e sim no futuro. E a manutenção de um jogador experiente que tem feito o seu trabalho, Fred, na linha de frente, e um experiente no gol que não tem feito o seu trabalho, Cavalieri, é perfeito. Eles seriam os líderes do grupo, um tem tentado, o outro, tem falhado. A contratação do Magno Alves talvez represente uma falha, mas, deve ter seus motivos, eu não compreendi. Mas, estou satisfeito com as ações do departamento de futebol. Viva o jogador formado em nosso clube como também, jovens promessas de outros clubes.

A CBF e o preço dos ingressos

Nem cogitei ir ao jogo do Fluminense X Atlético. Além de ter sido convidado para um evento, o aniversário de um famoso blues man, não iria com o preço dos ingressos a R$ 160,00 (cento e sessenta reais) a inteira e R$ 80,00 (oitenta reais) a meia. Acho impraticável este valor e com muita tranquilidade deixarei de ir em partidas com estes valores.

A torcida do Fluminense em Brasília

Fez sua parte. Se foi em menor número foi devido ao valor dos ingressos. Tem alguns líderes que a seu modo divulgam o clube no Distrito Federal. Podemos destacar Luiz Gottschall (Bolinha da Camarote Tricolor), Cláudio (Sempre Flu), Júnior Cysne (Sempre Flu), João Venâncio (um dos primeiros a articular eventos em pról do Flu em Brasília), Filemon (Proprietário do Curso do Professor Filemon que apoia tudo em pról do Flu em Brasília) e o proprietário da Só Tricolor, Marcinho, que vive enaltecendo o Fluminense e sua história no DF, porque é o seu negócio e acima de tudo é tricolor.

Nosso Portal também prima por tentar divulgar sempre o Fluminense, e tem no colunista Zildenor Dourado um dos que mais publica artigos sobre o Flu. Enfim… A torcida do Fluminense em Brasília faz a sua parte. Obviamente anda nervosa com tantos caminhos novos a serem seguidos e resultados positivos não obtidos, mas, sempre está apoiando o clube a seu modo. Uns achando que deveríamos ser mais unidos, outros que já somos, mas, todos, todos mesmo, sempre querendo ver o Fluminense vitorioso.

Sigamos juntos que a vitória viá. Apoiando inovações administrativas, aguardando o sucesso destas inovações, ou o fracasso, o futuro a Deus pertence, mas, estas linhas de ações de mudar técnico para ganhar é ridículas. Temos que apoiar um trabalho a longo prazo que dê uma base sólida ao clube.

Sobre o técnico do Fluminense, Ricardo Drubscky, que tem a similaridade comigo de ter o nome difícil, escreveu livros sobre futebol mas, nunca teve chance de implementar suas ideias num time grande. Agora tem e tenho certeza que quer acertar, que não é um dos tradicionais nomes, que é um nome novo e por isso merece o apoio da torcida em todos os sentidos, ao longo deste ano e do outro. E o Fluminense não deve trocar o mesmo se ocorrerem derrotas, ou jogar moedas encima dele. Deve ver se diariamente ele está trabalhando estratégias e novos caminhos para a vitória no clube. Se estiver, está ótimo. Trabalhando venceremos.

Escrevi este texto depois da vitória merecida do Atlético Mineiro por 4 X 1. Nem um demérito. Os clubes mineiros representam a elite do futebol brasileiro nos últimos dois anos. Este ano estão sentindo um pouco o ônus do sucesso, tiveram que vender jogadores importantes, mas, estão mantendo alguns parâmetros que talvez os leve a um sucesso mais difícil, mas, nunca ao insucesso total. Trabalharam ao longo dos últimos anos, têm centros de treinamento de qualidade e apenas foram sufocados com o sucesso dos anos anteriores pelo capitalismo e tiveram que vender peças importantes. Mas, pela solidez do trabalho, deveram obter sucesso este ano. Vamos ver.

Anand Rao

Tricolor, Jornalista, Músico e Poeta

Editor do Portal Cultura Alternativa

Comentários abaixo: