Welcome to Cultura Alternativa   Click to listen highlighted text! Welcome to Cultura Alternativa
All for Joomla All for Webmasters

Museu de Arte Contemporânea de São Paulo

Museu de Arte ContemporâneaMuseu de Arte Contemporânea

No Museu de Arte Contemporânea entrei são e sai louco. Espetacular. Qual a função da arte? Agradar? Ser aplaudida? Não.

Creio piamente que é mexer com sua cabeça, seus sentimentos, princípios, e até, quem sabe, mudar sua vida. Eu, todas as vezes que vier a Sampa, a partir deste novembro de 2017, vou visitar o Museu de Arte Contemporânea.

E pasmem. Fui ao Museu, pois, precisava pautar visitas culturais próximas ao hotel em que estava, um hotel fuleiríssimo, e pautei, o Museu de Arte Contemporânea antes do MAM (Museu de Arte Moderna).

Não façam isso nunca, pois, o Museu de Arte Contemporânea é muito mais enlouquecedor que o MAM.

Falta-me o MASP, não me predoou por isso. Mas, leitores, aguardem sem fazer preces ou profissões de fé, pois, vou visitá-lo e escrever sobre o mesmo.

Recepção do Museu de Arte Contemporânea de São Paulo

Telefonei às 09 h 30 m, me informaram que abriria às 10 h. O senhor que me atendeu, um segurança, foi extremamente cortês na entrada e na saída. Guardam todas as mochilas, mas, bolsas menores podem entrar.

Indicam logo, vá ao oitavo andar, desfrute da vista desta megalópole, São Paulo, e depois, desça andar por andar até o terceiro. Você pode fotografar, obviamente, sem usar flash que queima a pintura, sem noção, como também, filmar, tudo sem luz, com a luz do espaço. Na entrada um gato, peludo, me mordeu e depois, tudo mais.

Assessoria de Imprensa

Extremamente cortês, prometeu-nos enviar os tradicionais releases informativos que publicaremos em outras matérias, se chegar. Como fomos pela manhã e escrevemos esta matéria à tarde, espero que cheguem. Vamos copiar e colar, mas, o texto mór está aqui. Não chegaram os e-mails e um segurança nos revelou que o Museu não é visitado, vai ver que é por isso.

 

Silêncio e Climatização

Você começa no oitavo, o som da cidade, e depois, vai do sétimo ao terceiro, tudo climatizado, com o silêncio dos seguranças, como também, do público. Isso em dias de pouca visitação. Por sinal, não vá nos dias de intensa visitação, você não mudará seus conceitos, com certeza terá que conviver com outro ser humano ao apreciar uma obra de arte e conviver com o ser humano é conviver com fotos, com flashs, gente querendo pegar na tela, e estas e outras besteiras tantas que não vale nem a pena perder tempo escrevendo sobre isto. Visite em dias de pouca visitação, dias em que todos estão trabalhando e você vai passar por experiências novas em sua vida.

Quadros, Esculturas e Coisas Quetais

No último andar, a vista de São Paulo, a loucura de fotografar, filmar e você vai ver tudo que fizemos nos links abaixo. Ficamos intensos, pegamos fogo, e depois, foi difícil apagar, descendo andar por andar. Do sétimo ao terceiro todo tipo de experiência. Fomos em Novembro de 2017 e foi simplesmente fantástico.

Os seguranças calados, a meia luz para não afetar a obra, esculturas, obras compreensíveis e não. Apenas um segurança, muito simpático, e vou utilizar aqui uma palavra que não deveria ser utilizada, que é, ele era muito legal. Este quis me explicar uma obra. Eu fiz que ouvi e não ouvi, sentei, e me curti.

O café e nada mais

No final, um almoço no Café Vista e eu já estava cego de paixão pelas obras que tinha visto. Mas, voltei a mim, me alimentei, conversei com a Agnes, me apaixonei, e ficamos pensando em como ultrapassar a insofismavelmente lotada, 23 de maio, e ao ultrapassar, filmamos e você vai ver, e vai sentir São Paulo.

E depois, dois meninos mal afeiçoados nos deixaram com medo de ser roubados, e nada aconteceu. Estamos traumatizados com o roubo no Brasil. Mas, o trauma passou e voltamos a sonhar com as artes plásticas do concreto armado que vimos de cima do viaduto.

Fotos Museu de Arte Contemporânea de São Paulo

Curta, e curta com vontade, nossa página no Facebook e depois, se desnude nas fotos, mais de uma centena ou duas: clique aqui

Filmagens

Separamos as mesmas, algumas colocamos fundo musical, noutras o som da filmagem.

 

O MAC na internet

Facebook – Museu de Arte Contemporânea

Site – Museu de Arte Contemporânea

Twitter – MAC

Instagram – MAC USP

 

Lucidez ou loucura, fiquei sem dormir depois de visitar o museu

Anand Rao

Editor do Cultura Alternativa

 

Não veja o Museu de Arte Moderna (MAM) depois do Museu de Arte Contemporânea (MAC)

Click to listen highlighted text!