Pablo Picasso obras cubistas

PICASSO

Pablo Picasso, assim como Henri Matisse e Marcel Duchamp, é considerado um dos artistas responsáveis pela revolução da arte no começo do século 19.

Demonstrando talento desde jovem, ele foi adepto do estilo realista durante a infância e adolescência.

Contudo, mudou a sua estética a partir do início da vida adulta, depois de diferentes experimentos, aderindo ao cubismo — movimento do qual é co-fundador.

Tendo em conta a trajetória artística do pintor, e a sua relevância para a história da arte, a Bula selecionou as suas obras mais relevantes.

A seleção reúne pinturas como “Guernica” (1937), uma das obras mais conhecidas do artista, “O Sonho” (1932), “Autorretrato” (1907) e “Three Musicians” (1921).

Guernica (1937)

 

O painel pintado por Picasso para a Exposição Internacional de Paris, e grande ícone do seu legado, mede 350 por 776 cm.

Ele retrata o bombardeio da cidade espanhola homônima em 1937 por aviões alemães.

As cores utilizadas, preto branco e tons de bege e azul, simbolizam o sofrimento dos espanhóis com o ataque.

A pintura está exposta no Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, em Madrid.

Les Demoiselles d’Avignon (1907)

 

“Les Demoiselles d’Avignon” é uma das obras que revolucionou a história da arte, dando base para o cubismo e a pintura abstrata.

Inspirada no bordel da rua Avignon, em Barcelona, a pintura representa cinco mulheres nuas, que se transformam em figuras geométricas, com contornos de linhas irregulares e quebradas — um grande marco da estética cubista.

Ela está disponível no Museu de Arte Moderna, em Nova York.

A Vida (1903)

 

Acredita-se que a obra retrata o amigo de Picasso, Carlos Casagemas (à esquerda), que morreu em 1901. O homem está entre três mulheres, duas delas nuas, o que empresta certo ar de sensualidade à cena.

A tonalidade azul, presente também em outras pinturas do artista, representa o período de dificuldades financeiras que Picasso viveu, assim que chegou a Paris — além do sofrimento pela morte do amigo.

O quadro está disponível no Cleveland Museum of Art, nos Estados Unidos.

Autorretrato (1907)

 

O autorretrato de Picasso é apontado como a obra que anteviu o movimento cubista.

Os traços são de espessura grossa e rápida, e o contraste com o plano de fundo dá uma noção tridimensional à figura, o que não existia até então.

As cores vivas e alegres estão de acordo com o olhar jovial e expressivo que estampa o retrato de Picasso.

A obra encontra-se na Galeria Nacional de Praga, na República Tcheca.

Banhista Sentada (1930)

 

Especula-se que a mulher retratada na imagem, sentada à beira mar, seja Marie-Thérèse Walter, a amante com quem Picasso teve uma filha em 1935.

A obra seria um tributo à nudez da jovem, representada apenas em trajes de banho, que supostamente servia de inspiração para o artista. A

pintura marca a adoção do autor a relevos de claro e escuro, e está disponível no Museu de Arte Moderna, em Nova York.

Dora Maar com Gato (1937)

 

Uma das mais conhecidas obras de Picasso, por ser uma grande representante do cubismo, “Dora Maar com Gato” representa uma das amantes mais famosas do pintor.

A pintura é considerada uma representação completa e dinâmica dos retratos feitos pelo artista durante as décadas de 1930 e 40.

Leiloada em 2006 pelo valor de 95,2 milhões de dólares, ela faz parte de um acervo particular desconhecido.

Maternidade (1901)

 

“Maternidade” é descrita como a obra mais importante do “período azul” de Picasso.

Representando uma mãe amamentando um bebê, especialistas a definem como símbolo da “força emocional da maternidade, apesar da frieza dos tons azulados empregados pelo autor”.

Ela foi vendida por 24 milhões de dólares em Nova York, no ano de 1988. A coleção particular da qual faz parte é desconhecida.

Natureza-Morta Com Crânios de Touros (1942)

 

O quadro foi pintado durante a 2ª Guerra Mundial, que comoveu profundamente Picasso. Ele representa o crânio de um boi, que parece ser dotado de uma expressão de horror e medo.

A figura em contraste com as cores fortes, em tons azulados e violetas, é considerada uma alegoria do sentimento de impotência que tomava conta do artista.

A obra está alocada no Museu Kunstsammlung, na Alemanha.

O Sonho (1932)

 

A obra é um retrato erótico da amante de Picasso Marie-Thérèse Walter, à época com 22 anos. O relacionamento dois começou quando Marie-Thérèse tinha apenas 17.

A jovem chegou a morar de frente a casa em que o pintor vivia com a esposa, Olga Koklova.

O quadro foi comprado em 2013 pelo empresário norte-americano Steven A. Cohen pela quantia recorde de 120 milhões de euros, o valor mais alto já pago por uma pintura do artista.

Three Musicians (1921)

 

“Three Musicians”, ou “Três Músicos” em português, é o nome dado a duas versões da mesma obra. A inspiração surgiu durante uma viagem de Picasso a Fontainebleau, na França.

As pinturas são consideradas a representação do estilo conhecido como “Cubismo Sintético”, marcado pelo uso de cores fortes e formas mais decorativas.

Uma tela está disponível no Museu de Arte Moderna, em Nova York, já a outra foi alocada no Museu de Arte da Filadélfia, também nos Estados Unidos.