Precisando de dicas de leitura?

machado de assis

Aqui vão 10 indicações de livros para você aumentar aquela sua lista de leituras futuras

A vida de um leitor não é nada fácil como muitos pensam.

Além de ter que fazer o que todo mundo faz de maneira corriqueira como trabalhar, estudar ou enfrentar metrô lotado, ele também tem que arrumar obrigatoriamente tempo para ler e refletir sobre o que leu.

Se ele escreve sobre o que lê, a situação se agrava mais ainda.

Sem contar que o leitor é um aficionado e quase sempre está pensando no próximo livro que irá ler, afinal, a lista de leituras futuras é imensa, jamais chegará ao fim. Longe de ditar regras, pois se sabe que o gosto literário é subjetivo e abstrato, muitos disseminam suas listas mundo afora atiçando a curiosidade da audiência, e neste artigo não vai ser diferente.

Além disso, vale mencionar, não é o objetivo aqui tecer comentários muito longos acerca dos livros indicados.

Dos 10 livros escolhidos nessa seleção, Como conversar com um fascista, da filósofa Marcia Tiburi se mostra como uma das obras mais certeiras ao trazer diversos artigos elucidando o momento de intolerância que o país vive.

Como me tornei estúpido, do francês Martin Page, embora seja uma narrativa curta, mostra-se uma leitura saborosa, além do título por si só chamar muito a atenção.

Um daqueles livros de que a gente sempre ouve falar é Fome, de Knut Hamsun, escritor norueguês ganhador do Nobel de 1920, e como toda boa literatura, um livro atemporal.

Em Junky, de Willian Burroughs, mais um clássico, típico livro para quem gosta de páginas subversivas, o autor relatou suas experiências com a heroína entre outras drogas igualmente nocivas ainda na década de 1950.

Já em O segundo diário mínimo, de Umberto Eco, é um livro que traz uma compilação de artigos do autor italiano, leitura muito pertinente para quem deseja desenvolver técnicas criativas de desconstrução textual em crônicas ou contos. Tudo com a marca registrada do gênio Eco.

Por fim, para não alongar, Fábrica de Mentiras, de Gunter Wallraff, repórter alemão, conta o dia a dia em que passou disfarçado como trabalhador braçal e ilegal turco na Alemanha da década de 1980. Obra de tirar o fôlego.

Segue a lista completa dos 10 livros:

1. Como conversar com um fascista, de Marcia Tiburi

2. O segundo diário mínimo, de Umberto Eco

3. Sonhando a guerra, de Gore Vidal

4. Foi-se o martelo, de Bem Lewis

5. Minha razão de viver, de Samuel Weiner

6. Como me tornei estúpido, de Martin Page

7. Junky, de Willian Borroughs

8. Fome, de Knut Hamsun

9. Emboscada no Forte Bragg, de Tom Wolf

10. Fábrica de mentiras, de Gunter Wallraff

Fonte homoliteratus