Welcome to Cultura Alternativa   Click to listen highlighted text! Welcome to Cultura Alternativa
All for Joomla All for Webmasters

Sinusite e Solidão. Um dia de cão.

Sinusite e SolidãoSinusite e Solidão

Sinusite e Solidão. Um dia de cão.

Sinusite e Solidão. Um dia de cão. Hoje foi um dia diferente, além de ser sexta-feira, foi um dia que fui do encanto à tristeza, mas, a tristeza não me contamina. Comecei o dia querendo produzir muito, ao longo do dia soube que a redação do Cultura Alternativa estava com falta d’água total, não contive minha chateação, pois, pós cirurgia de vesícula vou muito ao banheiro e minha vida é feita de aromas, energias, tenho uma fonte no meu escritório e a falta d’água realmente me chateou e estressou.

 

Sinusite e Solidão – O Stress

O stress gerou, creio, a Sinusite. Um trânsito infernal, minha esposa falando sobre situações que não compreendo, a notícia de que não tinha água no cultura e como sanar essa falta. Tudo gerou o stress que gerou a sinusite. A sinusite é um mal estar que parece que algo quer sair da sua cara. Te pressiona. É incrivelmente ruim. Foi duro e a produção caiu a zero.

 

Sinusite e Solidão – Sauna

Fui a uma sauna acreditando que poderia melhorar. Que nada, voltei pior, mas, antes passei como faço sempre na igreja durante cinco minutos, fiz minhas orações e isso me aliviou um pouco. Cheguei e fui jogar água nos vasos, a sinusite piorou. Depois, fui tentar comer algo, tudo estava há vários dias pronto.

 

Depois, que comecei a escrever sobre restaurantes no Cultura Alternativa, há cerca de seis anos, não consigo comer uma comida sem textura, sabor, magia.

 

Misturei uma carne moída com quiabo, um bife ao molho, quinua e limão. Me safei fazendo o famosos mexido. Não quis incomodar a Agnes, editora do portal e esposa, pois, não estava bem e ela não é boa para conversar sobre solidão, filosofia, ímã, coisas que não sejam orçamento ou coisas diretas e objetivas. Acha tudo isso uma perda de tempo.

 

Sinusite e Solidão – O Templo

O templo é o Espaço Cultural Bhaskara Rao. Fiquei lá no escuro, tentando meditar e a sinusite agindo. Depois, fiz o mexido, fui assistir o Em Pauta, Agnes achou uma receita de um remédio para sinusite, o Avamy, passei o mesmo, mas, antes, a sinusite já havia começado a melhorar, e depois, quase passou.

 

Sinusite e Solidão – Filosofia

Hoje gostaria de ter tido a oportunidade de conversar com alguém que curtisse filosofia, poesia, magia. Foi ai que lembrei que tenho nas mãos o poder da escrita. Fui até o quarto, disse para a Agnes que a água estava turva no retorno da falta, e ela disse que a do quarto não estava. Ela é boa nisso, quando você diz algo ela retruca, pois, é verdadeira e objetiva, mas, não faz por mal, foi criada assim.

 

Ai vim para o escritório e conversando com este papel em branco no meu evernote como a escrever este texto que fala do meu íntimo, que quero esculpir para você leitor amigo, pois, a escrita mora na minha alma.

 

Muitos não sabem se dizer, e muitos têm o dom. Amo a Agnes, mas, as vezes a objetividade dela, a falta de poesia, me deixa escritor e jornalista, e é isto que estou fazendo, escrevendo, me abrindo, me dizendo, como poucos fazem no mundo atual.

 

Deleite-se com minha verdade e nos comentários diga a sua se for capaz. Queria apenas me abrir e dizer que neste momento estou em paz com a sinusite, mas, ao ir dormir vou ter que enfrentar um ventilador e ar condicionado e com certeza, talvez, a sinusite vá piorar, mas, eu vou respeitar minha companheira que sente muito calor.

 

Quem sabe vou dormir no quarto de hospedes. Agradecendo a Deus por poder escrever e dizer, preciso de você, pessoa invisível para conversar sobre filosofia, poesia, me escutar, escutar minhas angústias, alegria, e se dizer. Um diálogo raro e lindo norteado de conhecimentos e sensibilidade.

 

Depois, você vive sua vida e eu a minha. Sou apaixonado pela Agnes e com ela vou continuar, pois, ela tem inúmeras qualidades, cuida de mim e eu dela, enfim, são muitas, mas, conversar sobre filosofia, poesia, interior, é coisa de ….

 

Nem sei como ela definiria. A partir de agora vou me publicar se não vou terminar muito só. Quando você conversa com alguém que ama e sente que este alguém não dá valor ao que você fala é ruim.

 

Eu também peco, não valorizo quando ela fala daquilo que a faz feliz, erro meu. Vou tentar me consertar, pois, casamento não é ficar no celular, ou no relógio adquirido para marcar sua pulsação, casamento é compartilhar e eu vou me consertar.

 

Lembro que o amigo Fábio Barros quando estava vivo, vinha aqui e conversávamos a mil. Hoje ela está morto, morreu cedo, mas, foi um grande amigo enquanto esteve vivo. Fábio Barros, neste momento, nesta frase, sei que estás comigo e estamos a conversar sobre filosofia, só que eu não consigo te ouvir.

 

Você que leu um pouco da minha vida, escreva um pouco da sua para mim e envie via e-mail para anandrao@culturaalternativa.com.br ou pelo Whatsapp 61 982027100.

 

Vamos em frente que amanhã é outro dia.

 

Anand Rao

Editor do Cultura Alternativa

http://www.culturaalternativa.com.br/

Click to listen highlighted text!