Portuguese English Spanish
Sexta, 11 Agosto 2017 09:14

Destinos para os apreciadores do vinho

A produção de vinhos é uma arte milenar.

E não é à toa que, com tantos bons exemplos da bebida ao redor do mundo, o enoturismo já seja um nicho mais do que consolidado da indústria de viagens.

Contudo, mesmo depois de tanto tempo, o vinho continua gerando novos apreciadores, e nunca é demais lembrar alguns belos lugares que podem ser visitados para quem quer ver de perto a produção das uvas e da bebida.

Conheça 11 desses destinos perfeitos para os amantes do vinho, e se prepare para saborear o melhor da bebida:

 

HUNTER VALLEY (AUSTRÁLIA)

Hunter Valley é a área de vinícolas mais próxima de Sidney, ainda que fique a uma boa distância, demandando uma viagem de cerca de duas horas de carro, formando um destino a parte na Austrália.

Vinícolas como McGuigan, Stonehurst e McWilliams são algumas das maiores da região, especializadas na uva shiraz, que se adapta facilmente ao clima quente e seco da região. Se prepare, pois, no verão, as temperaturas ali superam os 40 graus.

 

NAPA VALLEY (ESTADOS UNIDOS)

Quem disse que não saem bons vinhos dos Estados Unidos? Nessa região da Califórnia, é fácil constatar que sim, há uma boa variedade da bebida produzida pelos ianques. São mais de 400 vinícolas em Napa Valley, incluindo nomes como Inglenook, Mondavi e Domaine Chandon.

Ali, não só os vinhos se destacam, mas também a produção de espumantes. A região também é indicada para quem é iniciante no aprendizado sobre as bebidas, já que não traz nenhuma pretensão e oferece passeios informativos e bem organizados.

 

ALENTEJO (PORTUGAL)

Mais de 200 vinícolas estão na região responsável pela produção de vinhos de maior crescimento em Portugal. Já houve três diferentes rotas dos vinhos no Alentejo, mas hoje elas estão unidas em um grande roteiro, que leva os viajantes por um longo percurso cheio de degustações.

A época mais indicada para a viagem é novembro, quando ocorre a Festa da Vinha e do Vinho, em Borba.

 

CIDADE DO CABO (ÁFRICA DO SUL)

Desde o século 17 a produção de vinhos iniciou nessa região sul-africana com forte influência de imigrantes franceses. Inicialmente, a bebida era usada para tratar a deficiência de vitamina C nos viajantes que passavam pelo país após longos percursos de barco. Hoje, as vinícolas da Cidade do Cabo possuem uma identidade própria com suas uvas pinotage, uma variedade que foi criada no próprio país no início do século passado.

 

ALSÁCIA (FRANÇA)

Palco de disputas políticas ao longo da história, a região francesa da Alsácia, próxima á fronteira com a Alemanha, também desenvolveu uma forte cultura em torno do vinho. Há uma consolidada rota turística para conhecer mais da bebida, principalmente com uvas riesling.

Aproveite a beleza da região para conhecer os milenares castelos que a habitam. A rota pode ser combinada com viagens a Alemanha, Suíça e Itália.

 

SANTORINI (GRÉCIA)

Naturalmente as ilhas gregas já são o sonho de consumo turístico de muita gente. Isso porque a maioria delas nem sabe que Santorini, uma das mais belas áreas do arquipélago grego, também guarda um vinho de primeira qualidade. São nove variedades de uva utilizadas na região, com destaque para a assyrtiko.

Há um museu do vinho na ilha para conhecer mais sobre a cultura de vinícolas da região. Conheça e veja como as videiras da região assumem uma forma nova, para proteger dentro de si as uvas, que assim não são afetadas pelos fortes ventos em Santorini.

 

MAIPO (CHILE)

Brasileiros sabem bem que os vinhos chilenos são valiosos. E foi em Maipo, a cerca de 50 quilômetros de Santiago, que essa história começou, gerando alguns dos mais saborosos cabernet, carmenere e pinot noir. Ali está a gigante internacional do setor Concha y Toro (na foto).

 

OKANAGAN (CANADÁ)

O clima frio que predomina no Canadá não impediu que o país também desenvolvesse uma boa região para produzir vinhos. Em Okanagan, Colúmbia Britânica, esse mercado teve rápida ascensão nas últimas décadas, quando as vinícolas passaram de poucas dezenas para mais de 250.

Ainda que pareça difícil imaginar,. Uma boa variedade de uvas vingou na região. Ali se encontram bons merlot, pinot noir e cabernet entre os tintos, além de chardonnay e riesling brancos.

 

TOSCANA (ITÁLIA)

Essa não podia faltar, certo? É histórica a tradição em vinhos da toscana, assim como as belas paisagens que disponibiliza. E, nas últimas décadas, cresceu o costume de produção orgânica das uvas chianti, o que tornou as bebidas ainda mais saborosas.

O que poderia ficar apenas como uma lembrança do passado reverteu-se em força no presente da Toscana. A histórica região teve suas vendas de vinhos aumentadas em 25% nos últimos cinco anos.

 

BENTO GONÇALVES (BRASIL)

Nós também temos nossa própria região especialista na bebida. Nessa região gaúcha, cuja produção foi iniciada por imigrantes italianos, os merlot são as especialidade, complementando o paladar com as carnes do Rio Grande do Sul.

O tradicional passeio de maria fumaça é uma das boas opções para conhecer a cultura da região. Dura cerca de uma hora e meia e passa, além de Bento Gonçalves, por Carlos Barbosa e Garibaldi.

 

MENDOZA (ARGENTINA)

A América do Sul tem mesmo uma boa concorrência em vinhos. Além de Chile e Brasil, a Argentina tem em Mendoza seu grande trunfo. Os vinhos tintos dominam a produção, com o malbec de Mendoza ganhando fama internacional. Aqui, vale considerar passear até mesmo de bicicleta, já que o terreno é plano na maior parte de sua extensão. É uma boa alternativa aos passeios em grupo, que costumam ter demanda altíssima e exigem grande antecedência na reserva.

 

 Fonte panrotas

 

 

 

 

Deixe um comentário

Receba nossas atualizações e notícas

Todos os direitos reservados Portal Cultura Alternativa. Site por Alvetti.com