‘A Fantástica Fábrica de Chocolate’ ganha musical em São Paulo

A Fantástica Fábrica de Chocolate. - Cultura Alternativa

‘A Fantástica Fábrica de Chocolate’ ganha musical em São Paulo

Inspirado no livro de Roald Dahl (1964), o musical conta a história de Charlie Bucket, garoto pobre que encontra um dos cobiçados bilhetes dourados, passaporte para visitar a fábrica do chocolateiro Willy Wonka

O choque foi grande: o elenco de 38 atores estava com as cenas preparadas, os efeitos especiais (principalmente o mais aguardado, o voo do elevador de vidro) devidamente ensaiados, vários ingressos foram vendidos antecipadamente, mas a estreia de Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate, o Musical não aconteceu na data prevista, em março do ano passado – o acirramento da pandemia da covid levou ao fechamento de todas as atividades culturais.

“Foi um baque profundo, mas o período isolado nos permitiu entender ainda mais o espetáculo”, comenta a atriz Sara Sarres, uma das estrelas do musical, que estreia no dia 17 de setembro e em casa nova: o Teatro Renault

A compreensão é, de fato, essencial em um espetáculo que, apesar da aparência infantojuvenil, traz muitas lições nas entrelinhas.

A Fantástica Fábrica de Chocolate.

Inspirado no livro de Roald Dahl publicado em 1964, o musical (produzido pelo Instituto Artium de Cultura) conta a história de Charlie Bucket, garoto pobre que encontra um dos cobiçados bilhetes dourados, passaporte para visitar a misteriosa fábrica do chocolateiro Willy Wonka, um homem há anos isolado em seus pensamentos e fantasias.

Sua intenção, ao liberar o passeio pela fábrica, é encontrar uma criança desprovida de defeitos e ambições e que será eleita seu sucessor.

Mas no grupo do qual Charlie faz parte encontram-se meninos e meninas egoístas, gulosos, invejosos e desobedientes que, por isso, terminam punidos e desclassificados. Nenhum deles tem os atributos que Willy Wonka enxerga em si mesmo, quando ele próprio era uma criança.

“São valores universais que, nos dias de hoje, ganham ainda mais relevância”, acredita o ator Cleto Baccic, que interpreta Wonka.

“O espetáculo nos coloca diante de nossos limites e mostra que, apesar da mudança de conceitos, a responsabilidade pelos atos continua imprescindível.”

“O texto mostra a consciência necessária que cada uma precisa ter com seus atos”, continua Rodrigo Miallaret, intérprete de Joe, o avô que acompanha Charlie na visita à fábrica.

“Quando alguém quebra as regras, precisa saber que haverá consequências.”

Serviço

CHARLIE E A FANTÁSTICA FÁBRICA DE CHOCOLATE, O MUSICAL

TEATRO RENAULT. AV. BRIGADEIRO LUÍS ANTÔNIO, 411. 6ª, 20H30. SÁB., 15H30 E 20H30. DOM., 14H30 E 19H30.

R$ 50 / R$ 310. ESTREIA 17/9.

OBRIGATÓRIO APRESENTAR CARTEIRA DE VACINA