Aeroporto e Voo lotados no fim da pandemia

Aeroporto e Voo lotados no fim da pandemia

Aeroporto e Voo lotados no fim da pandemia.

Aeroporto de Fortaleza, Brasília e Voo Latam.

Na ida a Fortaleza, o horário do voo era 5h da manhã, tudo vazio, voo tranquilo, aeroporto par da paz.

Volta de Fortaleza, horário do voo, 15h30m, voo e aeroporto lotados, mas, a paz reinou.

Despacho

Na vinda, nossa categoria, dava direito a despachar com um funcionário latam.

Fizemos todo o despacho, self despacho, na ida com toda a tranquilidade no aeroporto de Brasília.

Na volta fomos ao guichê, o atendimento ímpar da funcionária Latam nos encantou.

Despachou com tranquilidade e competência. Ficamos impressionados.

O que nos causou espécie, também, foi a quantidade de pessoas que necessitava de ajuda para realizar o Self Check-In no aeroporto de Fortaleza.

Acreditamos que a Latam em algumas regiões onde o público necessita de tamanha ajuda, deveria ter mais funcionários.

Vimos poucos atendentes para realizar o self para os passageiros presentes.

Guaraná Zero

Em Fortaleza, nossa diabete foi desprezada.

Não bebemos Coca Zero e a Coca manda na cidade.

Só encontramos Guaraná Zero, Diet ou sem açúcar no aeroporto.

Estranho essa falta de valorização a este produto nacional, tipo exportação.

É bem verdade que desta vez não fomos a restaurantes de destaque, fomos para realizar o programa “Cultura Alternativa do Virtual ao Real” e não priorizamos a gastronomia.

De uma próxima vez, analisaremos melhor esta questão, e publicaremos matérias.

Aeroporto e Voo lotados no fim da pandemia

Praça da Alimentação

Quanto à alimentação não vimos nenhum restaurante luxuoso, nem antes, nem depois do embarque.

Vimos comidas tradicionais de shopping, uma loja diferenciada do produto Nescafé, o velho e tradicional McDonald`s, o restaurante a quilo do chamado Aviador, enfim, poucas opções. E depois, o velho e tradicional Delta, a Casa do Pão de Queijo entre outros que existem nos vários aeroportos do Brasil.

As mesas e cadeiras tinham um distanciamento maior pós-embarque.

O Embarque

No embarque o tradicional apelo pelo despacho de bagagem de mão, gratuitamente, nos comoveu.

Foram dez pedidos ou mais.

Nós éramos grupo 1 e fomos informados que poderíamos levar sem problemas nossa bagagem no avião.

E por fim, gritos para organizar a fila pelo serviço de terra latam.

Dentro do avião

O competente chefe de comissariado, Rafael, deu conta de um embarque lotado com pessoas de níveis culturais variados.

Era uma sexta-feira, antes do feriado do dia 12 de outubro, e ele com um bom humor e competência inigualáveis fez um embarque de dar inveja.

Eu o questionei, por estar na Premium Economy, se os bagageiros acima das nossas cadeiras eram nossos, pois, havia lido isso nas normas desta categoria.

E este revelou que não. Que há uma cláusula que diz que se o voo estiver lotado, todos os bagageiros podem ser usados.

Neste momento me senti meio lesado.

Dois jovens que chegaram depois e estavam na 2 D e F, área destinada a esta categoria, tiveram que deixar suas bagagens no maleiro no meio do avião.

Elogiei um deles quanto à sua educação.

O voo era o LA 3700 da Latam do 08 de outubro de Fortaleza para Brasília com saída às 15h35.

Rafael deu conta do recado, parabéns a Latam por ter nos seus quadros um funcionário como este, que merece ser chefe, sabe lidar com o público e valoriza a empresa.

Serviço de bordo, não há, e os menores de 12 e maiores de 60 anos podem se alimentar de lanches se tiverem levado.

Aeroporto e Voo lotados no fim da pandemia

O Pouso

O pouso foi épico para um período pós coronavírus.

Paramos longe do Aeroporto e quatro ônibus levaram 200 pessoas.

Média de 50 em cada um.

Descemos e subimos escada, pois, o ônibus nos deixou no finger.

A saída da bagagem foi rápida.

O Aeroporto de Brasília

Lotado no período pré feriado, mas, organizado.

Tem placas indicando como deve ser pedido o Uber que deve ser pego no sub-solo segundo explicação do Victor que nos conduziu até em casa.

Fim deste momento ímpar no nosso ano de 2021.

Anand Rao

Editor do Cultura Alternativa