Reflections de Anoushka Shankar traz o Professor Rao para o Cultura Alternativa

Anoushka Shankar. Reflections

Anoushka Shankar e Norah Jones juntas e a cítara mundo afora

Toda vez que escrevo sobre música indiana lembro do meu pai sentado na sala ou dedilhando meu violão sem saber tocar, no escuro, numa apartamento que nós tínhamos comprado e a luz não tinha sido ligada.

Momentos mágicos e infinitos que não voltaram nunca mais, mas, que não se perderam no tempo e sempre serão lembrados até o fim da minha vida.

Anoushka Shankar – Reflections

Reflections é uma retrospectiva pessoal que inclui as faixas favoritas de Anoushka,

com hits de antigos álbuns de sucessos como Land of Gold, Traces of You, Rise,

entre outros, e apresentando em uma nova seleção sob medida com curadoria da

própria Anoushka Shankar.

“Como você pode imaginar, eu juntei algumas versões”, diz Shankar, seis vezes indicada ao Grammy. “Normalmente, eu só vejo um álbum em particular quando estou fazendo. Eu nunca me sentei e olhei a jornada através de todos os meus álbuns para ver se eu poderia fazer uma seleção. Foi difícil porque, obviamente, você poderia trazer histórias e estados de espírito muito diferentes. ”

Foi uma seleção que incorporou uma composição suave e meditativa, depois, otimista e energética. “Finalmente, tentei encontrar o equilíbrio certo”, diz ela.

Esse equilíbrio exigiu que ela prestasse atenção aos vários aspectos de sua carreira: a  música clássica indiana ensinada a ela por seu pai, o renomado músico e compositor Ravi Shankar; experimentos transculturais, incluindo viagens em música eletrônica e flamenco; e colaborações com vocalistas, incluindo sua meia-irmã Norah Jones.

Música Indiana – Spotify

Ouça reflections.

Anoushka Shankar – Faixas e Viagens

1.The Sun Won’t Set – Tempo 3:35

Ouvir Anoushka e Norah juntas é uma prova de que a música vence tudo, momentos de discordância e concordância, como também, de distância, separação e união. Música é tudo.

2.Buleria con Ricardo 6:03

Espanha para que te quero com castanholas, solos e tudo que o gênero permite.

3.Remain The Sea 4:11

Uma viagem. Além dos timbres e tons indianos, uma voz única recitando um poema que te eleva e te deixa boquiaberto.

4.Lasya 4:39

Solos com tablas. Sinto o olhar de uma dançarina indiana me olhando, fitando minha alma, através dos seus cílios.

E sua dança me encanta, me sensibiliza, me incomoda e me apaixona.

5.Land Of Gold 4:40

Um canto suave espanta todas as dores da minha alma e viajo.

6.Guru: Raga Jogeshwari – Jod, Jhala 3:57

Uma raga, lembro de Ravi, uma raga, lembro de sentir, sentir-me, entrar na cítara e não mais sair.

7.Si no puedo verla 5:15

Espanha, verdades, prazeres, sensualidade e tudo que a música espanhola me dá direito. Não sou infeliz, sou luz.

8.Voice Of The Moon 8:55
E de repente a lua fala e não se cala e viaja em diversos ritmos.

9.Flight 3:38

Viajei pelos campos e plantações da Índia com meu pai me ensinando o belo do seu país. É a composição mais linda do disco.

10.Burn 4:41

Do início ao fim ardo em …

11.Reunion 4:59

As harmonias são lindas, descritas poeticamente em solos.

12.Pancham Se Gara 4:00

Pai e Filha unidos eternamente pela música.

13.Traces Of You 3:46

Norah de volta, e sua irmão envolta, as duas em viagem musical traduzidas pelo rompimento de distâncias e ensinamentos. 

A música deixa todos e tudo unidos.

14.Beloved 7:05

Lindo canto indiano, suportado por arranjos, timbres e tons da música eletrônica.

15.Say Your Prayers4:49

E no fim, resta-me seguir escrevendo sobre música, depois, de contemplar um disco ímpar que traduz 20 anos de carreira desta, que é uma das filhas, do mestre Ravi Shankar.

Total Playing Time 1:14:13

Música Indiana – Anoushka Shankar

Shankar começou a tocar cítara aos 7 anos. 

Fez sua estréia em estúdio aos 13 anos e aos 15 anos apareceu no álbum “Chants of India” do seu pai produzido por George Harrison. 

Seu álbum de estréia traz no título seu nome, “Anoushka”, 1998, quando ela tinha 17 anos.

Ser filha de Ravi Shankar, certamente, abriu as portas para ela, mas, seu talento e determinação foram fundamentais.

Diz ela “Meu pai foi um pioneiro e líder nas coisas que ele fez e do jeito que ele fez. Se eu seguisse exatamente seu jeito não encontraria nada de novo para dizer. E eu tenho muito a dizer.”

Ela se lembra de uma entrevista que George Harrison deu em que ele falou sobre ser um estudante de Ravi Shankar, seu professor e pai, e sobre como rigoroso e exigente professor ele era. E então ele mencionou Anoushka.

“Ele disse: ‘Sim, eu realmente sinto muito por ela porque ela não pode escapar dele!'” Diz ela com uma breve risada.

Curta Reflections  e escreva abaixo seus comentários.

Anand Rao

Editor do Cultura Alternativa