Ansiedade está presente em 8 a cada 10 brasileiros durante a pandemia

ANSIEDADE

Ansiedade está presente em 8 a cada 10 brasileiros durante a pandemia


Pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde nos meses de abril e maio de 2020 traz dados alarmantes.


Tempo de leitura: 3 minutes

Fitoterápicos são uma alternativa para controlar sintomas sem causar dependência

O Ministério da Saúde realizou uma pesquisa com 17.491 brasileiros com idade média de 38,3 anos, variando entre 18 e 92 anos, durante os meses de abril e maio de 2020, quando as mortes pelo novo coronavírus aumentaram.

O levantamento revelou que 8 entre 10 brasileiros estavam sofrendo de algum transtorno de ansiedade.

Frente ao cenário atípico, o sentimento de medo, a insônia e a ansiedade tornaram-se um relato comum.

Em conjunto, os sintomas têm contribuído para aumento de um dado já alarmante em território nacional: o número de brasileiros acometidos por insônia e ansiedade.

Prejuízo profissional, seja pela perda do trabalho ou redução da carga horária, e o isolamento social são dois grandes fatores que geram o estresse pós-traumático, um dos desmembramentos da ansiedade.

Segundo a pesquisa, havia a suspeita de acometimento do problema em mais de 1/3 dos participantes da pesquisa.

Em agosto e setembro de 2020, foi conduzida uma segunda etapa dessa mesma pesquisa, com os mesmos participantes, também pelo Ministério da Saúde. O número de pessoas ansiosas seguia alto, mas apresentava uma leve queda: passou de 86% para 74%.

Ainda assim, de acordo com a OMS, o Brasil segue como país mais ansioso do mundo desde 2017.

Ansiedade – Pesquisa

Neste ano, são 18,6 milhões de brasileiros apresentam algum tipo de transtorno de ansiedade – o que corresponde a 9,3% dos brasileiros diagnosticados com algum tipo de transtorno ligado à ansiedade.

Outra constatação: aumentou, dentre os participantes da pesquisa, o consumo de ansiolíticos e antidepressivos:  15,79% de antidepressivos e 22,66% de ansiolíticos.

Entre os transtornos mentais, a ansiedade é a terceira principal causa de afastamento do trabalho no Brasil, de acordo com o INSS.

Mas há uma luz no fim do túnel. Com a qualidade de vida diretamente comprometida, há quem busque suporte para abrandar os quadros de ansiedade e prolongar o período de sono, fazendo uso de fitoterápicos

O momento em que vivemos ainda é sensível e delicado. E é claro que casos mais graves de ansiedade e insônia o requerem a avaliação de um médico especialista ou profissional da saúde para darem um encaminhamento.

No entanto, é possível sair dessa fase complexa, evitando picos de ansiedade e insônia com o uso dos bons e tradicionais fitoterápicos para equilibrar a saúde física e mental.

Ansiedade – Como controlar?

1-    Tire um tempo para você mesmo. É muito importante reservar um espaço na agenda corrida do dia-a-dia para fazer algo que dê prazer, como praticar algum esporte, fazer atividades culturais ou até mesmo uma massagem.

2-    Procure não dar tanta importância aos problemas. Tente resolver as coisas de forma mais serena, as vezes o nervosismo e a irritação deixam o problema muito maior do que ele é de verdade.

3-    Organize-se e não deixe nada pendente. Às vezes assumir mais responsabilidades e tarefas do que consegue fazer, pode desencadear um processo de estresse que certamente levará a uma crise ansiosa.

4-    Seja otimista. Ver sempre o lado bom das coisas sempre ajuda o indivíduo a viver melhor e mais feliz.

5-    Seja menos perfeccionista. O excesso de preocupação com as coisas tende a prejudicar as relações pessoais e profissionais. Aceitar que nem tudo sai como planejamos é uma boa forma de se lidar com as adversidades da vida.

A profissional alerta ainda, que em casos mais graves é preciso ajuda profissional.

“Quando a ansiedade é uma patologia crônica, a pessoa deve ter acompanhamento e tratamento adequado, muitas vezes com medicação e terapias; é preciso estar atento aos sintomas para não deixar que esse mal evolua para algo mais sério e nesses casos ajuda médica e psicológica é fundamental”, destaca Lia.