Ao aposentar você é o chefe. Você sabe chefiar ou só ser chefiado?

Você é o chefe, sabe chefiar ou é chefiado, ao aposentar

Ao aposentar você é o chefe. Você sabe chefiar ou ser chefiado? A felicidade reina, estou aposentado e chefiando.

Nunca pensei que fosse tão incrível este momento da vida.

E o mais incrível é ter tido três doenças gravíssimas, ter vencido as três, orar diariamente para ter saúde e muita convicção do que quero da vida.

Chefiar

Chefiar a si.

Fui chefe uma vez enquanto estive na ativa, hoje sou chefe tempo integral.

Editando o Cultura Alternativa e sendo produtor da minha arte, poesia e música, trabalho geralmente várias horas por dia amando, é mágico.

E ao chefiar a mim, tenho altas discussões comigo sobre qual caminho seguir e isto é intenso, mas, nunca tenso.

Genial a vida após a aposentadoria do trabalho que foi minha remuneração mensal durante 37 anos.

Chefiado

Aquele que não se preparou para se aposentar e foi sempre chefiado, geralmente, entra em colapso e se torna, para a família, o “já que”.

Ou seja, “já que” você aposentou você vai fazer isso e aquilo, dizem os familiares que residem com este que aposentou.

É preciso, que antes de se aposentar, você trace caminhos para si.

E veja, ao longo da vida, você se dedica à família, ao trabalho e pouco a si. 

Na hora que se aposenta chegou este momento.

Realizar sonhos

Esta é a parte mágica da aposentadoria, a realização dos sonhos.

É divino você realizar seus sonhos.

Seja no âmbito do relacionamento pessoal ou profissional, este é o momento.

Obviamente que aqueles que realizaram isto na ativa, só vão corroborar e continuar esta realização.

Mas, os que não realizaram, têm na aposentadoria, se tiverem saúde, o momento ideal para tal.

Seu tempo é seu

Imagine o quão é belo você ser dono do seu tempo quando tem muitos sonhos a se realizar.

Além de belo é terno.

E a ternura é um sentimento único.

Escrevo este texto num momento em que estou hospedado em Nova York, num hotel chamado RIU Plaza, que fica entre a 46 e a 08 avenida.

Todos, geralmente, todos não expressam na rua a ternura em Manhattan.

Quando expressam sua arte, pedem logo dinheiro, ou seja, aqui arte e capitalismo estão unidos até o dedo mindinho do pé.

Ternura, aqui, é expressada em ambientes fechados e creio que eu estou expressando para todos sempre.

Me sinto bobo na rua, terno, e absolutamente, feliz e como é bom isto, isto é divino.

Notícias políticas, culturais, nada influencia na minha ternura atualmente, que creio, é eterna.

Pois, a ternura, depois da aposentaria, é um sentimento que encanta diariamente a mim e a todos.

E digo e reafirmo, além de terno, estou infinitamente feliz.

Cultura Alternativa

Ah…. Portal de Notícias único.

Minha ternura está em te fazer o portal e amar a editora que é Agnes Adusumilli, esposa, amiga, jornalista e mulher.

Junto comigo, temos vivenciado momentos únicos de redação, escrita e emoção.

Somos número 01 no Google frente a mais de 200 milhões de resultados.

Somos alma viva da informação e posicionamento.

Queremos divulgar o novo, sem esquecer da notícia difundida por todos, mas, neste caso, buscamos uma outra visão que não seja a comum, buscamos a esquina da palavra.

Acesse-nos, coloque no seu favoritos, receba nossas notícias on line, e seja mais um a nos seguir.

Música e Poesia

Finalmente, depois, de 37 anos onde não pude valorizar a minha arte, poesia e música, por inteiro, agora posso.

Posso cantar, compor, a qualquer hora do dia.

Posso escrever poemas, olhando uma flor ou a dor ou uma cor ou o sempre divino amor, por horas.

Posso enfim, trabalhar minha arte infinitamente.

Viva a vida, e acima de tudo, neste texto, viva os novos rumos da vida com a aposentadoria da remuneração tradicional e a busca por uma remuneração criativa, única e genial.

Creio que é o segundo texto que escrevo sobre o mesmo tema e espero escrever muitos mais, talvez a cada dia, um novo, pois, escrever sobre a felicidade, a ternura, o amor, a paixão, a cor, a solução é bom demais.

Anand Rao

Editor do Cultura Alternativa