Ao meu Amigo, o poeta, Alceu Britto Correa

Alceu Britto Correa

Alceu Britto Correa, poeta, saudades de você

Partiu e mora no coração da arte e cultura de Brasília, do Brasil

Alceu Britto Correa, era meu amigo.

Eu gostava dele e ele de mim.

Quando nos víamos, nós poetávamos, brincávamos, enfim, era uma delícia.

Infarto

Outro dia recebi a notícia do seu falecimento e fiquei sem chão.

Lembro que fiquei recordando os momentos que tive com ele, graças a Deus, um vou poder exibir nesta matéria.

Fiquei calado, olhando o horizonte, sem pensar.

Lembrava só do seu brilho, seu jeito, o amigo.

Poesia e Som

Eu musiquei alguns poemas de Alceu, mas, não sei onde estão as composições.

Uma pena que eu seja assim desorganizado.

Toda vez que nos encontrávamos ele relembrava nossas composições, em especial uma delas que sinceramente se perdeu no tempo.

Uma pena que eu seja assim.

Saraus

Participei de vários Saraus com ele, muitos mesmos.

Ele sempre alegrava a todos, respeitava a todos e tinha uma admiração infinita por Leila Miccolis, uma grande admiração.

Creio que conseguiu um prefácio do crítico literário, Maurício Mello Júnior. E lá nave vá.

Cachacinha

Ele gostava de uma cachaça, mas, só bebia boas cachaças.

Daquelas renomadas. E eu, devido à diabete ficava no vinho.

Era gostoso beber com Alceu, era muito gostoso.

Veja abaixo o último encontro que tive com ele.

Fim

Tchau Alceu. Me emociono agora e me encho de saudade.

Tudo está dito acima, fica o vídeo, eu ainda estou aqui, você está no meu coração, na minha oração, na minha vida.

Eu e minha mulher Agnes te amamos.

Poema de Maiara Gomes Corrêa para o Alceu

Maiara filha de Alceu, encontrei no Facebook:

Hoje eu lembrei de você assim

Declamando, dramatizando…

Hoje eu lembrei de cada pintinha da sua mão

Da textura da sua pele e do cheiro que sua casa tinha

Lembrei do gosto da sua comida, de cada tempero que você colocava no filé no dia de natal

Hoje eu lembrei dos puxões de orelha

Lembrei das noites de bebedeira e conversa jogada fora

Daquele apoio invisível que sustentava toda a minha inconsequência

Hoje lembrei do seu sorriso

Das linhas que se formavam quando você cerrava os olhos ao sorrir

Hoje eu lembrei da menina que mora em mim

Da menina que gritava Papaiaaa quando você chegava em casa

Hoje eu lembrei da menina

E senti saudade da mulher que serei

E mesmo sabendo que só serei essa mulher lá na frente porque tudo foi assim

Hoje dói

Hoje dói demais

Amanhã serei mais forte

Amanhã serei a mulher

Mas hoje, hoje eu sou a menina

A menina com o coração cheio de saudade e gratidão

Te amo, pai.

Anand Rao

Cultura Alternativa

Acompanhe as noticias do Cultura Alternativa