Bonito um dos melhores destinos de Ecoturismo do País

Bonito um dos melhores destinos de Ecoturismo do País.

Bonito um dos melhores destinos de Ecoturismo do País. Como transformaram Bonito em um dos melhores destinos de Ecoturismo do País

O número controlado de visitantes diminui os impactos ambientais na fauna e flora

A cidade de Bonito, no Mato Grosso do Sul, já foi eleita 14 vezes o melhor destino de ecoturismo do Brasil, pela revista Viagem & Turismo, sendo 12 delas, consecutivas.

 

Bonito um dos melhores destinos de Ecoturismo do País – Premio 

E, além disso, já ganhou o prêmio internacional de Best Destination for Responsible Tourism World da World Travel Market (WTM). Os prêmios que consagram o local como a capital do ecoturismo, movimentam a economia da região e influenciam diretamente no crescimento das empresas do município.

Mas Bonito (MS) faz parte de um ecossistema maior, já que o estado praticamente zerou o desmatamento ilegal de Mata Atlântica, entre os anos de 2016 e 2017, de acordo com o Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica do Inpe.

O relatório emitido pelo Observatório do Turismo de Bonito, apresentou que em 2017 os atrativos da cidade receberam mais de 201.220 visitantes, que geraram uma receita estimada de R$ 305 milhões ao município. E agora no primeiro semestre de 2018 já foram recebidos mais de 80 mil turistas.

Com 21.500 habitantes, Bonito (MS) aparece com frequência na lista de destinos mais desejados por turistas nacionais e internacionais.

Os estados brasileiros que mais visitam a localidade, são: São Paulo (31,13%), Rio de Janeiro (11,11%), Paraná (9,51%), Rio Grande do Sul (7,87%) e Mato Grosso do Sul (7,80%). Já os turistas internacionais são representados em sua grande maioria por Paraguai (1,46%), Argentina (1,22%), Alemanha (0,83%), França (0,69%) e Holanda (0,65%).

Atualmente Bonito e região oferecem mais de 50 atrativos que proporcionam interações variadas com a natureza – entre elas: flutuações em nascentes e rios de águas cristalinas, que são habitats de diversos peixes e plantas; mergulho em lagoas que escondem mistérios em torno de sua real profundidade; rapel em abismos que podem chegar a 72m de altura; cachoeira com título de maior do estado; tirolesas; arvorismos; trilhas; grutas; etc.

Sustentabilidade em primeiro lugar

Um dos principais fatores que contribuíram com a conquista deste título, são as fortes referências de turismo responsável e sustentável, com incentivo e fiscalização na região.  Dentre as principais ações sustentáveis que a cidade promove, estão:

Limite diário de visitação nos atrativos

O número controlado de visitantes diminui os impactos ambientais na fauna e flora. Além, de permitir que o turista tenha uma interação maior com a natureza, distribuindo o fluxo turístico entre os passeios. O limite também permite que os guias e atrativos turísticos possam ter um grau elevado de qualidade nos serviços prestados, focando na experiência proporcionada.

O destino também inovou ao criar o Voucher digital ou Voucher único, que permite controlar o número de visitas aos passeios de forma online, propiciando que todos os envolvidos fiquem cientes das informações. Dessa forma, nenhum passeio em Bonito pode ser feito sem o voucher, que especificará o guia turístico, horário de passeio e número de vagas no atrativo.

Proibição da pesca

A proibição da pesca nos rios de Bonito, ocorre porque o ecossistema é considerado frágil e os atrativos devem ser tratados como santuários da natureza.

Por isso também, que quando o visitante realiza flutuações, não é recomendado pisar no chão do rio, porque pode prejudicar as nascentes locais.

Um dos pontos interessantes na proibição da pesca, é a constante aproximação que os peixes fazem dos turistas durante as flutuações, porque não se sentem ameaçados pelo ser humano.

 

Ecoturismo no Brasil – Dicas de trilhas.