Consumo de café no Brasil - Cultura Alternativa

Café coado é uma boa aposta para as cafeterias?

Café coado é uma boa aposta para as cafeterias?

Com mudança no comportamento do consumidor, que cada vez mais aprecia e valoriza os cafés especiais, método faz sucesso também fora das residências

Café coado é uma boa aposta para as cafeterias?

É comum ouvir nas cafeterias modernas pedidos por cafés coados e o motivo não tem a ver com nostalgia ou moda retrô.

 medida que os cafés especiais ganham força no Brasil, também cresce o público interessado na experiência da bebida e não só no consumo puro e simples.

Mas, afinal, o café coado é uma boa aposta para o empreendedor que tem ou planeja abrir um coffee shop? Daniel Munari, barista com mais de uma década de mercado

Minari afirmou que “investiria até em uma cafeteria só com cafés coados, pois há público para isso”.

E realmente há. De acordo com dados da ABIC, os brasileiros bebem cerca de 2 bilhões de doses de café por dia. Mais de 98% dos lares têm café de alguma forma e 84% é feito coado. Já o mercado de cafés especiais teve crescimento de 15% entre 2021 e 2022, segundo o especialista.

MAIS LIDAS

Café coado

Então, dá para se jogar sem medo no modelo? Sim e não. Pelos números e comportamento de consumo, Munari defende que café coado é um bom mercado, mas ressalta a necessidade de cuidados para o sucesso da operação.

O primeiro deles é a separação do que é vontade do empreendedor e o que o público quer. “Adequação é fundamental. Deve-se avaliar o perfil de quem comprará o café efetivamente naquela área escolhida, seus hábitos culturais e financeiros. É preciso entender quem quer apenas tomar um café e quem entende do produto e busca por experiências”, diz.

Outra dica importante é simplificar a escolha do consumidor. “De que adianta ter 15 métodos de preparo se o público não sabe diferenciar?

O caos começa logo no momento do pedido, quando ele terá de escolher entre vários tipos de café e se vai ser coado na prensa francesa, na aeropress etc.

Nós, baristas, precisamos ter este termômetro para saber direcionar ou ampliar a jornada de compra, quando necessário”, finalizou.

Cultura Alternativa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *