São Luís, a cidade do futuro descuidada com o presente

Centro Histórico

Centro Histórico. Um passeio pela cidade de São Luís, eis uma lembrança do passeio de ontem capitaneados, que fomos, pelo guia turístico Cândido Eurico.

Primeiro, o maranhense é apaixonado por sua terra, mas, vê que ao longo do tempo algo foi feito, mas, muito foi desfeito ou deixou de ser feito.

Cândido Eurico

Um craque, um apaixonado, seu guia turístico.

Quando ele passeia pelos arranha-céus, pelo Centro Histórico, pelas praias, pelos bairros, ele sabe tudo sobretudo.

Vale a pena você contratar seus serviços no WhatsApp 98-983238880.

O Centro Histórico

Boa parte, vários bairros estão por ser restaurados.

Na frente da Biblioteca há uma bela praça, no Complexo onde fica o Palácio dos Leões, também.

No Centro Histórico, onde tocarei, creio que nominado Reviver idem.

Aí começamos a conviver com uma cidade em ruínas, onde tudo será e nada é.

O futuro, para quem apresenta a cidade é logo ali, mas, o presente mostra uma cidade acabada, sem preservação e com obras que serão feitas nos sonhos e discursos de cada uma. Na difusão de quem administra. Mas, o hoje dá pena.

Por parte de seus habitantes e nosso cauteloso e dedicado guia tudo será construído.

O que salta aos olhos é que grande parte do Centro Histórico está em ruínas.

Os arranha-céus 

Fui a um mapa na internet para me localizar e poder escrever este texto.

Creio que os arranha-céus estão localizados entre Ponta do Farol, São Marcos, Ponta da Areia, por ali.

São apartamentos belíssimos, com varandas marejadas por ventos e sal do mar, onde muitos estão por alugar.

Já houve um “boom”, uma explosão imobiliária, hoje estão por alugar sofrendo com a crise brasileira.

Uma comunhão com o Centro Histórico, só que modernos, enormes e encantadores. 

A comunhão está no por alugar.

No Centro ou indo para o mesmo pela Ponte José Sarney chamada Ponte São Francisco, tudo está por alugar, uma pena.

Imprópria para banho

Calhau e Ponta da Areia visitadas ontem estão impróprias para banho.

Uma tristeza, praias que antes nortearam nossa juventude, hoje estão sob a égide de uma placa “Imprópria para Banhos”.

Como governos deixaram isto acontecer?

Apesar das placas vimos surfistas pegando ondas e pequenas famílias, nichos de pessoas, banhando. Nosso guia também disse que havia tomado banho um dia e não saiu se coçando.

Mas, a maioria das praias estavam desertas num dia de pleno sol e com as famigeradas placas contrapondo a beleza.

O Convento das Mercês 

No convento fizemos entrevista com o Diretor Administrativo assessorados por Carmelita Menezes.

Lugar lindo que tem obras doadas pelo Ex-Presidente Sarney.

Que atua pela comunidade com cursos abertos.

Onde os funcionários se dedicam à preservação e divulgação dele, dentro da sua humildade, crença e leveza.

Foi o ponto algo da nossa visitação.

O Reviver

Tocarei lá. Tem bares, cafés, enfim, é uma área interessante. Vamos ver se há perigo para a apresentação que será às 19 h.

Acreditamos que não, vimos inclusive um espaço dedicado às artes plásticas, A Casa das Artes ou dos Artistas, onde há pinturas no térreo e eles moram na sobreloja. Interessante, mas, chegamos vimos as obras e ninguém nos atendeu. Ou seja, o comércio lá está em último lugar.

A falida Lagoa da Janssen

Vim a bares prósperos aqui. Andei por passarelas belíssimas. Fiz fotos do mirante.

Hoje, em plena decadência, ruína, é o berço da tristeza de todos que visitam a capital do Maranhão.

E o Turista?

O turista que quiser ver ruínas no centro contrapondo com os arranha-céus de condomínios diversos tem um prato cheio em São Luís.

Eu que aqui vivi quando criança, sonhei meus sonhos de adolescente, digo e reafirmo: é triste o que vi e vejo no momento presente onde apartamentos, casas, lojas estão com placas de aluga-se e não há quem os alugue.

Onde o centro vai ser revitalizado e nunca é.

Onde espaços antes prósperos como a Lago da Janssen hoje estão esquecidos, falidos, em ruínas.

O Governo Federal é opositor ao Estadual e isto está trazendo à tona uma São Luís filha de administrações Sarneysistas, hoje, esquerdistas.

Só me resta orar por São Luís.

Anand Rao

Editor do Cultura Alternativa