Clássicos da literatura que mais caem nos vestibulares

Clássicos da literatura

Clássicos da literatura brasileira

Conheças as obras que costumam aparecer na lista de livros das universidades

Diversos clássicos da literatura brasileira são utilizados nos vestibulares para avaliar os conhecimentos dos estudantes de interpretação textual, escolas literárias, entre outros.

Quem está se preparando para o vestibular deve incluir a literatura em seus estudos pois os principais processos seletivos para ingresso no ensino superior cobram esse tipo de conteúdo. Para ajudar os estudantes nessa jornada, listamos os 7 clássicos da literatura brasileira para vestibular. Confira:

Clássicos da literatura brasileira

Dom Casmurro – Machado de Assis

A história de Bentinho, Dom Casmurro, e Capitu é narrada ao longo da obra, desde a juventude até a solitária velhice de Bento Santiago. Clássico da literatura brasileira, Dom Casmurro explora diferentes temas, como ciúme, traição, descoberta do amor juvenil, complexidade das relações humanas, entre outros. A obra explora a capacidade investigativa dos leitores e deixa um dos maiores enigmas da literatura: Capitu traiu Bentinho?

O Cortiço – Aluísio Azevedo

Publicado pela primeira vez em 1890, o livro ‘O Cortiço’ de Aluísio Azevedo denuncia as desigualdades existentes nos cortiços do Rio de Janeiro durante o século XIX. O livro é uma alegoria do Brasil ao demonstrar ideologias e relações sociais presentes na sociedade da época. Com 23 capítulos, a obra é considerada um romance naturalista por buscar tecer uma crítica a uma realidade.

Vidas Secas – Graciliano Ramos

Vidas Secas é um romance de Graciliano Ramos publicado pela primeira vez em 1938. A obra narra o deslocamento de uma família nordestina do sertão em busca de uma vida melhor. O livro retrata questões sociais, em especial a situação dos retirantes nordestinos. O livro possui 13 capítulos sem uma linha temporal estabelecida.

Capitães de Areia – Jorge Amado

Escrito por Jorge Amado, Capitães da Areia narra a vida de um grupo de meninos que ganham as ruas de Salvador. Eles formam uma espécie de gangue que pratica diversas infrações nos bairros nobres de Salvador. O livro é narrado em terceira pessoa e apresenta as atitudes infratoras dos menores, assim como as aspirações e desejos da infância. Capitães da Areia é uma das principais obras de Jorge Amado, romancista brasileiro mais traduzido e conhecido do mundo.

Iracema – José de Alencar

Com estilo romance Indianista e seguindo o modelo do Romantismo, Iracema, de José de Alencar, conta a história de amor entre Iracema, uma jovem índia, e Martim, jovem homem branco que se perde na floresta brasileira. Os personagens vivem um romance proibido. Iracema é uma índia que deveria preservar a sua virgindade por ser a guardiã do segredo da jurema. A narrativa romântica de Iracema e Martim é uma referência e romantização a colonização portuguesa.

Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa

Considerada uma das obras mais importantes da literaturua brasileira, Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa foi publicado em 1956 possui mais de 600 páginas. Um fato que chama atenção no livro é a ausência de capítulos. O livro narra as memórias da vida de Riobaldo, ex-jagunço, que conta as suas lutas, inseguranças e o amor por Diadorim. A obra é considerada um romance experimental do modernismo brasileiro, trazendo a temática do regionalismo, presente na segunda fase do movimento.

Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis

Escrito por Machaco de Assis, Memórias Póstumas de Brás Cubas é uma narrativa irreverente que conta as histórias do defunto Brás Cubas, que decide narrar as suas aventuras depois de morto. Valendo-se da ironia, o livro ironiza o luxo e exageros da elite da época. A vida de Brás Cubas é narrada desde a sua infância até a sua morte, sem seguir uma ordem cronológica.

Fonte: E+B Educação | Gab

Cultura Alternativa Literatura – A Lote 42, editora, sob o signo do alternativismo