Dicas de como ganhar uma renda extra com o aluguel de temporada no verão

Como ganhar uma renda extra com o aluguel

Como ganhar uma renda extra com o aluguel

Anunciar seu imóvel ou parte dele em plataformas como o Airbnb na estação mais cobiçada do ano pode ajudar a fechar as contas do mês de forma prática e segura

O Airbnb reuniu dicas de alguns dos seus “super anfitriões” – os mais bem avaliados pelos hóspedes na plataforma – para quem quer alugar um cantinho de sua casa ou a casa inteira no verão para ganhar uma renda extra.

A renda anual de um anfitrião típico do Airbnb em 2017 foi de R$ 6.050 – valor que cresceu 225% nos últimos cinco anos.

Somente no último feriadão de novembro (Proclamação da República), que durou 6 dias, a renda total gerada pelo aluguel por temporada no Airbnb foi de mais de R$ 35,7 milhões.

Hoje há mais de 167 mil anúncios disponíveis na plataforma. E tanto para quem aluga, quanto para quem busca hospedagem, a plataforma oferece atendimento 24h, seguro contra danos ao patrimônio – chamada Garantia ao Anfitrião – e um sistema de pagamento seguro e online.

O anfitrião pode ainda exigir que seus hóspedes apresentem uma cópia de documento oficial de identidade via plataforma, a fim de aumentar a transparência e segurança.

Como ganhar uma renda extra com o aluguel

Dicas para alugar com tranquilidade e segurança:

1. Anúncio: descreva as dependências da casa e suas regras

Ao criar seu anúncio, escreva um perfil contendo as características do espaço. Por exemplo: se pode ou não usar a cozinha e quais utensílios estão disponíveis, se há conexão à internet e as regras gerais da casa.

“Eu sempre aviso aos viajantes quais os horários de entrada e saída, se minha casa é ‘family-friendly’ ou ainda que aceito animais de estimação.

Isso faz com que as expectativas em relação à hospedagem estejam alinhadas, sem surpresas e imprevistos para nenhum dos lados.

Uma outra boa dica: deixe claro quantas pessoas podem ficar hospedadas e se elas podem receber visitas”, diz Rodrigo Melo Philippi, superhost e consultor que anuncia um imóvel inteiro no bairro Cacupé, em Florianópolis (SC).

2. Invista em fotos reais do seu espaço

Depois dos preços e avaliações, a fotografia é o fator mais importante para os usuários. No Airbnb, 60% das exibições de anúncios começam com um hóspede clicando em uma foto.

Elas são importantes e devem mostrar o ambiente da forma mais real possível. Você pode conferir no site do Airbnb algumas dicas para tirar boas fotos usando celular ou câmera. “Quando fui colocar meu anúncio, eu entrei no site e fui ver as dicas.

Dediquei um tempinho para entender como fazer uma boa foto e também as que mostrassem o que eu gostaria de ver se estivesse alugando um espaço. Funcionou.

Tenho mais reservas e os hóspedes já chegam como se fossem amigos de longa data”, conta a designer de moda Lais Angélica Gondim, superhost que aluga um quarto em seu apartamento em Meireles, bairro de Fortaleza (CE).


Como ganhar uma renda extra com o aluguel

3. Sempre converse com o viajante pela plataforma e com presteza

“Eu deixo o aplicativo sempre com as notificações ativas para responder aos questionamentos dos hóspedes de forma ágil e isso ajuda a fortalecer a relação de confiança, além de ajudar a melhorar a pontuação na plataforma.

Estou sempre atenta, dou dicas de onde comer, onde passear, pergunto, quando é uma estadia longa, se está tudo bem, se precisa de algum apoio. É muito importante ser atencioso, amável, estar aberto para pequenos ajustes, como onde deixar a chave, por exemplo.

Mas sempre faço isso pelo chat da plataforma, já que tudo fica registrado lá e dá mais segurança para mim e para o viajante”, explica a contadora Caroline Macedo que anuncia apartamento inteiro na Praia de Boa Viagem, no Recife.

4. Quanto devo cobrar pelo meu espaço?

O valor da estadia varia conforme a época do ano (fim do ano e Carnaval, por exemplo, costumam ser datas mais valorizadas). O anfitrião pode pesquisar na plataforma os valores praticados na época em que decidir alugar seu espaço e determinar o valor mais justo para a locação.

O Airbnb informa durante o cadastro um valor médio para anúncios semelhantes ao dele(a) na região. Não se trata de uma obrigação, mas um valor comparativo para ajudar na definição.

“Eu costumo sugerir para as pessoas que analisem o preço que estão cobrando no entorno e se o valor proposto ajuda a cobrir os custos que tem com luz, água, internet, IPTU, condomínio e, eventualmente, pintura, por exemplo.

Vale lembrar que esta é uma grana extra para ajudar nas contas da casa. Claro que a localização, as opções de lazer e compras no bairro, facilidade de transporte, tudo isso tem de ser levado em conta.

Há quem ainda opte por oferecer descontos, mas sempre digo que cada um deve analisar a procura e fazer ajustes de acordo com a realidade daquele momento”, Marcus Sampaio, superhost de um apartamento inteiro no bairro do Rio Vermelho, em Salvador (BA).

5. Se o apartamento for em um condomínio, devo avisar ao síndico?

Sim. No Brasil, a atividade de locação realizada entre anfitriões e hóspedes é o aluguel por temporada, previsto e regulamentado pela Lei do Inquilinato (Lei nº 8.245, de 18 de outubro de 1991).

O proprietário do imóvel usufrui de seu livre direito de propriedade para compartilhar sua casa.

“No meu prédio, como sou anfitriã e síndica, eu converso com quem deseja oferecer seu espaço por temporada, explico as regras do prédio para este tipo de locação e oriento ao anfitrião que converse com os vizinhos informando sobre este tipo de locação e plataforma, e principalmente conte que ele analisou o perfil do viajante, falou com ele pelo site, leu outros comentários antes de aceitar a locação.

Isso deixa todo mundo mais tranquilo. Outra coisa importante é expor as regras do prédio e as regras da casa, de forma clara ao locador.

Eu também alugo meu apartamento e aviso que vale para o morador ou inquilino de longa temporada vale também para o de curta temporada, especialmente na questão da convivência.”, afirma Raquel Nicastro, superhost e síndica de um prédio na Bela Vista, em São Paulo (SP).

6. O que as pessoas mais buscam ao alugar?

O importante é que o espaço esteja limpo e seja igual ao que você descreveu no anúncio, afinal, as pessoas gostam de ter suas expectativas atendidas.

 “Cada viajante valoriza um item diferente, mas itens de higiene para o banho (shampoo e sabonete) ou mesmo uma lista de dicas de locais para comer e se divertir são um diferencial.

Para as famílias, elas também gostam de ter acesso aos itens de cozinha (pratos, copos, talheres, panela, liquidificador etc) para preparar refeições no local. Um ambiente bem equipado valoriza o imóvel e aumenta a chance de atrair mais hóspedes”, explica Leonardo Tristão, diretor-geral do Airbnb no Brasil.

 

Airbnb de portas abertas para o Cultura Alternativa