Como lidar com os despertares noturnos da criança?

Como lidar com os despertares noturnos da criança

Como lidar com os despertares noturnos da criança?

O que fazer para melhorar o sono da criança e, com isso, promover qualidade de vida para ela e seus pais?

Com as exigências da Organização Mundial de Saúde (OMS) e os protocolos de cuidados adotados a partir desse “novo normal”, a rotina de adultos e crianças foram profundamente transformadas.

Dormir bem e ter um sono profundo passaram a preocupar ainda mais os especialistas desse assunto.

Muitos pais e mães estão com dificuldades para criar uma rotina com os filhos. “Benjamin está hoje com 2 anos e 3 meses. Passamos por uma fase muito difícil em março quando começou a pandemia de coronavírus.

A quarentena forçou seu papai a trabalhar em home office e, com isso, desandou a rotina que estava redondinha.

Com esse desajuste, tivemos uma regressão associada à temerosa fase dos 2 anos: Benjamin voltou a acordar várias vezes à noite e demorava muito para dormir sozinho. Ele cantarolava, gritava, falava e até começou a sair da cama”, diz Ana Laura, mãe do Benjamim.

Como lidar com os despertares noturnos da criança?

O que fazer para melhorar o sono da criança e, com isso, promover qualidade de vida para ela e seus pais? É de conhecimento amplo que a chegada de uma criança muda, por completo, a rotina dos pais e muitos passam a não dormir tão bem como antes.

“Ter filhos e dormir bem a noite inteira é possível? Meu filho acorda várias vezes à noite, o que fazer? Quando eu vou conseguir dormir um sono tranquilo?”. Essas são perguntas comuns, vivenciadas por muitos pais e mães, cujas respostas podem ser encontradas nas explicações das consultoras do Sono Infantil da Ensinando a Sonhar, Jéssica Thuannie e Luciana Sales.

Elas destacam que uma pesquisa realizada, em 2019, pela Sleep Research Society mostra que o sono dos pais tende a se normalizar, em média, após seis anos do nascimento dos filhos.

Mas, o que favorece esse quadro? Segundo Jéssica Thuannie, os despertares noturnos acontecem por várias razões, sendo o cansaço que a criança acumula durante o dia, o principal fator.

Quando a rotina diurna dos pequenos não está equilibrada, como consequência há um aumento dos níveis de cortisol e adrenalina no organismo, responsáveis por mantê-los acordados.

E como lidar com os despertares noturnos?

A ansiedade e o estresse desse período de pandemia também têm comprometido, sobremaneira, as rotinas dos pais e, com isso, as crianças também são afetadas. Jéssica e Luciana contam que têm recebido um número maior de pessoas em busca de ajuda. As crianças estão mais agitadas e com dificuldades para dormir.

Para ajudar as famílias a conciliarem as tarefas diárias com a rotina das crianças e garantirem um sono de qualidade essas especialistas do sono infantil recomendam algumas dicas bastante eficazes:

O primeiro passo num processo de ajuste do sono infantil é vencer o cansaço acumulado, entendendo qual a rotina apropriada para a criança, que varia muito de acordo com a faixa etária, e tomando cuidado com a estimulação exagerada durante o dia.

Os adultos criam rotinas em que as crianças precisam estar ocupadas com alguma coisa sempre: TV, brinquedos e outras atividades. É necessário ficar atento a isso e promover pausas.

Além disso, deve-se prestar atenção nas sonecas diurnas. Se a rotina não estiver equilibrada, ou seja, a criança passar mais tempo acordada do que é o ideal para sua idade, certamente, ela terá alterações na produção dos hormônios, o que a impedirão de relaxar. “Isso se refletirá em despertares noturnos, devido ao excesso de cortisol e adrenalina produzidos”, lembra Jéssica.

Rotina: “Aqui vamos pontuar duas informações: os pais precisam entender que uma criança descansada tem mais chances de ter um sono prolongado durante a noite. Dessa maneira, é necessário não acumular atividades para a criança o tempo todo para que ela possa relaxar e, com isso, diminuir os despertares noturnos”, reforça Luciana.

A rotina equilibrada e adequada conforme a faixa etária é a base para que a criança tenha um sono noturno de qualidade. No entanto, há quem questione o porquê de uma situação antes normal e tranquila agora ter sido alterada, ou seja, crianças que antes dormiam bem e de repente passam a acordar muito à noite.

As consultoras do sono infantil destacam que, de acordo com o desenvolvimento da criança, também surgem outras necessidades e, portanto, é preciso rever os hábitos e modificar padrões até então seguidos.

“No primeiro ano de vida, a rotina da criança muda a cada mês, depois entre o 15º e o 20° mês de vida pode ocorrer uma nova regressão no sono”, diz Luciana Sales. Ela alerta que é muito importante ter as informações corretas em mãos para readaptar a rotina da criança a cada idade conforme ela cresce.

Independência noturna. Os pais tentam várias maneiras para fazer com que a criança durma, entre elas: balançar, dar chupeta, colocar no peito ou mamadeira. Tudo isso é colocado em prática com o objetivo de fazer a criança dormir.

Então, é assim que ela aprende que depende disso para adormecer, porém, esses hábitos podem acabar por prejudicar o sono dessa criança, criando nela uma dependência indesejada de sempre precisar dos pais para dormir.

Esse registro foi postado em Geral e marcado .