Consumo de vinhos portugueses cresce no mercado brasileiro

Consumo de vinhos portugueses

Consumo de vinhos portugueses cresce no mercado brasileiro


Recente pesquisa aponta que o Brasil é o maior comprador de vinhos da região do Alentejo, em Portugal. Empresas reforçam seus portfólios com vinhos da região.


A longeva relação entre Brasil e Portugal segue fortíssima até os dias de hoje quando o assunto é vinho. O Brasil é um dos maiores importadores de vinhos portugueses, em especial, os produzidos na região do Alentejo.

Segundo pesquisa realizada pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), o Brasil é o maior comprador de vinhos da região, tendo apresentado, inclusive, um aumento de 7% nas vendas em volume no primeiro semestre de 2020. Em números absolutos, o volume anual chega à marca de impressionantes 4 milhões de litros de vinho oriundos do Alentejo.

Consumo de vinhos portugueses

O sommelier Jonas Martins, gerente comercial da MMV, escolheu três rótulos da vinícola Casa Clara para compor o portfólio da empresa.

São vinhos da antiga vinícola Monte da Capela, que recentemente foi adquirida pela Casa Clara, de propriedade da família Roque do Vale e situada na sub-região de Moura, no Alentejo, conhecida pela produção de vinhos mais intensos, bem acabados e de consumo descomplicado.

A primeira escolha foi o Monte da Capela Branco Reserva 2018. Este vinho de cor amarelada é produzido com 50% de uvas da variedade Antão Vaz e 50% de Arinto, apresentando um aroma de frutas frescas amarelas, toques de casca de laranja e um saboroso aroma de baunilha, fruto de seu envelhecimento em barril de carvalho.

De alta acidez e estrutura marcante, o Monte da Capela Branca Reserva 2018 acaba de ser laureado com a medalha de ouro na 8ª edição do concurso dos Melhores Vinhos do Alentejo, concurso realizado nas novas instalações da Rota dos Vinhos do Alentejo, em Évora, e composto por um selecionado júri com 15 enólogos representantes de várias instituições, como a “Provadores da Associação Portuguesa de Enologia” e a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA).

Outro rótulo aguardado é o Popular Tinto, vinho com aromas de frutas vermelhas e leve toque de especiarias. Produzido com três tipos de uvas diferentes (50% Trincadeira, 30% Aragonez e 20% Alfrocheiro), o nome do vinho “Popular” remete à sua forma agradável e redonda à boca, o tipo de vinho que os portugueses normalmente apreciam no dia a dia.

Wine Glass on Apple iOS 11.3

 Leia no Cultura – Paixão por Vinhos e Gastronomia, Planeta Merlot com Coelho a Caçador

Consumo de vinhos portugueses

A importação do vinho não é à toa.”Com o aumento do consumo de vinhos no Brasil e o crescente interesse pelo tema, resolvemos trazer um rótulo que possa ser tornar popular na mesa dos brasileiros”, argumenta Jonas Martins.

O último vinho é o tinto Herdade da Capela Private Selection, safra 2014. Este é um vinho mais requintado que o Popular, o que faz com que seu preço seja um pouco mais elevado.

Com aromas de frutas vermelhas e escuras maduras, como ameixa, amarena e compota de framboesa, ele tem um leve toque de canela. Com fermentação em temperaturas altas para maior extração e sem filtrar, o vinho envelhece seis meses em barris de carvalho, sendo muito potente e vivo à boca, com taninos marcantes e álcool bem integrado.

“Queremos mostrar ao mercado brasileiro que os vinhos de Portugal vão muito além do que vinhos do Porto. Existem muitas outras regiões, como a do Alentejo, que entregam produtos de extrema qualidade”, reforça Jonas Martins.

ℓєια тαмвє́м:

Dois roteiros curtos pelo Alentejo a partir de Lisboa

Explore o Alentejo com tour de bike

Por que os vinhos do Alentejo estão entre os melhores do mundo

Em destaque: 
Dicas de Viagem   Portugal