Nova York – Desfile do Dia das Bruxas na Sexta Avenida e dos Bruxos do som no Lincoln Center

Desfile do Dia das Bruxas

Essa é uma matéria que retrata um sentimento diário de quem vive em Nova York, a expectativa. Hoje, 31 de Outubro, vamos assistir o Desfile do Dia das Bruxas na Sexta Avenida e amanhã a comemoração dos 50 Anos do selo ECM Record com os Bruxos do Som no Lincoln Center.

Por sinal, como é bom viver valorizando expectativas. Você esperar isso ou aquilo, sonhar com fatos, aguardar momentos, é viver.

Desfile na Sexta Avenida

Há muito tempo frequentamos a sexta.

Nós, brasileiros, taxados brutalmente em produtos diversos, quando viajamos para Nova York curtimos o turismo, como também, compras.

Na sexta fica uma loja chamada Burllington, frequentada por nossa editora há tempos. Foi lá que fomos pela primeira vez ao Traders Joy um supermercado barato para os preços de Nova York.

Frequentamos no mesmo quarteirão a Best Buy.

E hoje veremos o desfile do Dia das Bruxas, no passado, vimos o desfile …. com balões imensos vistosos e espetaculares.

A expectativa é muito grande para este desfile. Vimos bares, prédios, locais diversos devorados para este evento e acreditamos que vamos nos emocionar com a arte, a paixão e a emoção deste desfile.

Um desfile gratuito e popular.

Sobre a festa

Dia das Bruxas é uma celebração observada em vários países. Ela começa com a vigília de três dias do Allhallowtide, o tempo do ano litúrgico dedicado a lembrar os mortos, incluindo santos, mártires e todos os fiéis falecidos.

Acredita-se que muitas das tradições do Halloween originaram-se do antigo festival celta da colheita, o Samhain, e que esta festividade gaélica foi cristianizada pela Igreja primitiva.

O Samhain e outras festas também podem ter tido raízes pagãs. Alguns, no entanto, apoiam a visão de que o Halloween começou independentemente do Samhain e tem raízes cristãs.

Entre as atividades de Halloween mais comuns, estão festas e fantasia, praticar “doce ou travessura“, decorar a casa, fazer lanternas de abóbora, fogueiras, jogos de adivinhação, ir em atrações “assombradas”, contar histórias assustadoras e assistir filmes de terror

Em muitas partes do mundo, as vigílias religiosas cristãs de Halloween, como frequentar os cultos da igreja e acender velas nos túmulos dos mortos, permanecem populares, embora em outros lugares seja uma celebração mais comercial e secular.

Alguns cristãos historicamente se abstém de carne no Dia das Bruxas.

História da ECM Records

ECM (Edição de Música Contemporânea) é uma gravadora independente fundada por Karl Egger, Manfred Eicher e Manfred Scheffner em Munique em 1969. Embora a ECM seja mais conhecida pela música jazz , a gravadora lançou uma variedade de gravações, e os artistas da ECM freqüentemente recusam reconhecer limites entre gêneros. O lema da ECM é “o som mais bonito ao lado do silêncio”, tirado de uma revisão de 1971 dos lançamentos da ECM na Coda , uma revista de jazz canadense. [1]

O ECM é distribuído nos EUA pela Warner Bros. Records , PolyGram Records , BMG e, desde 1999, pela Universal Music , sucessora do PolyGram em todo o mundo.

As capas de seus álbuns foram apresentadas em dois livros: Sleeves of Desire e Windfall Light , ambos publicados por Lars Müller.

O primeiro lançamento da ECM produzido por Manfred Scheffner foi o pianista Mal Waldron , 1969, gravando Free at Last . A gravadora lançou muitos músicos de jazz de destaque, incluindo Keith Jarrett , Jan Garbarek , Pat Metheny , Gary Burton , Chick Corea , Charlie Haden , John Abercrombie , Dave Liebman , Eberhard Weber , Egberto Gismonti , Dave Holland , Terje Rypdal , e Ralph Towner . A gravadora também lançou gravações no gênero musical mundial por artistas como Steve Tibbetts , Stephan Micus , Codona , Anouar Brahem , L. Shankar , Jon Hassell e Naná Vasconcelos .

ECM New Series foi criada em 1984 para documentar obras clássicas ocidentais. Lançou obras de compositores desde o início ( Thomas Tallis , Carlo Gesualdo , Giovanni Pierluigi da Palestrina ) até o contemporâneo ( John Cage , Elliott Carter , Steve Reich e John Adams ). A série foi iniciada pela estréia recorde de Arvo Pärt , Tabula Rasa, que Eicher gravou e produziu em 1977, 1983 e 1984. Desde então, Pärt e Eicher construíram um forte relacionamento: todos os trabalhos estreiam em gravações para a gravadora e todos são feitos na presença do compositor. Keith Jarrett, mais conhecido como músico de jazz, contribuiu com Gidon Kremer, entre outros, para Tabula Rasa . Mais tarde, ele gravou várias obras clássicas de Bach , Mozart , Shostakovich e outras para a série.

Os três álbuns Music for 18 Musicians , Octet / Music for a Large Ensemble / Violin Phase e Tehillim by Reich foram gravados antes de 1984 (todos com o compositor se apresentando) e depois foram transferidos para o departamento de música clássica juntamente com outros por Meredith Monk , Thomas Demenga e Harald Weiss . Vários trabalhos de John Adams de seu período minimalista também foram lançados pela gravadora, incluindo Harmonium e Harmonielehre .

Ao longo dos anos, muitas outras obras de compositores contemporâneos como Valentyn Sylvestrov , Tigran Mansurian , Erkki-Sven Tüür , Heinz Holliger , Giya Kancheli , György Kurtág ou Heiner Goebbels , bem como as trilhas sonoras de várias obras do cineasta Jean-Luc Godard foram emitidos no rótulo ECM New Series . Os intérpretes que lançaram discos em gêneros clássicos incluem Kim Kashkashian , András Schiff , Gidon Kremer , Hilliard Ensemble , Thomas Zehetmair ,Carolin Widmann , Till Fellner , Herbert Henck, Alexei Lubimov , András Keller , Miklós Perényi , John Holloway , John Potter ou mais recentemente Patricia Kopatchinskaja.

Em muitos lançamentos, os lados jazz e clássico da ECM são combinados: por exemplo, Officium , de Garbarek (1994), apresenta-o tocando solos de saxofone no Hilliard Ensemble, cantando canto gregoriano , polifonia e obras renascentistas . O trabalho de Garbarek com o guitarrista Ralph Towner é influenciado pela música de câmara do século XX. A gravadora também lançou trabalhos únicos que não se encaixam em nenhum gênero óbvio (como os registros da compositora Meredith Monk).

Em 2002 e 2004, a ECM lançou uma série de CDs de compilação intitulados : rarum . Pediu-se a vinte dos artistas da gravadora que compilassem um único CD de seu trabalho para a gravadora (as compilações de Garbarek e Jarrett são CDs duplos). Os artistas que contribuíram para esta série são Keith Jarrett, Jan Garbarek, Chick Corea, Gary Burton, Bill Frisell, Art Ensemble of Chicago, Terje Rypdal, Bobo Stenson, Pat Metheny, Dave Holland, Egberto Gismonti, Jack DeJohnette, John Surman e John Abercrombie. Carla Bley, Paul Motian, Tomasz Stańko, Eberhard Weber, Arild Andersen e Jon Christensen.

Manfred Eicher continua a se interessar ativamente pelas músicas lançadas pela ECM, atuando como produtor na grande maioria de suas gravações, embora Steve Lake, Thomas Stoewsand, Robert Hurwitz, Lee Townsend, Hans Wendl e Sun Chung também tenham produzido discos para o disco. rótulo. A sessão típica do ECM é de apenas três dias: dois dias para gravar e um dia para mixar . Muitos dos álbuns foram gravados com Jan Erik Kongshaug (do Talent Studios e mais tarde Rainbow Studios) em Oslo, na Noruega, como engenheiro de som; outros engenheiros incluíram Martin Wieland (que gravou “The Köln Concert”, de Jarrett), James Farber, Stefano Amerio e, em gravações clássicas, Peter Laenger.

Depois de trabalhar como escritor para o Melody Maker, Steve Lake ingressou na equipe da ECM em 1978. [9] Enquanto trabalhava predominantemente no departamento de composição, agora ele também produziu mais de 40 discos, que são mais nas áreas experimentais do jazz como aquelas de Evan Parker , Roscoe Mitchell , Hal Russell , Robin Williamson , Joe Maneri ou Mat Maneri . [10] Além disso, ele publicou o livro Horizons Touched: The Music of ECM (2007) com o crítico / romancista Paul Griffiths e fez contribuições para os livros Sleeves of Desire: a Cover Story(1996), Windfall Light: The Visual Language of ECM (2010) e ECM – A Cultural Archaeology (2012). [11]

Eicher também foi curador uma série de onze filmes selecionados relacionados ao rótulo – alguns de seus cineastas estão fortemente relacionados à ECM como Theo Angelopoulos ou Jean-Luc Godard , outros deram inspiração ao rótulo como Ingmar Bergman ou Andrei Tarkovsky , e outros usaram sua música.

Em 14 de novembro de 2017, a ECM anunciou em um comunicado à imprensa que todo o seu catálogo seria disponibilizado para streaming nas principais plataformas de streaming de música (Apple Music, Amazon, Spotify, Deezer, Tidal e Qobuz). Anteriormente, as gravações de ECM nunca estavam disponíveis para streaming, exceto algumas compilações selecionadas dos principais artistas. Em um comunicado de imprensa em seu site, a ECM explicou sua decisão. Nos últimos anos, a ECM e os músicos tiveram que enfrentar a transmissão não autorizada de gravações através de sites de compartilhamento de vídeo, além de pirataria, bootlegs e uma proliferação de sites de download ilegais. Era importante tornar o catálogo acessível em uma estrutura em que os direitos autorais são respeitados.

A ECM acrescentou ainda que as gravações físicas (CD e LP) ainda constituem os “meios preferenciais”.

Desde 17 de novembro de 2017, o catálogo ECM está disponível em todas as principais plataformas de streaming de música, graças a um acordo de distribuição com a Universal Music.

Expectativa

Amanha, dia 01 de Novembro, no Frank P. Roosevelt, paguei 150 dolares para assistir os 50 anos da ECM Records.

A expectativa é muito grande. Veja a história acima, esta gravadora mudou minha vida sob todos os aspectos.

Gerou ídolos como Gismonti, Jarret, Metheny, enfim, fez minha cabeça com relação ao jazz e música instrumental.

O que estou aguardando. Estou aguardando apenas ouvir uma música boa feita por músicos espetaculares que já possuem  certa idade.

Como já fui à sala e vi que a acústica  é excelente, espero muito deste concerto.

Assim como eu, os músicos quando ficavam mais velhos, melhoram, pois, não objetivam mais fama e sim, qualidade.

Que seja linda esta noite gratuita com o desfile do Dia das Bruxas e amanhã com os 50 Anos da ECM Records e viva a vida.

Sarau do Anand RaoAnand Rao

Editor do Cultura Alternativa