Brasil é referência mundial em ecoturismo

Ecoturismo

Além de contribuir para preservação ambiental, modalidade cresce mais de 20% ao ano e gera retornos de US$ 70 milhões ao País

Brasil é o destino com o maior potencial para ecoturismo e turismo de aventura no mundo.

As belezas naturais e a diversidade de espécies da flora e da fauna brasileiras contribuíram para que o País recebesse essa classificação pelo Fórum Econômico Mundial.

No vasto território, os turistas podem entrar em contato com seis biomas e três ecossistemas marinhos diferentes.

 

Nesses locais, é possível praticar atividades radicais como rapel, escalada, cicloturismo, rafting e arvorismo.

Há ainda atividades menos convencionais, como astroturismo, geoturismo e trilha de longo curso.

 

Ecoturismo


Além de contribuir para a preservação ambiental, o ecoturismo também favorece a economia: mais de 10 mil empresas brasileiras são dedicadas ao setor.

A Organização Mundial do Turismo (OMT) aponta que, enquanto o turismo no geral avança 7,5% ao ano, a prática de ecoturismo cresce 20%.

 

Ecoturismo no Brasil

No Brasil, cerca de um milhão de viajantes optam pela modalidade, gerando um faturamento de US$ 70 milhões.  



Confira alguns dos destinos de ecoturismo espalhados pelo País:

Sudeste

Quem quiser praticar o trekking, as trilhas de longas distâncias, pode percorrer a Transcarioca, que corta a cidade do Rio de Janeiro.

 

A estrada, de 180 quilômetros de extensão, vai da Barra de Guaratiba até o Morro da Urca, um dos principais pontos turísticos da região.

 

Ao longo do percurso, os turistas fazem o passeio a pé, entrando em contato com a riqueza natural da cidade, e atravessam seis parques estaduais que preservam faixas de Mata Atlântica.

 

Todo o trajeto é sinalizado e corta outros monumentos cariocas.

Sul


Além da apreciação das famosas quedas d’água de Foz do Iguaçu (PR), a região também é propícia para a prática do geoturismo, que alia conhecimento ao lazer.

Os cenários rochosos oferecem não só um espetáculo aos olhos, mas contam também a história da formação geológica do Parque Nacional do Iguaçu.

 

As cataratas se formaram há 120 milhões de anos, durante o período Cretáceo, e é um dos pontos de separação da América do Sul e da África, que antes formavam o continente único da Pangeia.  

Nordeste

A região tem muito mais a oferecer além das belas praias do litoral.

 

Na Chapada Diamantina (BA), os turistas podem aproveitar a distância dos grandes centros para observar melhor estrelas e fenômenos astronômicos, como os eclipses.

 

O local ainda oferece 300 quilômetros de trilhas, 33 cachoeiras, 2 cavernas, 10 espaços para escaladas e 16 sítios históricos.  

Norte

No interior do Tocantins, o Jalapão, que fica a 260 quilômetros da capital, Palmas, atrai turistas em busca de praias de água doce, canyons e serras.

 

Uma das principais atrações da região são os fervedouros: grandes piscinas de água borbulhante que impedem os banhistas de afundar.

 

Além disso, o Jalapão ainda permite a prática de rafting no Rio Novo e passeios pelas dunas.

Centro-Oeste

O Mato Grosso do Sul é um dos estados de destaque no setor e referência mundial em ecoturismo.

 

A cidade de Bonito, a 258 quilômetros da capital, Campo Grande, proporciona passeios pelas trilhas, flutuação em águas transparentes, mergulho e visitas a cachoeiras e grutas.

Fonte: Governo do Brasil, com informações da Embratur, Governo do Mato Grosso do Sul, Associação Brasileira de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta), Ecobrasil, Governo do Paraná, Prefeitura de Bonito, Ministério do Meio Ambiente e O Eco