Erradicação ou perpetuação da pobreza

A Arquitetura dos Pobres - - Cultura Alternativa

Erradicação ou perpetuação da pobreza. O Dia Internacional da erradicação da pobreza é dia 17 de Outubro. É duro escrever esta matéria no dia 12, dia da criança, dia de Nossa Senhora da Aparecida, mas, é necessário.

Pobreza

Eu não sei o que é pobreza. Nunca passei por isto, falta do que comer, falta com o que sonhar. Mas, com certeza deve ser um momento horrível da vida de um ser humano e ao ler sobre o Dia Internacional da Erradicação da Pobreza, Pensei.

É um momento único para escrevermos sobre o tema.

A Arquitetura dos Pobres
A Arquitetura dos Pobres

Deve ser absolutamente estranho você não sentir horizontes, não sonhar. Agora, ao escrever sobre o tema, sinto, teria que descobrir caminhos para mim. Sonhar é fundamental no meu dia a dia.

Riqueza

Também nunca passei por isso. Sou classe média alta e penso como seria dizer para os outros que sou financeiramente rico. Será que seria como os que conheço que ostentam bens materiais, e muitas vezes não têm base cultural, informativa, intelectual.

Creio que há a riqueza cultural, isto ninguém me tira da cabeça, mas, também há a física e deve ser muito boa.

Dizer-se rico em espírito e cultura, aí sim o diferencial. O mundo se torna mais vivo, nem leve, nem pesado, vivo com suas nuances, caminhos, rumos e trilhas. Mas, o mundo com certeza se torna incomensurável.

Ouro
Ouro

Erradicação ou perpetuação da pobreza

Rendas

A pobreza, segundo a Fundação Getúlio Vargas, triplicou no Brasil. O número de pobres saltou de 9,5 milhões em agosto de 2020 para mais de 27 milhões em fevereiro de 2021. Para piorar a situação, a alta de preços nos alimentos dificultou a vida de quem mais precisa. Está faltando comida na mesa. Tem muita gente com fome.

A pesquisa da Locomotiva considera como classe média famílias com renda mensal per capita (por pessoa) entre R$ 667,87 e R$ 3.755,76.

O Infomoney diz que os ricos, ganham em média, R$ 68.000,00 por mês.

O IBGE faz a seguinte avaliação quanto às classes sociais por renda:

Classe A: Essa é a parcela mais rica da população brasileira. Ao somar os rendimentos mensais de todos os residentes da mesma casa, o valor total fica acima de 20 salários mínimos, isto é, mais de R$ 22 mil. Se você faz parte dessa parcela, você está entre os mais ricos do Brasil.

Classe B: Na classe B estão inclusos as famílias que recebem mais de 10 salários mínimos e no máximo 20 salários mínimos. Portanto, a renda mensal fica entre R$ 11.001 e R$ 22 mil.

Classe C: As famílias com rendimentos totais acima de quatro e até dez salários mínimos estão enquadrados na classe C. Dessa maneira, os rendimentos ficam entre R$ 4.401 e R$ 11 mil.

Classe D: Nessa classe estão as famílias com rendimentos acima de dois e até quatro salários mínimos. Logo, os salários totais variam entre R$ 2.201 e R$ 4.400.

Classe E: Por fim, temos a classe E, onde os rendimentos mensais são no máximo dois salários mínimos, isto é, R$ 2.200.

A Verdade

As fontes são muitas e você pode avaliar em que classe você está.

Mas, a verdade é … O que é que você quer para sua vida? O que você tem a oferecer para uma melhoria do mundo e da sociedade? Qual a sua formação? O que você tem como semente ou escrutínio curricular para nos dar?

Fico aqui pensativo, sinto que a erradicação nacional e internacional da pobreza está distante, e na verdade, o que está próximo é a perpetuação da pobreza e da miséria. E para os poucos que descobrirem o filão, o pulo do gato, o reconhecimento da inovação, da criatividade, da produção, para estes espero que o mundo seja melhor.

Muitos reclamam, poucos tem algo a oferecer e eu estou tentando, diariamente, oferecer algo incrível para o mundo e não sei se estou conseguindo através da minha arte, jornalismo e criação.

Vamos torcer que sim, mas, sinto que financeiramente não há valorização.

Anand Rao

Editor do Cultura Alternativa