Como escritores independentes podem imprimir suas obras?

Escritores independentes

Como escritores independentes podem imprimir suas obras?

O mundo se torna mais conectado a cada dia. Prova é dada pelo número expressivo de aparelhos digitais em todo o País: são 420 milhões.

Destes que incluem computadores, notebooks e tablets, 230 milhões são smartphones, segundo dados disponibilizados pela 30ª Pesquisa Anual de Administração e Uso de Tecnologia da Informação nas Empresas, realizada pela FGV-SP, Fundação Getúlio Vargas de São Paulo.

Porém, na contramão deste movimento, um item mostra que não será tão substituído tão cedo: o livro.

Um estudo realizado pelo Pew Research Center, com foco em informações e tendências relevantes nos Estados Unidos e restante do mundo, demonstrou que pouquíssimas pessoas trocaram, de fato, o livro físico por alguma ferramenta que faça um intermédio digital – apenas 6%.

Diante desse cenário, fica fácil entender que paixão pela literatura vai muito além das palavras.

“Sabemos que leitores gostam de andar com seus livros, vislumbrar sua capa e até mesmo sentir o cheiro. É parte de um ritual que acompanha esse momento especial”, diz Camila Eskenazi, sócia-fundadora da Gráfica Online Eskenazi.

E foi pensando no prazer que o momento da leitura envolve que a Gráfica Online Eskenazi expandiu seu portfólio, com foco na impressão de livros. “A impressão de um livro é diferenciada. Trabalhamos muito para tornar esse processo impecável e acessível”, comenta.

Camila segue dizendo que todo o desenho foi feito pensando em escritores independentes.

“Queremos que novas obras circulem por aí. Livros são inspiradores e, ao vermos a possibilidade de oferecer um bom material a preço justo, decidimos investir. Dessa forma, podemos incentivar a cultura e, mais do que isso, dar voz a novas possibilidades e histórias”, finaliza.

Acompanhe as publicações do Cultura Alternativa