Saiba como tratar problemas de pele comuns no verão

exposição ao sol , dermatologista erasmo tokarski

Exposição ao sol o dermatologista Erasmo Tokarski comenta como tratar problemas de pele comuns no verão

Dermatologista dá dicas sobre os cuidados necessários para tratar as lembranças indesejadas das férias

O verão chegou e com ele o período de férias. É um momento difícil de resistir à tentação de passar muito tempo embaixo do sol, aproveitando as praias, piscinas e atividades ao ar livre que essa estação mais quente do ano oferece.

Infelizmente, para algumas pessoas, junto com a marquinha de biquíni pode vir também alguns problemas típicos da temporada, entre eles, micoses, manchas e descamação. E a pele é o órgão mais afetado pela mudança de ares.

Um dos principais efeitos da alta exposição ao sol é o surgimento do melasma (manchas escuras que podem piorar com o sol e outros fatores desencadeantes, como gravidez, uso de anticoncepcional e desequilíbrios hormonais).

Dermatologista Erasmo Tokarski comenta como tratar problemas de pele

Segundo o dermatologista Erasmo Tokarski, o básico da proteção é o uso do protetor solar UVA e UVB e, no verão, o fator de proteção deve ser maior existente.

Para o médico que atua na área da Dermatologia, Estética e Cirúrgica há mais de 30 anos, até mesmo embaixo da barraca, na praia, deve-se usar o filtro solar, porque a pele pode ser afetada pelo reflexo do Sol na areia.

“Geralmente as manchas afetam o rosto, e na maioria dos casos, ocorre nas mulheres. As peles morenas e negras são mais propensas ao melasma, justamente por terem maior quantidade de melanina”, conta.

Exposição ao sol

Dependendo do grau, a condição afeta muito a autoestima, principalmente porque atinge uma das áreas mais visíveis do corpo, o rosto.

O dermatologista conta que é normal por causa da ansiedade para melhorar as manchas, as mulheres recorrerem para receitas caseiras e automedicação. Segundo ele, um erro que pode agravar o caso.

 “Usar bicarbonato, açafrão, essas receitas caseiras são balela, não são eficazes. E quem usa medicamentos sem orientação corre o risco de enfrentar novas manchas, dessa vez por conta do mal-uso de alguma fórmula”, alerta o especialista.

Infelizmente, o melasma não tem cura, mas tem tratamento. Com o procedimento adequado é possível ficar sem as manchas. Entretanto, como diz o Dermatologista Erasmo Tokarski, o paciente deve tomar os devidos cuidados, como utilizar com frequência o protetor solar e buscar acompanhamento.

“É muito importante buscar ajuda profissional e tentar controlar o quadro do melasma, pois a doença costuma voltar mais resistente”, orienta o médico.

Conheça outros problemas frequentes na volta das férias:

☀️ Micoses:

A combinação de calor e umidade é perfeita para proliferação de fungos. Geralmente, as micoses surgem entre os dedos das mãos e pés, unhas e virilha. Medicamentos de uso tópico são indicados para o tratamento.

A prevenção inclui alguns hábitos, como secar-se após o banho, principalmente nas áreas de dobras da pele; não andar descalço em áreas úmidas e evitar usar sapatos fechados por longos períodos.

☀️ Descamação:

O excesso de exposição ao sol danifica a pele, acelerando o processo de renovação. Para evitar lesões, a pele que está descamando não deve ser puxada. O recomendação é usar hidratantes e, em alguns casos, loções calmantes para aliviar a sensação de ardência e calor.

☀️Acne solar:

A mistura do protetor solar com a oleosidade da pele pode provocar acne. Para escapar do problema, o ideal é utilizar produtos específicos para cada tipo de pele, como sabonetes, tônicos e protetores. Quem tem mais oleosidade, por exemplo, deve usar fórmulas oil free.

☀️ Brotoejas:

Provocadas pelo entupimento das glândulas sudoríparas. Essas incômodas bolinhas podem vir acompanhadas de vermelhidão e coceira. Acomete principalmente as crianças. A principal dica para evitá-las é utilizar roupas frescas durante o verão.

O problema geralmente desaparece sozinho, quando o calor e a umidade do ambiente diminuem, e o paciente permanece em ambientes frescos, ventilados ou com ar-condicionado. Se os sintomas não desaparecerem é indicado procurar ajuda de um profissional da área de saúde.