Extinção de 60 mil cargos para terceirizar

Extinção de 60 mil cargos para terceirizar.

Extinção de 60 mil cargos para terceirizar.

Extinção de 60 mil cargos, terceirização. A Condsef/Fenadsef acredita que o decreto abre caminho para a terceirização e encomendou estudo para a Assessoria Jurídica para confirmar. Isso mostra como o governo Temer é desacreditado. Decretos, Editais, tudo é motivo para avaliação criteriosa e desconfiança.

 

Algumas funções e cargos contidos no decreto inclusive já foram ou estão em processo de extinção. No entanto, isso não significa que o Estado e, portanto, nós brasileiros, deixaram de pagar por eles.

 

Vale ressaltar que com as novas regras impostas pela reforma Trabalhista a empresa tem condições de contratar um funcionário com vínculo precarizado para prestar serviços que o Estado tem a obrigação de fornecer a todo cidadão. A mão de obra, portanto, não deixará de ser necessária.

 

O que ocorre é que sem concurso para as funções extintas a União transfere para um terceiro a responsabilidade de contratar. Muitas denúncias já apontam que empresas contratam funcionário por valores bem menores do que aqueles que apontam nas licitações como necessário para contratar.

 

Extinção de 60 mil cargos para terceirizar – O uso da mídia

A mídia, principalmente, a tradicional serve de porta voz para os atos do governo, como também, da oposição. Com uma redação maior, pode avaliar com mais critério, norteado de dados, uma ação. Nós da mídia alternativa temos que ter algo que nos evidencie, e isto é a opinião sob outra ótica.

 

Num ano de eleição, é importante você não acreditar na mídia. Colunistas bem avaliam posturas governamentais, mas, a mídia informativa traduz o que é colocado em sites oficiais. Para se informa, é bom você ler de tudo um pouco. Da mídia tradicional à alternativa. A alternativa, geralmente, não é patrocinada pelo governo nem oposição e pode ter opiniões independentes.

 

Extinção de 60 mil cargos para terceirizar – Alardear para informar os ingênuos

Quando é feito muito alarde sobre uma notícia como foi o caso da extinção dos 60  mil cargos, sempre fique com um pé atrás, quer neste governo quer nos que virão. Emprego, num país sem emprego, é fundamental. Um governo só mantém sua integridade e alinhamento com funcionários por ele nomeados. Geralmente, se eleito, tem inúmeros cargos que pode preencher e preenche usando critérios políticos.

 

É fácil fazer isso com terceirizações ou cargos de confiança. Portanto, fique atento a estas extinções de cargos que dependem de concurso público. O concurso, se for liso, nomeará pessoas qualificadas e não indicações políticas.

 

José Alexandre

Leitor do Cultura Alternativa

http://culturaalternativa.com.br/