Fatos que você não sabe sobre E-Books

Fatos que você não sabe sobre E-Books

Fatos que você não sabe sobre E-Books

Um estudo coordenado pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) e pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e executado pela Nielsen Book revelou que o faturamento de livros digitais, os famosos E-Books, no Brasil cresceu 115% entre 2016 e 2019.

A pesquisa aponta ainda que, no ano passado, foram vendidos um total de 4,7 milhões de livros digitais no País.  Só no Clube de Autores, maior plataforma de autopublicação da América Latina, foi registrado, entre abril e julho deste ano, um aumento de 40% nas vendas em comparação ao mesmo período de 2019.

Ainda, segundo o estudo, os livros digitais fecharam o ano passado com 4% de participação total no mercado, ou seja, 96% do consumo de livros no Brasil ainda é feito em meio físico (e essa proporção não deve mudar de maneira significativa tão cedo uma vez que a venda de impressos também tem crescido no Brasil a ritmos poderosos).

Nos Estados Unidos e países europeus, a participação digital frequentemente passa dos 20%. Diante este cenário, ainda existem algumas dúvidas sobre o mercado de E-Books no País.

Fatos que você não sabe sobre E-Books

O que saber sobre E-Books

1 – Um formato não anula o outro

Não é preciso escolher apenas um ou outro, a melhor alternativa para autores é lançar um livro em todos os formatos possíveis.

Quanto mais opções para o leitor, melhor. Não se deve ignorar o fato de que o que tem crescido no Brasil é o hábito de leitura, e não apenas o hábito de leitura de livros eletrônicos. A venda de impressos, inclusive, registrou aumentos até maiores que a de E-Books.

2 – Nunca foi tão fácil publicar um E-book

Hoje em dia a autopublicação digital é uma opção extremamente, acessível não importa quem você seja, nem onde você esteja.

3 – Formatos para publicação

Quando se fala em E-book é importante ter em mente que o mercado costuma trabalhar com dois formatos diferentes: PDF, que tende a ser a maneira mais fácil, pois pode ser gerado a partir do livro em formato Word; EPub, neste caso é preciso procurar por programas específicos que fazem essa conversão, alguns são gratuitos.

Mas caso o livro seja um pouco mais complexo, com imagens e ilustrações por exemplo, vale a pena contratar algum profissional que faça esse serviço de maneira mais cuidadosa e personalizada.

4 – Não há necessidade de ter registo ISBN

Hoje, nenhuma das plataformas de E-book efetivamente exige o ISBN (International Standard Book Number), sistema que identifica numericamente os livros segundo o seu título, autor, país, edição e editora.

Isso significa que você poderá revender o seu livro lá sem se preocupar com isso. Porém, o ideal é que tenha. Há inclusive uma categoria específica para isso, o eISBN, feito para livros eletrônicos.

αcσmpαnhє αs nσtícíαs dσ culturα αltєrnαtívα