Filmes sobre o Nazismo que você precisa assistir para entender melhor o assunto

Um dos momentos mais sombrios da humanidade, o Nazismo, deixou feridas não só naqueles que tiveram suas famílias executadas brutalmente, mas sim o mundo inteiro

Que teve de assistir aquelas atrocidades comandadas por um ser que não merece o título de homem.

Hitler é conhecido como arquiteto da destruição, uma vez que sua ideologia teve bastante influência da arte (principalmente vanguardista – que trouxe formas diferente do realismo -, e tudo o que era exagerado ou surreal, foi tido como fora dos padrões da beleza alemã). Vale lembrar, também, que o líder nazista sempre sonhou em ser artista, mas não teve sorte na profissão.

Quanto maior a mentira, maior é a chance dela ser acreditada. – Adolf Hitler

Confira nossa lista especial de filmes que abordam esse tema tão estudado em diversas partes do mundo. Minha principal sugestão daqui é, sem dúvida, o documentário suéco de Peter Cohen “Arquitetura da Destruição”, conhecido como um dos principais estudos sobre o Nazismo.

Triunfo da Vontade (1935) | Leni Riefenstahl

O congresso Nacional-Socialista alemão de 1934 é documentado de maneira impressionante pela cineasta Leni Riefenstahl. No início, um bimotor desce dos céus, Adolf Hitler sai sorridente e é ovacionado pela multidão. Tudo é gigantesco: são paradas, desfiles monumentais e discursos para um público em total catarse. Um espetáculo cinematográfico hipnótico e terrificante que retrata, com imagens fortes, toda a pompa (e a barbárie) do regime nazista.

O Grande Ditador (1940) | Charles Chaplin

Em meio a Segunda Grande Guerra Mundial, judeus estavam sendo esmagados pelo preconceito alemão. Chaplin, genialmente, interpreta os dois protagonistas da história: o ditador Adenoid Hynkel (em clara referência a Hitler) e o barbeiro Judeu. Irônico e atrevido, este filme lhe causou sua expulsão dos Estados Unidos, mas criou também uma obra-prima única com uma das melhores mensagens anti-guerra já transmitidas ao homem.

Arquitetura da Destruição (1989) | Peter Cohen

O filme de Peter Cohen lembra que chamar a Hitler de artista medíocre não elimina os estragos provocados pela sua estratégia de conquista universal. O veio artístico do arquiteto da destruição tinha grandes pretensões e queria dar uma dimensão absoluta à sua megalomania. Hitler queria ser o senhor do universo, sem descuidar de nenhum detalhe da coreografia que levava as massas à histeria coletiva a cada demonstração. O nazismo tinha como um dos seus princípios fundamentais a missão de embelezar o mundo. Nem que, para tanto, destruísse todo o mundo.

A Lista de Schindler (1993) | Steven Spielberg

A história real ronda em torno do alemão Oskar Schindler, que viu na mão-de-obra judia uma solução barata e viável para lucrar com negócios durante a guerra. Com sua forte influência dentro do partido nazista, foi fácil conseguir as autorizações e abrir uma fábrica. O que poderia parecer uma atitude de um homem não muito bondoso transformou-se em um dos maiores casos de amor à vida da História, quando este alemão abdicou de toda sua fortuna para salvar a vida de mais de mil judeus, em plena luta contra o extermínio alemão.

A Vida É Bela (1997) | Roberto Benigni

Ambientada na dura realidade da Segunda Guerra Mundial, é uma comovente fábula Chapliniana de amor e fantasia, que conta a história de um homem que usou a imaginação e seu infatigável espírito para salvar aqueles a quem mais amava.

O Pianista (2002) | Roman Polanski

As memórias do pianista polonês Szpilman são retratadas nesse emocionante filme, contando como começaram as restrições aos judeus em Varsórvia e como conseguiu sobreviver ao Holocausto. Incrementado com cenas chocantes e belas músicas, o filme venceu 3 Oscars e a Palma de Ouro em Cannes.

Fonte cantodosclassicos