Fleming, Toninho e Achiles, as cordas de Brasília choram

Cultura Alternativa - Luthier Achiles

Cultura

Fleming, Toninho e Achiles, as cordas de Brasília choram

Resolvi refletir um pouco sobre o violão em Brasília. Primeiro, a partida do meu professor Luciano Fleming, depois, do meu amigo Toninho Maia, e agora, do Luthier Achiles.

Minha História com eles

Conheci Luciano o violonista, ia de carona com meu violão ter aula com ele, meus pais me levavam a contragosto, e depois, segui meu caminho neste instrumento.

Conheci Toninho Maia, admirei o grupo artimanha, ouvir seus solos, e depois, vi o mesmo tocando numa casa de comida natural.

Levei meus violões para Achiles, agora quem lida com eles é Rafa Luthier, e soube ontem de sua passagem, do falecimento de Achiles pelo Rafa.

Choro

Chorar pela passagem desses mestres, óbvio. Admirar o que fizeram em vida, óbvio. Sentir saudades deles, óbvio. E será que nosso país soube valorizar o que estes fizeram pela cultura. Será que nosso país vem valorizando aqueles que são menos famosos e que fazem muito pela música.

Será que no país da intolerância, a tolerância pela leitura do meu texto vai acontecer? Reflito e confesso que a tristeza envolve meu coração neste momento.

Vivendo intensamente

Por isso, digo a todos vocês, vivo cada segundo da minha vida como se fosse o último. Tenho viajado ininterruptamente pelo Brasil e pretendo viajar mundo afora.

Ninguém para minha vontade de viver intensamente minha vida. O meu dia a dia é padronizado pela felicidade e por ações que desejo ter. Tudo me importa. Vivo e não tenho vergonha de ser feliz.

Cultura

A cultura com fama nacional, difundida com milhões de seguidores nas redes sociais, no nosso país tem valor. Mas, a alternativa, independente, o lado B da cultura, esse não. As verbas destinadas ao lado B, são desviadas quando orçamento tem dificuldade. Ser lado B aqui, é ser uma besta.

Saudades

Minhas saudades e homenagens aos mestres: Toninho, Luciano Fleming e Achiles. Minha preocupação com o jovem Rafa Luthier, que aqui vive, e quer viver desta profissão.

Mas, acima de tudo, a admiração do cultura alternativa ao lado B, aos alternativos, independentes, que tentam diuturnamente mudar o nosso país.

Pós Pandemia

Vocês devem acreditar em si mesmos, e por favor, não desistam, não se tornem depressivos, não se tornem ansiosos, não estraguem suas vidas. Não sejam regidos por governantes. Rejam-se, administrem-se, e acreditem no seu potencial.

Tristeza total por aqui, ao lembrar destes três mestres, tristeza por sentir saudade, mas, alegria ao saber que muito fizeram pela cultura brasileira. Viva a vida.

Anand Rao

Editor Chefe

Cultura Alternativa

Cultura Alternativa