IMAGEM DOS POVOS MULHERES

IMAGEM DOS POVOS MULHERES

Imagem dos Povos – Mulheres anuncia nova edição

Mostra vem mais atual que nunca, celebrando o cinema feito por mulheres

A mostra “Imagem dos Povos – Mulheres” ocupa o charmoso MIS Santa Tereza entre os dias 08 e 19 de março, focando no protagonismo feminino na produção audiovisual. Dedicada às profissionais que fazem cinema, todos os filmes selecionados foram dirigidos por mulheres.

Ao todo, serão exibidos 48 filmes de dez países, divido em três programas. Panorama Mundial e Panorama Brasil apresentam as tendências da produção audiovisual. Já o Cinemateca apresenta Alice Guy-Blaché – uma homenagem à primeira cineasta de ficção da história do cinema. São 28 filmes com direção da francesa e quatro filmes que contextualizam a sua história. Este último programa também será exibido na web no imagemdospovos.com

Filmes inéditos e pré-estreias compõe a Mostra

É o caso dos filmes de abertura selecionados especialmente para serem exibidos no Dia Internacional da Mulher. O aguardado “Três Verões” de Sandra Kogut, com Regina Casé no elenco vem causando burburinho desde que foi anunciado e promete mais uma performance marcante da atriz. “Be Natural”, documentário de Pamela B. Green sobre Alice Guy-Blaché é narrado por Jodie Foster e tem participação de importantes artistas como Agnès Varda, Julie Delpy, Ben Kingsley e Diablo Cody.

Outro filme que também faz sua pré-estreia na mostra (14/03) com a presença da diretora é “Aos Olhos de Ernesto”, de Ana Luiza Azevedo, que conta com delicadeza a relação fraternal entre um senhor e uma jovem, uma coprodução Brasil – Uruguai.

Películas de diversas partes do mundo completam a programação, incluindo o sucesso mexicano “A Camareira”, de Lila Avilés (14/03), o escolhido do México para representa-los no Oscar e o peruano Canção sem Nome, de Melina Leon, que encerra a mostra na quinta-feira (19/03). Este último foi exibido na quinzena dos realizadores no Festival de Cannes do ano passado. Já a coprodução belga, croata, francesa e macedônia “Deus é mulher e seu nome é Petúnia”, de Teona Strugar Mitevska, aborda os desafios das mulheres em lugares onde as tradições locais as excluem.

Vale destacar ainda a importância de uma mostra inclusiva com a acessibilidade nos filmes garantida pela legenda descritiva, em português ou libras. Todas as sessões serão comentadas pelas curadoras e/ ou diretoras.

A programação completa está abaixo. E informações detalhadas sobre cada película serão enviadas em seguida.

A mostra “Imagem dos Povos – Mulheres” é realizada com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte.

Imagem dos Povos – Mulheres

Sobre o Imagem dos Povos

Criada em 2005, é uma Mostra internacional de conteúdo audiovisual única no Brasil por ser realizada desde sua origem em múltiplas plataformas (cinema, televisão e web). Sempre buscando as tendências na produção e no mercado, exibiu mais de mil e trezentas produções, realizou seminários internacionais e workshops de excelência, estabelecendo parcerias com realizadores, festivais e fundos de financiamento e fomento, promovendo o intercâmbio de realizadores mineiros com artistas e produtores de mais de 60 países.

Seu foco é a difusão de conteúdos da diversidade cultural e humana, buscando enfatizar as temáticas contemporâneas.

A idealização, realização, direção e curadoria geral são de Tâmara Braga Ribeiro, Maíz d’Assumpção e Adyr Assumpção.

IMAGEM DOS POVOS MULHERES

SERVIÇO

Imagem dos Povos

De 08 a 19 março no MIS Santa Tereza (R. Estrela do Sul, 89 – Santa Tereza). Programação completa

A programação é gratuita e os ingressos precisam ser retirados na bilheteria do MIS Santa Tereza antes das sessões.

*Programação sujeita a alteração sem aviso prévio.

Programação Detalhada

Dia 8 de março – domingo

• Sessão às 17h

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

Estreia

Be Natural – A História não contada de Alice Guy-Blaché

Direção: Pamela B. Green

2018,EUA,120 min, Livre

Documentário

Legendado em Português

Quando Alice Guy-Blaché terminou seu primeiro filme em 1896, em Paris, ela não era apenas a primeira cineasta mulher, mas também a primeira pessoa a realizar um filme de ficção. BeNatural: A História não contada de Alice Guy-Blaché segue sua trajetória, desde secretária na Gaumont até sua indicação como Diretora de Produção em 1897, e sua subsequente carreira de sucesso de 20 anos na França e nos Estados Unidos, como fundadora de seu próprio estúdio, além de roteirista, diretora e\ou produtora de mil filmes – e depois completamente apagada da história.

• Sessão às 19h

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

Pré Estréia

Três Verões

Direção: Sandra Kogut

2019,Brasil, 93 min, 12 anos

Ficção

Legendagem Descritiva em Português

A cada verão, entre Natal e Ano Novo, o casal Edgar e Marta recebe amigos e família na sua mansão à beira mar. Em 2015 tudo parece ir bem, mas em 2016 a mesma festa é cancelada. Madá (Regina Casé), a empregada responsável por toda a administração doméstica, vivencia a decadência do casal, vítimas do sonho neoliberal.

Dia 10 de março – terça-feira

• Sessão às 17h00

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

Pré Estréia

Chão

Direção: Camila Freitas

2019, Brasil, 112 min, Livre

Documentário

Enquanto o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) realiza protestos e movimentações para pressionar o governo a aprovar uma reforma agrária que redistribuirá o território de uma usina prestes a falir, um grupo de conservadores ligados a latifundiários luta para acabar com as manifestações dos ocupantes.

Dia 11 de março – quarta-feira

• Sessão às 17h30

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

A Rainha Nzinga Chegou

Direção: Isabel Casimira e Júnia Torres

2019, Brasil, 74 min, Livre

Documentário

Legendagem em Português

Uma orquestra percussiva, de sonoridade encorpada e ritmo altivo, anuncia a entrada triunfal da Rainha Nzinga, uma das mais importantes figuras das histórias africana e negra. Líder do Reino do Ndongo, território que hoje faz parte da Angola, a monarca que enfrentou os avanços imperialistas e escravagistas dos portugueses, nos idos do século XVII. A Rainha Nzinga inspira a comunidade do Reino Treze de Maio, uma irmandade negra de caráter essencialmente religioso que descende da espiritualidade e das normas praticadas por Nzinga, mas que não está na África e sim em Minas Gerais.

• Sessão às 19h30

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

Poder

Direção: Sabrina Rosa

2018, Brasil, 18 min, 14 anos

Curta – Ficção

Legendagem em Português

Filme Poder conta a história de quatro amigas negras vivendo seus dramas cotidianos. Para relaxar, decidem ir a uma cachoeira. Durante o banho, recebem uma carga energética que lhes dá superpoderes. Com os poderes recebidos, Linda, Maria, Paula e Claudinha optam por usá-los e enfrentar os desafios de cada uma, um por um, transformando-se em heroínas do mundo real.

Nona, Se me Molham, eu os Queimo

Direção: Camila José Donoso

2019, Chile/Brasil/França/Coreia do Sul, 86 min, 14 anos

Ficção

Legendagem em Português

Aos 66 anos, Nona decide finalmente se vingar de seu ex-amante e comete um atentado que a obriga a fugir para que não seja presa. Depois de finalmente se estabelecer em uma cidade costeira do Chile, um incêndio de grandes proporções obriga seus vizinhos a deixarem suas casas, mas estranhamente sua moradia é a única a não ser afetada.

Dia 12 de março quinta-feira

• Sessão às 17h30

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

A Casa

Direção: Letícia Simões

2019, Brasil, 93 min, 12 anos

Documentário

Legendagem Descritiva em Português

Letícia, a filha recém-separada, se culpa por ter se distanciado da mãe em dez anos longe de casa; Heliana, a mãe, está encarando uma séria crise depressiva que começou depois da decisão de colocar a sua mãe, Carmelita, num asilo de idosos. Na construção dos espaços de afeto entre essas mulheres, CASA questiona o que é sanidade, o que é memória, o que é o feminino, o que é a solidão, o que é família, o que é casa.

• Sessão às 19h30

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

Eu, um outro

Direção: Silvia Godinho

2019, Brasil, 110 min, Livre

Documentário

Legendagem em Português

Luca deixou sua cidade há 12 anos. Ao regressar, decidiu ir atrás de seu primeiro amor. Ele não esperava que esse reencontro fosse colidir com a maior decisão de sua vida. Thalles é segurança de banco. Ele odeia seu trabalho e planeja mudar de vida. Raul é estudante de filosofia e quer ser professor. Os três têm em comum a urgência de viver uma vida que acaba de começar.

Dia 13 de março sexta-feira

• Sessão às 17h30

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

Los Silêncios

Direção: Beatriz Seigner

2018, Brasil/Colômbia/França, 89 min, 12 anos

Drama

Legendagem em Português

Fugindo da violência dos conflitos armados na Colômbia, Núria, Fábio e sua mãe, Amparo, chegam a uma ilha desconhecida, na fronteira entre Brasil, Colômbia e Peru. Ali, a família descobre que o pai, supostamente morto num deslizamento de terra de uma mineradora, se esconde em uma das casas da ilha. Com medo de trair esse segredo, Núria cai em um silêncio profundo.

• Sessão às 19h30

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

Uma mulher extraordinária

Direção: Sherry Horrmann

2019, Alemanha, 90 min, 14 anos

Drama

Legendagem em Português

Inspirada pelos trágicos acontecimentos da vida real de Hatun “Aynur” Sürücü, uma jovem e vibrante mãe turca que estava recomeçando a vida em Berlim quando foi assassinada aos 23 anos pelo irmão mais novo, em um crime de honra. Forçada a um casamento abusivo com um primo em Istambul, quando tinha 16 anos, por sua devota família muçulmana, Anyur foge para Berlim e dá à luz um filho. Considerada um fardo vergonhoso por seus pais e irmãos, Anyur decide deixar sua família para trás e tenta iniciar uma nova vida. Festival de Tribeca 2019

Dia 14 de março sábado

• Sessão às 17h

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

Jonas e o Circo sem Lona

Direção: Paula Gomes

2015, Brasil, 81 min, Livre

Infanto-juvenil

Jonas tem 13 anos e seu sonho é manter vivo o circo que ele mesmo criou no quintal de casa. Enquanto luta por isso, Jonas vai atravessar a grande aventura de crescer.

• Sessão às 19h

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

A Camareira

Direção: Lila Avilés

2019, México/EEUU, 102min, 14 anos

Legendagem em Português

Eve (Gabriela Cartol) é uma jovem mãe solteira que trabalha longas horas como camareira em um hotel de luxo na Cidade do México. Sonhando com uma vida melhor, ela se inscreve no programa de educação para adultos do hotel. Porém, ela logo percebe que nem sempre quem faz o trabalho pesado é recompensado

Dia 15 de março domingo

• Sessão às 17h

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

Deus é mulher e seu nome é Petúnia

Direção: Teona Strugar Mitevska

2019, Bélgica/ Croácia/ Eslovénia/ França/ Macedónia, 100 min, 14 anos

Drama

Legendagem em Português

Em Stip, uma pequena cidade da Macedônia, sempre no mês de janeiro o padre local joga uma cruz de madeira no rio e centenas de homens mergulham atrás dela. Quem recuperar o objeto tem garantia de boa sorte e prosperidade. Desta vez, Petúnia mergulha na água por um capricho e consegue agarrar a cruz antes dos outros, deixando os concorrentes furiosos: ‘como ousa uma mulher participar do ritual’? Todo o inferno se abre, mas Petúnia mantém o seu chão. Ela ganhou a cruz e não vai desistir.

• Sessão às 19h

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

Pré Estreia

Aos olhos de Ernesto

Direção: Ana Luiza Azevedo

2019, Brasil/Uruguai, 100 min, 12 anos

Drama

Legendagem em Português.

Presença da diretora

“Aos olhos de Ernesto” conta a história de um velho fotógrafo que está ficando cego e tenta conviver com as limitações da velhice. E o que Ernesto descobre é que ser velho pode não ser apenas aprender a conviver com as perdas, com a solidão, com a memória ou com a falta dela. Ser velho pode ser também divertir-se com a companhia dos seus fantasmas, deliciar-se com as imagens borradas da cegueira, rejuvenescer com a frescura da convivência com uma jovem menina que descobre a vida, reencontrar velhas amizades. E, ainda, perceber que a vida e o amor são possíveis, também, aos 80 anos.

Dia 18 de março quarta-feira

• Sessão às 19h30

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

Os Olhos de Cabul

Direção: Zabou Breitman e Eléa Gobbé-Mévellec

2019, França, Luxemburgo, Suíça, 82min, 14 anos

Animação

Legendagem em Português

No verão de 1998, a cidade de Cabul, no Afeganistão, é ocupada pelo Talibã. Mohsen e Zunaira são um casal apaixonado que, pesar da violência e destruição a sua volta, deseja acreditar que há esperança em seu futuro. Porém, um ato sem sentido cometido por Mohsen pode arruinar suas vidas para sempre.

Dia 19 de março quinta-feira

• Sessão às 17h30

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

Yãmiyhex, As Mulheres-Espíritos

Direção: Sueli Maxakali e Isael Maxakali

2019, Brasil,76 min, Livre

Documentário

Após passarem alguns meses na Aldeia Verde, as yãmĩyhex (mulheres-espírito) se preparam para partir. Os cineastas Sueli e Isael Maxakali registram os preparativos e a grande festa para sua despedida. Durante os dias de festa, uma multidão de espíritos atravessa a aldeia. As yãmĩyhex vão embora, mas sempre voltam com saudades dos seus pais e das suas mães.

• Sessão às 19h30

Seleção Alice Guy-Blaché

1896 – 1916, França/EUA, Livre, 2 min

Canção sem nome

Direção: Melina León

2019, Peru/Espanha/EUA, 97 min, 12 anos

Drama

Legendagem em Português

No auge da crise política dos anos 80, a jovem Georgina tem a sua filha recém-nascida sequestrada em uma clínica de saúde falsa. Sua busca a leva a procurar todos os jornais do Peru para relatar a história e procurar autoridades que consigam ajudá-la. Quando Pedro, um dedicado jornalista, conhece a sua história, se prontifica a encontrar o bebê a qualquer custo.