Independente, ninguém me governa

Venci - Cultura Alternativa

Venci

Independente, ninguém me governa, cansei dessa porra toda

Sou ingovernável.

Tenho ideias próprias, ações independentes da massa e sou impopular.

Gosto de ficar calado e todos pensam que determinaram minhas ações.

Minhas atitudes assustam, não têm parâmetros, nem longitude, nem latitude.

Sexo é fundamental e viver sem nexo constitucional.

Meu limite é o espaço do outro e meu palco a internet.

O Balofo

Desde criança sou o balofo.

O não escolhido para o time de futebol.

O criticado sob todos os aspectos.

E segui, e venci, e fodam-se todos com todo o respeito.

O canceroso e diabético

Três cânceres e diabetes.

Sem sono à noite, 20 livros publicados e 50 CDs lançados.

Despertando paixões e iras, bem como, pauxões, de pau mesmo, e por aí vai.

Adorando Hermeto Pascoal e Gismonti, bem como, meu pai, o indiano que não se naturalizou e perdeu um cargo nas Nações Unidas, cabra macho, arrochado.

Entre linhas, nunca descanso.

E hoje, minha vida é sexo.

Indiscutível

Perco todas as discussões, pois, não discuto.

Todos vencem, venceram e vencerão todas as discussões comigo.

Busco mesmo, não ser meu inimigo.

Sou infinitamente meu amigo.

Muitas pedras e nenhuma

Um caminho cheio de pedras.

E desvio de todas, e chuto todas, e elas não me machucam, e elas são trituradas na minha terra sem gigantes.

Não sou micro, nem macro, sou apenas quem sou e não quero ser quem você quer que eu seja.

Rock, soul, jazz

Rock, soul, jazz e a proliferação dos burros está na propagação do sertanejo, funk, músicas de furúnculos e sem futuro.

Bando de babacas, onde com toda a certeza você me acha o maior babaca e eu morro de rir sem sorrir.

Cansei dessa porra toda.

Direito. Medicina, Jornalismo, puro mercado

Separe e nutra os advogados.

Saia na porrada e seja para profissão para este segmento, que fica rico a cada dia e faz petições, poesia, sem me possuir.

Processe o governo e nunca vença.

Trate da saúde e fique pobre.

Medicina, mercado, economia.

Não economize, fique pobre, depois, da consulta e compre o remédio do laboratório sócio do médico.

Escarre nessa boca que te beija.

Leia a mídia, vendida para os patrocinadores e esteja sempre desinformado nesse mundo capitalista.

Seja narcisista

Sem pólipo

E por fim, estou alegre pra caralho, pois, na última colonoscopia não deu nem um pólipo.

Venci, porra, eu venci e vou viver, e vou viajar, e vou trepar, pois, de paciente, ciente estou, que vou queimar minha guitarra, assim como Hendrix e Quintana.

Alegria, alegria, alegria e vida está a meus pés na voz do meu silêncio.

Anand Rao

Editor Chefe

Cultura Alternativa

Cultura Alternativa