Janeiro é o mês de conscientização sobre a Saúde Mental

Janeiro Branco

Janeiro Branco, é o mês de conscientização sobre a Saúde Mental


Campanha ressalta a importância do autocuidado e da qualidade de vida


Porque a saúde mental está ganhando cada vez mais força em campanhas de prevenção

O Janeiro Branco é uma iniciativa popular criada e orientada por psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais e outros profissionais da saúde com um grande e nobre objetivo: criar consciência de que é necessário cuidar da mente, da saúde mental, mais precisamente.

Segundo dados da OMS, até 2030 a depressão será uma das principais causas de doenças no mundo.

Isso é extremamente significativo visto que transtornos mentais que incluem condições comuns, como a depressão e ansiedade, aquelas agravadas por abuso de álcool e outras substâncias, além distúrbios graves e incapacitantes, como esquizofrenia e transtorno bipolar, poderão ser cada vez mais presentes na população.

Janeiro Branco, mês sobre a Saúde Mental

“O intuito da campanha do janeiro branco é oferecer alternativas para diminuir o impacto negativo de transtornos mentais que, em alguns casos, podem ser imperceptíveis, mas que com o passar do tempo podem se transformar em verdadeiras fontes de mal-estar, tormento, isolamento e até problemas físicos de saúde”, explica César Ciongoli, CEO da BenCorp.

A mente ainda é um grande mistério para a ciência, a subjetividade humana é com certeza um segredo íntimo que permeia a individualidade, a identidade, a formação da personalidade de cada pessoa e tudo aquilo que foi aprendido, absorvido e incorporado em todas as fases da vida, especialmente na infância e adolescência, ecoa para toda a vida e influencia diretamente em como o indivíduo irá encarar a vida e o seus desafios diários.

O tema saúde mental tem sido repetido diversas vezes na mídia, principalmente por conta de algumas celebridades que expuseram suas condições, como: Zayin Malik (ex One Direction), Selena Gomes, Cara Delevigne, Demi Lovato e outros.

O que mais chama atenção nestes casos é que os autores das confissões são muito jovens e já sofrem com os malefícios da depressão.

De acordo com dados da OPAS (Organização Panamericana de Saúde) as condições de saúde mental são responsáveis por 16% da carga global de doenças e lesões em jovens entre 10 e 19 anos, com um agravante extremamente preocupante, hoje o suicídio é a terceira principal causa de morte entre adolescentes de 15 a 19 anos.

Alcançar o bem-estar físico e mental é um grande desafio, tanto que diversos governos no mundo começam a adotar sistemas e políticas públicas de saúde para incentivar programas de prevenção ao adoecimento mental.

Janeiro Branco, mês sobre a Saúde Mental

Como promover a saúde mental?

A promoção da saúde mental permite criar circunstâncias que facilitem as pessoas a encontrarem meios para terem estilos de vida mais saudáveis. Incentivando constantemente que as pessoas não se isolem, discutindo seus problemas e procurando ajuda, principalmente sem ficar na sombra da solidão e indiferença.

É vital que as pessoas tenham a consciência que a saúde mental é algo tratável, que tem cura e que pode ser revertida (dependendo de cada caso). Pessoas com transtornos mentais tornam-se improdutivas, irregulares e ineficientes, o que pode inclusive afetar a economia de uma país.

O papel do Janeiro Branco é estimular ações de psicoeducação das pessoas, fortalecendo a auto-estima, auto-afirmação e desenvolvimento cognitivo e intelectual.

Janeiro Branco, mês sobre a Saúde Mental

Depressão sorridente

E quando a pessoa não demonstra sintomas? Chamada de depressão sorridente, cerca de 89% de 2 mil entrevistados disseram ter sofrido com os sintomas de depressão, mas os mantiveram escondidos de amigos e familiares. Esse dado é de uma pesquisa realizada pela revista Women’s Health e a Aliança Nacional de Doenças Mentais.

Mas como diagnosticar a doença se o paciente não demonstra estar deprimido?! De acordo com a psicóloga Lia Clerot, o distúrbio é mais comum em mulheres do que em homens, e muitas vezes quem sofre desse tipo de depressão se adapta e convive bem. Inclusive, pessoas próximas não conseguem perceber.

 “Sorrisos forçados, fotos felizes, falta de satisfação em atividades que antes eram prazerosas, são algumas das características. Essas pessoas batalham entre a angústia interior e a alegria exterior. Elas assumem uma fachada para esconder os sintomas”, explica.

Ainda, segundo a psicóloga, as pessoas que sofrem com depressão sorridente não devem deixar de procurar ajuda de um especialista.

“É muito importante que o paciente procure ajuda assim que perceber os sintomas, a depressão é uma doença séria que precisa de tratamento especializado, quanto mais demora para pedir ajuda, mais difícil e demorado é o tratamento”, alerta Lia.

Para aqueles que sofrem com esse distúrbio, é importante reconhecer os sintomas para que um profissional possa ajudar “Caso identifique, o paciente deve procurar ajuda imediatamente. O tratamento envolve psicoterapia e em casos mais graves, medicação e acompanhamento de um médico psiquiatra”, diz a psicóloga.

Apoio

O Centro de Valorização da Vida (CVV) é um serviço de apoio gratuito e funciona 24 horas com mais de 50 voluntários, basta ligar 188. A depressão precisa ser tratada para que não chegue a situações extremas.

Posts mais recentes.