Livros biográficos que você precisa ler

Livros biográficos

Livros biográficos que você precisa ler

O livro realiza o milagre da informação e do entretenimento. 

Com ele, viajamos, conhecemos o mundo e lugares, e não é diferente quando se trata de personalidades que, de uma forma ou de outra, contribuíram no desenvolvimento da cultura do pensamento e, consequentemente, do comportamento humano.

Esses personagens foram, e sempre serão, alvos de autores que pretendem mostrar ao mundo o valor que cada um teve no desenvolvimento da história.

Abaixo listo alguns desses trabalhos, nessa “biblioteca de personalidades”.

Livros biográficos

1- Luís Carlos Prestes: Um revolucionário entre dois mundos

De um simples oficial militar até comandante da mais extensa marcha guerrilheira da história uma narrativa que, segundo a crítica, se destaca como a principal referência biográfica de Luís Carlos Prestes. 

No livro “Luís Carlos Prestes – Um revolucionário Entre dois Mundos”, o autor Daniel Aarão Reis destaca a importância de Prestes nas lutas sociais no Brasil, do século XX. 

Na opinião do autor, doutor em história, a história do Partido Comunista Brasileiro se confunde com a biografia de Prestes. Para os que apenas ouviram falar sobre a famosa Coluna Prestes  (1925 – 1927) é a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre esse movimento que revela insatisfação com a República Velha e entre suas reivindicações estava; o voto secreto; a defesa do ensino público; ensino secundário obrigatório para toda a população e erradicar a miséria e a injustiça social no Brasil.

2 – Os tempos de Getúlio Vargas

Importante tomar conhecimento sobre a vida deste gaúcho nascido em São Borja/RS (1883) e que depois de uma breve carreira militar (1900 – 1903), ingressa na faculdade de Direito onde se forma advogado em 1907 e, em 1909 entra na política de onde só sairia morto pelo suicídio em 24 de agosto de 1954. 

Provavelmente, sua vida pública começa a tomar notoriedade na década de 30, quando comandava o fim da República Velha, assume a chefia do Governo Provisório e, em seguida, implanta a ditadura. 

No livro “Os Tempos de Getúlio Vargas”, o autor José Carlos Mello traça um perfil de Getúlio Vargas a partir do início da década de 1930 até a sua morte com um tiro no peito em 1954. 

Além de destaque à carreira política, o autor perambula também pela vida pessoal do personagem principal, trazendo à tona desde crises no seio familiar até a sua atribulada vida extraconjugal.

3 – Minha Vida

Charles Spencer Chaplin/Charles Chaplin (1889-1977) foi ator, diretor, produtor, humorista, empresário, escritor, comediante, dançarino, roteirista e músico. 

Tudo isso, na era do cinema mudo e se tornou notável pela mímica e pela chamada comédia pastelão. Considerado por muitos críticos como o maior artista cinematográfico de todos os tempos, é rotulado também como um dos “pais do cinema”. 

No livro “Minha Vida”, Charles Chaplin faz um apanhado apresentando os problemas típicos de uma época revolucionária, bem como as angústias que afetavam aquele mesmo período, mostrados pela ótica de um homem de grandeza moral e intelectual e que mesmo hoje, mais de 40 anos após sua morte, é respeitado e estudado pelas novas gerações em todo o mundo.

Livros biográficos

4 – Você conhece Walt Disney?

Walter Elias Disney/Walt Disney (1901-1966) foi produtor cinematográfico, cineasta, diretor, roteirista, dublador, animador, empreendedor, filantropo e idealizador da Disneylândia nos Estados Unidos. 

Sua propensão à arte do Desenho o levou a ser um pioneiro nos ramos das animações. O primeiro longa-metragem vai aparecer em 1937, Branca de Neve e os sete anões. 

Entre seus personagens mais famosos estão Mickey e Pato Donald. Mas como foi a vida deste grande idealizador; como foi infância do desenhista no interior dos Estados Unidos e os seus primeiros passos no empreendedorismo? 

Que fatos contribuíram para sua chegada a Hollywood? Qual a receptividade de seus grandes clássicos? Como foi a criação da Disneylândia? Em “Você Conhece Walt Disney?” o autor Whitney Stewart com linguagem simples e acessível apoiada nas ilustrações de Nancy Harrison, traz à tona todas esses aspectos que levaram o menino castigado pelo pai na infância, mas com talento inato, para a arte do desenho, a sair do zero e atingir o infinito, com um trabalho admirado desde a criança até o adulto. 

O livro, embasado na linguagem e nas ilustrações, é recomendado para crianças a partir dos sete anos.

Leia também – Veja as lições que a Walt Disney tem para você

5 – Um Mito Chamado Gardel

Charles Romuald Gardès/Carlos Gardel (1890-1935), cantor, considerado o maior intérprete de tangos de todos os tempos; compositor, tinha parceria com bons letristas, mas gostava de ele mesmo fazer a melodia e foi também ator cinematográfico. 

Sua vida começa a ser envolta de mistérios desde o seu nascimento e vai até sua morte, em um trágico acidente aviatório em 24 de junho de 1935, quando estava prestes a completar 45 anos naquele ano (11 de dezembro). 

De ídolo a mito é um pequeno passo, e não foi diferente na vida de Gardel. O nascimento na França, a nacionalidade obtida no Uruguai já adulto e a naturalidade argentina obtida mais tarde, torna-o um “marinheiro de três pátrias”. 

Sua infância, juventude e todos os fatos importantes que marcaram sua vida e morte, estão contadas no livro bilíngue “Um Mito Chamado Gardel/Um Mito Llamado Gardel” em cujo conteúdo, o autor Celso Gonzaga Porto mergulha em depoimentos e inquéritos da época, fazendo com que as diversas versões analisadas, aproximem-se ao máximo dos fatos. 

A vida amorosa de Gardel, sua intimidade com o turfe e a preocupação em desfazer alguns mitos, colocam Carlos Gardel na frente do leitor, na sua verdadeira essência. 

Sem desfazer o mito, é mostrado como Carlos Gardel deu a sua valiosa contribuição na arte, na música e, principalmente, no tango.