Livros que mais fizeram sucesso nas livrarias em 2018

Livros mais vendidos de 2018

Livros que mais fizeram sucesso nas livrarias em 2018

Livros mais vendidos de 2018

Podemos dizer que já temos os mais vendidos do ano

Na penúltima lista do ano, é hora de conferir quais os livros que mais fizeram sucesso nas livrarias que compõem a lista dos mais vendidos.

‘A sutil arte de ligar o f*da-se’ é o livro mais vendido

Mas antes, vale dizer que a lista dessa semana apresentou um aumento de 15% nas vendas na comparação com a da semana passada e trouxe nove novidades.

Entre elas, está o novo livro do padre Reginaldo Manzotti, que em 2017 foi o autor mais vendido com o seu Batalha espiritual (Petra).

Dessa vez, ele estreou na lista, no finalzinho do ano e já na quinta posição da Lista Geral com O milagre da manhã com Deus (Petra), que vendeu 3.775 exemplares.

Além do novo livro de Manzotti, a lista de Autoajuda também teve a estreia de Recomece (Sextante), O poder da paciência – edição econômica (Sextante), e Encontro diário com Deus – Orações e mensagens 2019 (Vozes).

Em Ficção estreou Justiça a qualquer preço (Arqueiro), em Negócios, Mulheres do marketing (Leader), e Infantojuvenil estrearam Mapa dos dias (Intrínseca), Corte de gelo e estrelas (Galera Record) e Bíblia para crianças (Ciranda Cultural).

Livros mais vendidos de 2018


📖 Os livros do ano

O sucesso de vendas de 2018 foi, sem surpresa, A arte de ligar o foda-se (Intrínseca), de Mark Manson. O livro ficou em primeiro lugar do ranking geral seis vezes durante o ano e vendeu mais de 400 mil exemplares.

A disputa, o ano inteiro, foi com As aventuras de Luccas Neto na Netoland (Pixel), que também vendeu mais de 360 mil exemplares. Já o bronze ficou com O milagre da manhã (BestSeller), de Hal Elrod. Vale dizer que dos 20 livros mais vendidos da Lista Geral, nove são nacionais.

Livros mais vendidos de 2018 – Ficção

Em Ficção, o ouro ficou com Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente (Globo Alt). O livro de Igor Pires da Silva e Gabriela Barreira vendeu mais de 100 mil exemplares e é seguido por Ainda sou eu (Intrínseca), de Jojo Moyes e Origem (Arqueiro), de Dan Brown, livro que garantiu o segundo lugar na categoria em 2017.

O destaque desta lista fica com Jojo Moyes, Rupi Kaur e Augusto Cury que conseguiram colocar dois livros cada no ranking.

Livros mais vendidos de 2018 – Não Ficção

A lista de Não Ficção tem pelo segundo ano consecutivo Sapiens (L&PM) como o livro mais vendido do ano. A obra de Yuval Noah Harari vendeu mais de 130 mil exemplares e se manteve no lugar mais alto do pódio, mas seus outros dois livros, Homo Deus (Companhia das Letras) e 21 lições para o século 21 (Companhia das Letras), também aparecem na lista na 5ª e 10ª posições, respectivamente.

Voltando ao pódio, o segundo lugar ficou com Crer ou não crer (Planeta), livro do padre Fábio de Mello e do filósofo Leandro Karnal; e o terceiro com A sorte segue a coragem (Planeta), do também filósofo Mario Sergio Cortella.

Livros mais vendidos de 2018 – Auto Ajuda

Em Autoajuda, o vencedor é novamente A sutil arte de ligar o foda-se, seguido pel’O milagre da manhã e Combate espiritual (Petra), do padre Reginaldo Manzotti, que vendeu mais de 140 mil cópias.

Livros mais vendidos de 2018 – Infantojuvenil

A lista Infantojuvenil é liderada pelos irmãos Neto. O livrão de Luccas ocupa o primeiro lugar do pódio e a prata ficou com Felipe Neto – A vida por trás das câmeras (Pixel). Em terceiro lugar está Extraordinário (Intrínseca), de R. J. Palacio, que este ano ganhou uma adaptação nos cinemas.

A trilogia de Jenny Han (Para todos os garotos que já amei, P.S.: Ainda amo você e Agora e para sempre, Lara Jean) também está presente em peso na lista. O primeiro livro da trilogia também passou para as telas e ganhou um filme homônimo produzido pela Netflix.

Livros mais vendidos de 2018 – Negócios

Por fim, a lista de Negócios trouxe um pódio totalmente brasileiro. Seja foda! (Buzz), de Caio Carneiro, foi o livro mais vendido no ano na categoria e é seguido por Paulo Vieira com duas obras: O poder da ação, em segundo lugar, e O poder da auto responsabilidade, em terceiro. Ambos são publicados pela Gente.

E as editoras?

O Ranking das editoras foi liderado o ano inteiro pela Sextante, que emplacou no total 71 obras. Ela é seguida pela Ciranda Cultural, com 48 obras e Gente, que trouxe para a lista 46 títulos. No top 10 ainda aparecem Intrínseca, Grupo Companhia das Letras, Planeta, Grupo Editorial Record, LeYa, Alto Astral, e Globo e HarperCollins empatadas na décima posição.

Vale ressaltar que 2018 tem ainda mais uma lista, que será publicada em breve.

O que acontece no segmento livreiro?