Longa “Uma carta para Ferdinand”, em Joinville (SC)

Uma carta para Ferdinand posiciona Santa Catarina entre os polos de produções nacionais cinematográficas de longa-metragem.

O
Cultura Alternativa estava em Joinville nas filmagens e participou como
figurante, estávamos no morro da Boa Vista onde ocorria as gravações e
embarcamos neta comedia romântica, risadas a parte desejamos sucesso neste
longa que tem estreia em novembro.

Boas risadas estão garantidas na exibição de “Uma carta para Ferdinand”, a comédia romântica estrelada por Cristiana Oliveira, Clemente Viscaíno e Luiz Alves (o Ferrugem), que estreia dia 11 de novembro, às 21h, no GNC Cinemas do Shopping Mueller Joinville, em evento para convidados.

O filme, que posiciona Joinville entre os principais polos de produção audiovisual brasileiro, será distribuído nacionalmente pela Pandora Filmes.

Uma carta para Ferdinand

Na ficção o francês Frederico Bruestlein (1835 a 1913), vivido por Clemente Viscaíno, é o homem de confiança do Príncipe de Joinville (França), François Ferdinand, dono da Colônia Dona Francisca que pediu  para Bruestlein voltar nos dias atuais a Joinville e fazer um relato das condições em que se encontra a cidade  e sua população.

A descrição contou com a ajuda do atrapalhado assistente camponês Tonico, interpretado por Ferrugem, marcando a volta do ator ao circuito audiovisual nacional. A dupla depara-se com situações inusitadas do passado – acontecimentos, obras e projetos – e o choque de modernidade vivido no presente. A turbulência de informações reacende os resquícios da memória de Bruestlein e relembra o amor platônico pela jovem Mella (Cristiana de Oliveira).      

“Uma Carta para Ferdinand” conta com o apoio do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura (Simdec) da Prefeitura de Joinville e investimento maciço da própria OCOTEA FILMES. O roteiro e a direção são de Anderson Dresch e Fábio Cabral, que também assina a direção de fotografia.  O longa-metragem joinvilense foi produzido por Anderson Dresch e Kleber Dresch.

Uma carta para Ferdinand

O filme posiciona Santa Catarina no cenário nacional de produção de longas metragens fora do eixo Rio-São Paulo, ao lado de outros estados, como Ceará e Goiás, que vem se destacando com grandes produções. Os diretores contam que o projeto é ousado e foi desenvolvido com poucos recursos e o capital social da própria produtora. “É algo que lembra A Bruxa de Blair feito sem recursos, apenas com o talento e a coragem dos produtores, e que estourou no cinema mundial”, comparam.

O filme conta com a participação especial de Felp 22, vocalista do grupo carioca de rap Cacife Clandestino, fenômeno nacional com milhões de acessos em todos os seus clipes disponíveis na web. As gravações de “Uma carta para Ferdinand” contaram ainda, com aparato técnico e qualidade de cinema digital, o mesmo utilizado em Hollywood em filmes como “Piratas do Caribe 4”, “O Hobbit”, “Motoqueiro Fantasma 2”, “A Rede Social”, “O Livro de Eli”, “Contágio”, entre outros.

Uma carta para Ferdinand – Trailer