Marrakesh – Caminhos e descaminhos

Marrakesh

Marrakesh – Caminhos e descaminhos

Marrakesh a cidade vermelha

Em 24/01/19 chegamos em Marrakesh, chamada de cidade vermelha, por causa da cor das casas e prédios, na cor avermelhada, rosada, devido a cor do barro misturado com tinta, portanto com o objetivo de reduzir o reflexo do sol, que é muito forte.

Marrakesh – Clima

Inacreditável, mas do avião vi as geleiras nas montanheiras do Alto Atlas, o que se vê também da cidade. Não esperava ver gelo pelo Marrocos.

O clima está bem agradável, as vezes bem frio, mesmo durante o dia, mas a temperatura cai bem a noite. Tivemos dias quentes e noites frias.

Marrakesh –Siroco

Fomos muito bem recebidos pelo guia que presta serviços à empresa Siroco Tours, com carro SUV, 4×4, muito confortável.

Os veículos utilizados são muito confortáveis, bem equipados, limpos cheirosos em suma bem cuidados. Os veículos utilizados são SUV ou minivan.

Os guias se revezam em alguns momentos, todos muito educados, bem como prestativos e atenciosos.

Tivemos nosso tour particular, com muito conforto. O nosso guia principal, Rachid, fala diversas línguas, além disso o português, sempre muito gentil, educado, prestativo, atencioso, fazendo tudo para nos agradar.  

Marrakesh –Hospedagem

No dia em que chegamos, depois de nos hospedar no hotel Opera Plaza, na av. Boulevard Mohamed VI, bairro Gueliz, bonito, bem como muito confortável, quarto e banheiro grandes, bem equipado.

Marrakesh –Passeios

Fomos conhecer a famosa praça Jemaa El Fna e, claro, fiquei de olhos e ouvidos atentos, ouvi uma música que me chamou atenção, mas não vi nada.

No outro dia voltamos durante o dia, de olhos e ouvidos atentos, ouvi a música novamente e vi de longe os encantadores de serpentes. Elas não saem de cestinhos, não me aproximei, mas vi várias cobras no chão, inclusive naja e cascavel, e nas mãos de nativos.

À primeira vista, na praça há várias barracas com lindas Frutas, castanhas, tâmaras, muitas cores, cheiros, grupos de berberes tocando, outros fazendo malabarismos, encantadores de cobras, vendedores de diversas coisas, carros, carroças, bicicletas, muitas motos, no meio das pessoas, à sua volta há cafés, restaurantes e entradas para as medinas com diversas lojas, fica próxima da mesquita koutoubia, onde visitamos apenas o jardim, pois não é permitido visitar as mesquitas.

Apenas uma Casa Blanca é permitida a visita de turistas, mas não está em nosso roteiro.

Na mesma praça de se vê um lindo pôr do sol e o melhor lugar e o terraço do café France, mas o local e simples, não serve bebida alcoólica, não tem cardápio, mas serve chá de menta.

Marrakesh – Palácios

Visitamos o Palácio Bahia e os túmulos saadianos, cada visita por 70 dh, no bairro judeu.

Visitamos o jardim Majorelle, uma vez que faz parte da casa de Yves Saint Laurent e seu museu berbere, por 180,00 dh.

Visitamos o Jardim Menara, acima de tudo cheio de oliveiras, onde os moradores fazem piqueniques sob as árvores e as crianças jogam brincam e jogam futebol.

Marrakesh – Hábitos

De acordo com os costumes os marroquinos também têm hábito de tomar chá de menta, que na verdade é hortelã. São chamados 5 vezes ao dia para rezar, em microfones, um som lindo e agradável, melódico, sendo que os homens rezam separados das mulheres, ajoelhados no chão e voltados para Meca. Há lugares específicos para as orações, inclusive uma tenda com tapete na praça.

Primeiramente, as mulheres não mostram os cabelos, ainda usam lenço na cabeça e vestes compridas, túnicas chamadas kaftan e ainda há mulheres que usam burca, ficando apenas com os olhos e mãos expostas.

Muitas Já usam calças compridas, mas com blusas compridas e lenços na cabeça. Assim também há muitos homens que usam vestes compridas, djelaba.

Marrocos produz verduras e frutas saudáveis, as laranjas são lindas e o suco delicioso, doce e encorpado, argan, azeitonas, azeites e uvas, vinhos, que por sinal são muito bons, bem equilibrados, com pouca acidez.

Na praça há várias barracas de frutas e sucos, onde oferecem para experimentar uma mistura de frutas, delicioso, mas atenção porque oferecem o mesmo copo e canudo para todas as pessoas.

O céu é lindo, azul, mas pegamos um dia de muita neblina, que não se via nada a uma distância de 300 mts. Há muitas palmeiras e uma grande variedade de cactos, lindos, pelas avenidas, parques, jardins.

Marrakesh – Gastronomia

O nosso hotel tem acesso direto a um restaurante italiano, que fica ao lado, do qual gostamos muito, comida gostosa e atendimento muito bom. E enfim claro, tomamos um vinho marroquino.

Jantamos no restaurante Daressalam, restaurante típico, bem decorado, com música e dançarinas, comida boa e igualmente tomamos um vinho marroquino, por 230 dh por pessoa, equivalente 23 euros.

Pela cidade há diversas pâtisseries com belos doces e pães, com muita qualidade, bem ao estilo francês.

Marrakesh – Dialeto

A língua principal e árabe, francês e berbere, sobretudo somos sempre abordados em francês, os cardápios são em francês ou em inglês também. Dependendo do restaurante, o cardápio e apresentado em francês, árabe, inglês e espanhol.

Marrakesh – Compras

Compras – negocie sempre, fique atento aos preços e peça descontos, pois sempre te dão preço acima do que querem cobrar.

A moeda local é o Dirham e fizemos câmbio de 1 euro por 10,72 dh. O gasto médio diário, com lanches e comida, bebida, entradas em jardins, museus, palácios, etc., foi de 35 a 40 euros.

Marrakesh – Bate volta em Essaouira

O nosso guia nos convenceu a ir em Essaouira, então deixamos de ir em Denmate.

Era um destino que gostaríamos de ir, mas havíamos deixado porque achávamos que seria longe, fica a 200 km de Marrakesh, mas neste caminho tinha coisas que queríamos ver e vimos – cabras em árvores de argan, que na verdade são colocadas por nativos da região para chamar a atenção dos turistas, que param para tirar fotos e eles pedem algum dinheiro.

As cabras realmente sobem em árvores de argan, comem seus frutos e descem, mas estas são colocadas, frequentemente lá as pobrezinhas, há alguns galhos que elas ficam tensas, mas não tem como descer sozinhas.

Neste caminho entretanto também passamos pela cooperativa de argan, que mostra como é extraído o óleo e também vende vários produtos de argan para cabelo, pele, sabonetes, mel, etc., bastante caro e ainda bem que minha amiga e boa pra negociar, conseguiu um bom desconto. Eles ficam mal-humorados, mas faz parte do jogo.

Em Essaouira caminhamos pela Medina, pela praça, pela praia e logo depois almoçamos frutos do mar. Nesta cidade também houve filmagem de Game of Thrones.

Pela estrada surpreendentemente vimos muitas plantações de argan e azeitonas.

Enfim, nesta época, por onde andamos, Marrocos está verde, o clima está bem agradável.

Organizando e preparando sua viagem para Marrocos

Para acompanhar as fotos clique no símbolo do Facebook abaixo

Fotos do acervo da viagem da Claudia Dias ao Marrocos

Publicado por Portal Cultura Alternativa em Sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Fotos do acervo da viagem da Claudia Dias ao Marrocos