Na onda das parcerias ou na guerrilha cultural?

Na onda das parcerias ou na guerrilha cultural?

Discordar é salutar para o bem da diversidade cultural, em detrimento do mono da indústria do entretenimento, mas tudo pela unidade dessa diversidade!

Fizemos um encontro cultural de três dias pela Casa de Cultura Carlos Marighella – Em Mestre D’armas-Planatina-DF.

O rap GOG e o violeiro Chico Nogueira e tantos outros artistas compareceram se apresentando.

Tudo pela economia colaborativa, entende?

Foi nos dado um apoio pífio de um sindicato e os empresários tinham essa frase feita na ponta da língua quando se íamos propor ou pedir colaboração, apoio, PARCERIAS ou patrocinio:

“Empresários visam lucros, podem até ser parceiros de quem gera lucro.”

É por isso que um certo segmento e estilo musical “onomatopaico” de gosto duvidoso, milionário, massificador

faz muito sucesso em terras brasilis, além de se beneficiar da Lei Rouanet, que é uma piada pra inglês ver e boi dormir.

Empresários são bonzinhos quando beneficiados, né?

Estamos falando de cultura popular, saraus, poesia.

Temos pra mais de 250 saraus por mês que acontecem no DF.

Sejam eles pontuais, esporádicos, casuais e fixos mensais, promovidos por coletivos locais.

Isso deveria ter constantemente nas escolas públicas como fazedor de novos públicos e plateias, oportunizando aos alunos um leque maior da diversidade cultural do DF. Tem um programa do MINC – o Mais Cultura nas Escolas, que deve ser feito em pareceria com a escola e uma associação, ponto de cultura da comunidade, onde a escola está inserida. A maioria dos diretores nem sabe que esse programa existe, entende?

O que vemos são as pseudos atualização e atuação da indústria do entretenimento massificador com produtos do mercado descartável, rotatório de obsolescência programada musical na maioria das escolas do que está em moda ou em voga.

Salvo pouquíssimos professores com projetos com viés diversos e projetos diferenciados que ainda nos convidam,

na maioria das vezes sem qualquer ajuda de custo, fazemos sozinhos a guerrilha da diversidade da cultura popular para a criação de novos públicos e platéias.

Luiz Felipe Vitelli

Professor, poeta, artista plástico, ambientalista, articulador e artivista cultural

lfvitelli@gmail.com