NHS, um rock sem inovações e muito bem feito

DSC08516 640x480

NHS, um rock sem inovações e muito bem feito

 

Me disseram que o nome da banda é NHS “Na Hora Sai”. Eu senti assim NHS “Nova História de Sucesso”. Escutei a referida banda no Música na Árvore, show organizado por Geraldo Carvalho e André Trindade, e conheço o vocalista da banda, meu querido amigo Fábio Barros.

 

Em termos de músico, músicos que não vivem de música, a banda NHS tem um excelente guitarrista, um baixista que condensa, um tecladista que faz o seu trabalho a contento e um baterista que revelou para o técnico de som que toca alto e na verdade a música é a harmonia entre o sentir, a dinâmica e a técnica.

 

Fábio Barros, pela falta de retorno, desafinou brevemente em uma canção apenas. Todos sabem que o rock e a desafinação caminham juntos muitas vezes, muitas vezes a letra é inperceptível, não se entende o que o cantor diz, mas, creio que ele desafinou pela falta de retorno. É fundamental que o projeto Música na Árvore repense esta questão do retorno, o retorno é fundamental para os que estão no palco. Já dizi Ivan Lins “um músico sem retorno é um músico morto”.

 

Acho que a nível de logística, pela banda não ser conhecida, estar se reencontrando, uma espécie de refundação, seria fundamental a elaboração de um folder que divulgasse o nome do grupo, as canções a serem cantadas, o nome dos músicos, seus e-mails públicos, seus endereços no facebook, um pouco da história da mesma, num programa impresso e distribuido para os presentes. Todos da banda tem seus empregos e ninguém vive de música segundo informações colhídas, portanto, não custa nada rachar dez reais entre os componentes e imprimir este folder.

 

Outra idéia é na mudança de música. Fábio Barros, porta-voz e líder do grupo, deu um gritinho muito tímido e explicações muito cheia  de dedo. Não. Creio que no intervalo da música enquanto o grupo se prepara para outra canção, agradecer as palmas com um poema pequeno de autores famosos e não famosos deixaria o público mais visceral. Nas mudanças de música não se pode perder público, o diálogo deve ser mais contundente e sempre atento à música anterior e posterior.

 

Dois momentos marcantes do show. O beijo de Fábio Barros em Eliza e a presença de um mendigo na platéia. Nestes dois momentos, podemos sentir que o cantor não apenas apresentava a música de forma afinada e dinâmica, ele também estava preocupado com a presença no palco, a marcação de palco, o teatro, o todo. Ele saiu do palco pois estava com um belo microfone shure sem fio a lhe auxiliar, veio até a bailarina Eliza, deu-lhe um beijo na boca que provocou na platéia e provavelmente nele e nela comoção, emoção e amor. Depois andou pela grama, enfim, fez com que o público ficasse mais perto do seu espetáculo. Depois de meia hora de show a presença de um mendigo fez com que ele escutasse solicitações para que o grupo tocasse forró, e ele só solicitou a presença do organizador, quando o rapaz de forma afoita, estava quase derrubando o aparelho que o auxiliava nas letras, um tablet. Mostrou assim presença e experiência no palco.

 

No todo um espetáculo que marcou o reinicio de um grupo e marcou de forma positiva, tanto que o organizador do Música no Parque, André Trindade revelou que a banda RPC que havia tocado anteriormente quer sugerir a banda NHS para os compromissos que não puderem atender.

 

Enfim… Neste domingo onde o sol timidamente apareceu e o tempo estava absolutamente agradavel, sem chuva, uma delícia a banda NHS “Nova História de Sucesso” estreiou com o pé direito e o Portal dos Independentes Alternativos só pode desejar sucesso nesta empreitada para esta banda que veio para deixar seu nome na história alternativa da música.

 

Quem quiser contratar a banda ou conseguir maiores informações envie e-mail para anandrao@culturaalternativa.com.br ou anandraomultiempreendimentos@gmail.com.

 

Anand Rao

Editor do Portal

www.culturaalternativa.com.br