Novo Coronavirus [COVID-19]: cuidados a serem tomados.

Novo Coronavirus

Novo Coronavirus [COVID-19]: cuidados a serem tomados.

Sandro Schmitz dos Santos – Analista Internacional, Membro do Fórum de Desenvolvimento Curricular do Escritório Internacional de Educação da UNESCO [IBE/UNESCO].

Nos últimos meses temos sido constantemente lembrados do surto de Coronavirus [COVID-19] cuja origem remota foi a província de Wuhan/China. Isso porque, o primeiro caso reportado as autoridades sanitárias internacionais ocorreram em 31 de dezembro de 2019 chamando a atenção para o surgimento dele. Isso provoca uma certa insegurança em relação a data do começo de propagação, tendo em vista que o período de incubação varia entre 01 e 14 dias. O período médio é de cinco dias.

A despeito do que vem sendo divulgado, de acordo com a OMS, não existe confirmação de contaminação oriunda de animais domésticos em humanos. Todavia, em relação a animais utilizados para consumo humano se recomenda a utilização das mais rígidas regras de segurança alimentar em relação a lavagem, cozimento e evitando o consumo de animais crus. Recomenda-se o máximo cuidado no uso do leite in natura, tendo em vista as possibilidades de contaminação dele. 

Novo Coronavirus

Em 30 de janeiro de 2020 a Organização Mundial da Saúde [OMS] declarou a Emergência de Saúde Pública de Interesse Internacional, ou, Emergência Global de Saúde, de acordo com o Regulamento Sanitário Internacional [RSI 2015], após a reunião de seus especialistas e os governos dos países afetados. Naquela data já eram 7.8 mil infectado, 170 mortos e 18 países, além da China com casos registrados. Em três deles, os casos confirmados eram de cidadãos que não tinham estado na China em período recente o que indicava uma propagação mais rápida do que esperavam.

No atual contexto de Emergência Global os países tem a obrigação de compartilhar dados completos sobre os pacientes que tiverem confirmado o vírus em seus países, assim como são solicitadas a tomar todas as medidas necessárias para a detecção precoce do mesmo, e, se necessário isolar e tratar casos, rastrear contatos e promover medidas de distanciamento social compatíveis com o risco.

Deve ser observado que os países podem tomar todas as medidas que entendem ser necessárias para impedir a propagação do vírus, portanto é essencial que as pessoas compreendam as medidas de prevenção adotadas pelas autoridades sanitárias sempre que viajarem.

Quais os sintomas do Coronavirus?

De acordo com a OMS os mais comuns são: febre, cansaço e tosse seca. Alguns pacientes podem ter dores, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta ou diarreia. Esses sintomas geralmente são leves e começam gradualmente. Algumas pessoas são infectadas, mas não apresentam sintomas e não se sentem mal. A maioria das pessoas (cerca de 80%) se recupera da doença sem precisar de tratamento especial.

Cerca de 1 em cada 6 pessoas que é contaminado pelo COVID-19 fica gravemente doente e desenvolve dificuldade em respirar. As pessoas idosas e as que têm problemas médicos subjacentes, como pressão alta, problemas cardíacos ou diabetes, têm maior probabilidade de desenvolver doenças graves. Pessoas com febre, tosse e dificuldade em respirar devem procurar atendimento médico.

Como proceder em caso de suspeita?

Em qualquer lugar do mundo, primeiro ligue para as autoridades sanitárias primeiro para saber o Protocolo de Atendimento.  Em países como a Itália, é enviado uma equipe de saúde para onde você está para avaliação e definir procedimentos. Nos Estados Unidos é acionado o CDC que vai ao encontro da pessoa e avalia o estado dentro do mesmo padrão. No Brasil se recomenda que ligue para a Secretaria Municipal/Estadual da Saúde e questione o procedimento. A pessoa deve evitar a utilização de transporte público ou mesmo sair para áreas que possa ter contato com multidões sob pena de se tornar um vetor epidemiológico.

Como prevenir a contaminação/propagação do Coronavirus?

Prestar atenção a etiqueta respiratória, sempre. E abaixo alguns procedimentos simples que reduzem enormemente a chance de contaminação:

👁‍🗨 Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.

👁‍🗨 Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.

👁‍🗨 Evitar contato próximo com pessoas doentes.

👁‍🗨 Ficar em casa quando estiver doente.

👁‍🗨 Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.

👁‍🗨 Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Deve ser observado que o uso de máscara de proteção não é obrigatório, todavia é completamente desnecessário o uso de mais de uma por vez, como algumas pessoas já o fizeram, assim como algumas pessoas divulgaram de forma irresponsável.

Se proteja contra fake news!

Infelizmente, após o surto de Coronavírus diversos irresponsáveis difundiram diversas notícias falsas nas redes sociais, dentre elas:

coronavirus chega ao Brasil em encomendas vindas da China – não existe nenhuma evidência científica que confirme tanta resistência ao vírus fora de um hospedeiro. E plástico bolha não é ambiente adequado para manutenção de um vírus;

Chá de abacate com hortelã previne coronavírus, Médicos tailandeses curam coronavírus em 48h, Cura contra o coronavírus, Medicamentos eficazes contra o novo coronavírus – quatro notícias falsas com o mesmo tom. Infelizmente, NÃO EXISTE medicamento contra o Coronavirus.

Semelhança do vírus HIV com o coronavírus – Não existe evidência que vincule um ao outro. Em sentido contrário, pessoas com HIV são potencialmente mais expostas ao vírus por serem imunosuprimidas. Ou seja, quem difundiu isso desconhece completamente a natureza do que estava falando.

Uísque e mel contra coronavírus, Vitamina C + zinco e o novo coronavírus, Chá imunológico contra o novo coronavírus – Mais uma série de notícias falsas com remédios milagrosos contra o coronavirus, infelizmente ineficazes. Não acredite, e, principalmente não compartilhe.

E quem vai viajar?

Observe os protocolos adotados no país que irá visitar especialmente se estiver com casos confirmados de Coronavirus. Se possível, cancele a viagem e espere o surto ser debelado, mas se não for possível tome as precauções devidas. Lembre, não existe vacina ou remédio para o Coronavirus, mas a vacina para gripe AUXILIA a reduzir seus efeitos, não impede a contaminação.

No caso de estar em outro país e começar a manifestar os sintomas do Coronavirus ligue IMEDIATAMENTE e não saia do local em que está [hotel, airbnb, casa de amigos, etc.] para as autoridades sanitárias do país, pois eles irão tomar as medidas necessárias em relação a situação. Lembre-se, que, se não fizer isso e sendo confirmado o Coronavirus no seu retorno ao Brasil você fica sujeito a processo criminal, em alguns países, e, em todos é passível de ser impedido de retornar ao país de forma permanente.

Uma questão que preocupa muito os brasileiros é que, se detectado o Coronavirus, o paciente é colocado em quarentena e irá perder as passagens de volta, diárias de hotel, custos médicos etc. Todos estes procedimentos são providenciados pelo governo local, tendo em vista a pessoa não ter dado causa a doença.

Em regra, as companhias aéreas modificam as datas de retorno sem custo, pois evita a contaminação em seus voos, já o hotel isso é negociado pelo governo. Em regra, se perde apenas o período mesmo. Um último detalhe, em diversos aeroportos do mundo está sendo feita verificação de temperatura, e, outros exames na entrada do país. São obrigatórios. Caso a pessoa apresente sintomas do vírus a autoridade de fronteiras irá negar a entrada independente de ter visto ou não.

Devo me desculpar pela extensão do texto, mas devido a importância do tema, achei por bem em ser mais detalhista. Ainda temos muito em relação ao Coronavirus a ver, mas para quem vive no Brasil e toma os cuidados devidos à chance de ser contaminado é menor do que ganhar na loteria, portanto a prevenção ainda é [sempre é] o melhor remédio. Não difunda informações errôneas, e, busque fontes confiáveis sempre, tais como o Ministério da Saúde e a OMS. Desta forma, em algum tempo irá ser apenas mais um vírus pelo qual passamos.

Leia também 

Coronavírus: veja comunicados de companhias aéreas