O lado “sombrio” das telas para as crianças

O lado “sombrio” das telas para as crianças

O lado “sombrio” das telas para as crianças


Estimated reading time: 3 minutes

Por, Janaína Spolidorio

Elas são ótimas ferramentas para facilitar nosso cotidiano, nos entreter, porém no que se refere aos pequenos é preciso ter algumas responsabilidades enquanto pais ou educadores no que se refere ao uso excessivo ou ao horário de uso.

Uma das preocupações que falaremos neste artigo é em relação ao horário noturno.

Há uma quantidade crescente de crianças que acabam se alongando à noite com as telas, antes de dormir e isso pode ser preocupante, inclusive impactando de forma negativa ainda mais na questão da aprendizagem.

Uma criança que utiliza o celular, o notebook ou qualquer outra tela até uma hora antes de dormir pode ter seu sono prejudicado. Há vários efeitos negativos para falarmos, mas vamos nos concentrar aqui nos três mais frequentes.

O lado “sombrio” das telas para as crianças

O primeiro deles é a estimulação. 

Durante o uso, o cérebro fica em total atividade, atento a tudo o que acontece ali, na telinha. Isso pode causar uma perturbação mental pelo excesso de estimulação antes do descanso merecido do cérebro.

O mais afetado aqui será a qualidade do sono, que irá sofrer complicações e, por consequência, prejuízos no desempenho da criança no dia seguinte.

A luz azul dos aparelhos é nossa segunda preocupação. 

Além das questões de saúde oftalmológicas que podem sofrer com a exposição a este tipo de estímulo, elas têm um efeito físico: suprimem os níveis de melatonina e atrasam o estado de sono, fazendo com que haja um impacto no ciclo do dormir da criança.

Por fim, há a tentação. As telas são muito atrativas e podem levar a criança a cada vez mais aumentar o período de exposição, levando, inclusive a uma dependência nociva.

O lado “sombrio” das telas para as crianças

No caso do sono, a tentação é ficar mais tempo acordada, entretida em jogos, conversando com os amigos.

Outro ponto a considerar aqui, nesta parte, é o cuidado de não deixar o aparelho ligado próximo à criança que dorme ou ter o zelo de desligá-lo para dormir, pois as notificações podem ser perturbadoras para o sono.

Todos esses fatores citados impactam diretamente a qualidade do sono da criança. O dormir é o que a ajuda a preservar sua atenção e o sonhar é o apoio para consolidar as memórias do dia.

Sem o ciclo bem preservado, protegido, a criança começará a ter maior dificuldade na atenção da aula e dos comandos dos adultos, além de lapsos de memória consideráveis para a faixa etária delas.

Como você pode perceber, realmente é algo com o que nos preocupar, como responsáveis pela criança, sejam pais, na criação para um desenvolvimento mais saudável, sejam professores, na orientação para uma melhor aprendizagem.

Especialista em educação, Janaína Spolidorio é formada em Letras, com pós-graduação em consciência fonológica e tecnologias aplicadas à educação e MBA em Marketing Digital.

Ela atua no segmento educacional há mais de 20 anos e atualmente desenvolve materiais pedagógicos digitais que complementam o ensino dos professores em sala de aula, proporcionando uma melhor aprendizagem por parte dos alunos e atua como influenciadora digital na formação dos profissionais ligados à área de educação.