Prêmio Jabuti 2020 – confira os vencedores

Prêmio Jabuti

Prêmio Jabuti – confira os vencedores


Livro de Cida Pedrosa levou o troféu na categoria Poesia e o de Livro do Ano. ‘Solo para vialejo’ é uma ‘busca das raízes sertanejas’ da autora.


A Câmara Brasileira do Livro revelou os dez finalistas de suas 20 categorias; entre eles estão Luiz Maklouf Carvalho, Chico Buarque, Maria Valéria Rezende e Raphael Montes

Prêmio Jabuti 2020 – vencedores

Confira a lista de vencedores do Prêmio Jabuti 2020

Livro do ano

Solo para vialejo, de Cida Pedrosa

Romance Literário

Torto arado, de Itamar Vieira Junior

Conto

Urubus, de Carla Bessa

Crônica

Uma furtiva lágrima, de Nélida Piñon

Histórias em Quadrinhos

Silvestre, de Wagner Willian

Infantil

Da minha janela, de Otávio Júnior

Juvenil

Palmares de Zumbi, de Leonardo Chalub

Poesia

Solo para vialejo, de Cida Pedrosa

Romance de Entretenimento

Uma mulher no escuro, de Raphael Montes

Ensaios

Artes

AI-5 50 ANOS – Ainda não terminou de acabar, de Gabriel Zacarias, Galciani Neves, Izabela Pucu, Alexandre Pedro de Medeiros, Caroline Schroeder, Carolina de Angelis, Luise Malmaceda, Theo Monteiro, Pedro Borges, Paulo Cesar Gomes, Paulo Miyada e Priscyla Gomes

Escravidão: do primeiro leilão de cativos em Portugal até a morte de Zumbi dos Palmares: Volume 1″, de Laurentino Gomes

Ciências

Futuro presente: o mundo movido à tecnologia, de Guy Perelmuter

Ciências Humanas

Pequeno manual antirracista, de Djamila Ribeiro

Ciências Sociais

130 anos: Em busca da República, de Edmar Bacha, José Murilo de Carvalho, Joaquim Falcão, Marcelo Trindade, Simon Schwartzman e Pedro Malan

Economia Criativa

Ecochefs: parceiros do agricultor, de Instituto Maniva

Livro

Capa

Penitentes – Dos ritos de sangue à fascinação do fim do mundo, das capistas Luisa Malzoni, Isabel Santana Terron e Beatriz Matuck

Ilustração

Cadê o livro que estava aqui?, da ilustradora Jana Glatt Rozenbaum

Projeto Gráfico

Arquiteturas contemporâneas no Paraguai, são responsáveis Maria Cau Levy, Christian Salmeron, Ana David e André Stefanini

Tradução

Bertolt Brecht: Poesia, tradução de André Vallias

Inovação

Fomento à Leitura

FLUP – Festa Literária das Periferias | Responsável: Julio Ludemir

Livro Brasileiro Publicado no Exterior

Lorde, da editora Grupo Editorial Record, Two Lines Press


Post Atualizado 27.11.2020 as 16h

Prêmio Jabuti 2020 – Mudanças

Mudanças da 62ª edição incluem a nova categoria Romance de Entretenimento e a divisão da categoria Humanidades. Adélia Prado será a homenageada na cerimônia antecipada para setembro.

Prêmio Jabuti
Prêmio Jabuti

Pelo terceiro ano, o prêmio realizado pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) terá as categorias divididas em quatro eixos – Literatura, Ensaios, Livro e Inovação –, mas pensando em tornar o prêmio cada vez mais abrangente, algumas alterações foram feitas.

A primeira delas foi a criação da categoria Romance de Entretenimento, criada para premiar os autores nacionais de ficção que, normalmente, não são contemplados pelos prêmios de literatura. São romances voltados para o grande público com maior potencial para se tornarem best-sellers.

A categoria Romance passará a chamar Romance Literário e a diferença prática entre as duas categorias está em sua construção: uma tem ênfase na estética, forma e a outra no conteúdo. Para Pedro Almeida, curador do Prêmio pelo segundo ano consecutivo, a adição da nova categoria “Renova o prêmio e o atualiza com o que acontece e se produz na indústria editorial”.

Prêmio Jabuti – Curadoria

Pedro manteve a equipe do conselho curador que continua composto por Camile Mendrot (AB Aeterno Produção Editorial), Mariana Mendes (Canal Bondelê), Cassius Medauar (Jornalista, Editor, Professor e Tradutor) e Marcos Marcionilo (Sócio e Publisher da Parábola Editorial).

Dentro do eixo Ensaio, a categoria de Humanidades também sofreu mudanças. A partir desta edição ela será dividida em Ciências Humanas e Ciências Sociais.

Segundo a curadoria do prêmio, a mudança foi necessária porque a categoria Humanidades reunia um grupo grande de temas distintos, sendo também a categoria com a maior quantidade de livros inscritos, o que tornava o trabalho do avaliador mais complexo que o das demais categorias.

A divisão adotou a classificação básica seguida pela Capes [Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior] e pelo CNPq [Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico].

Já no eixo Livro, a categoria Impressão foi retirada do prêmio. O conselho curador justificou a decisão alegando que considera que já existe um prêmio importante para a indústria gráfica, o Prêmio Fernando Pini, e que irá apoiar diretamente a premiação realizada pela Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf).

Assim como na última edição, os finalistas de cada categoria serão anunciados pela CBL em duas fases. Na primeira, serão divulgados os dez finalistas para cada uma das 20 categorias. Mais próximo da premiação, a CBL fará o anúncio dos cinco finalistas.

Já os primeiros colocados em cada categoria serão revelados somente no dia da cerimônia de premiação, que este ano acontecerá em setembro em local ainda a ser definido.

Poderão concorrer ao certame obras que possuam ISBN e ficha catalográfica (impressa ou digital) e publicadas, em primeira edição, entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2019. As inscrições, que começam hoje seguem abertas até o dia 30 de abril e podem ser feitas pelo site do Prêmio.

Poderão concorrer ao Prêmio Jabuti obras inéditas com ISBN e Ficha Catalográfica, impressas ou digitais, publicadas em língua portuguesa no Brasil, em primeira edição, entre 1º de janeiro e 31 de dezembro de 2019.

As inscrições vão de 17 de março a 30 de abril de 2020 e podem ser feitas por meio do site www.premiojabuti.org.br, onde está disposto o regulamento completo da premiação.

Para se inscrever, os associados da CBL terão que desembolsar R$ 285 por cada livro. O valor da inscrição pode chegar a R$ 430. No caso de coleções, associados pagam R$ 440 e o valor pode chegar a R$ 515.

Personalidade do Ano

A curadoria escolheu homenagear Adélia Prado na cerimônia deste ano. A escritora mineira ganhou seu primeiro Jabuti em 1978 pelo seu livro de poemas O coração disparado. A escolha, explica a curadoria, se dá pelo conjunto de sua obra e pelo seu compromisso com as artes e, em especial, com a literatura.

Jurados

A CBL abre também o período de indicação de nomes para compor o corpo de jurados para cada uma das 20 categorias. O mercado editorial e leitores podem fazer indicações ou se candidatar por meio de um formulário disponível no site do Prêmio.

A partir dessa consulta pública, que permanecerá aberta até o dia 17 de abril, o Conselho Curador fará a seleção dos profissionais que farão parte do júri. Cada um dos jurados deverá selecionar 13 obras e atribuir notas em três diferentes critérios a dez delas.

Acompanhe as dicas de leitura no site do Cultura Alternativa