Primeiro Festival de Cinema e Comida de Minas Gerais

Matula Film Festival de Cinema e Comida de Minas Gerais

Matula Film Festival de Cinema e Comida de Minas Gerais


Primeiro Festival de Cinema e Comida de Minas Gerais acontece de 13 a 16 de maio gratuitamente e em formato online


Matula Film Festival exibirá 12 obras cinematográficas, entre curtas e longas-metragens nacionais e estrangeiros.

Das produções internacionais, três são inéditas no Brasil, e um curto mineiro fará a sua pré-estreia. Oficinas, palestras e mesas de debate também são destaques na programação.

De 13 a 16 de maio acontece o primeiro Festival de Cinema e Comida de Minas Gerais, o Matula Film Festival, organizado pela Le Petit, produtora belo-horizontina responsável pela tradicional mostra de cinema Curto-circuito.

No palavreado da roça, matula significa merenda embalada para viagem. É a comida embrulhada em afeto, em histórias, em saberes e, agora, em cultura cinematográfica.

Matula Film Festival de Cinema e Comida de Minas Gerais

Durante o festival serão exibidas 12 películas, entre curtas e longas-metragens, com espaço para filmes e documentários nacionais e estrangeiros. Das produções internacionais, três são inéditas no Brasil, e um curto mineiro fará sua pré-estreia.

A programação é inteiramente gratuita e, em virtude da pandemia do novo coronavírus, será transmitida no formato online, pelo site oficial do festival: www.matulafilmfestival.com.br.

Eis uma bela oportunidade para matar a saudade de ir ao cinema sem sair de casa.

Para deixar tudo mais apetitoso, o festival oferece sugestões de combinações de comidinhas para saborear enquanto assiste à programação com toda a segurança que o momento exige.

Além das obras cinematográficas, haverá espaço para oficinas, palestras e mesas de debate, com as participações de cozinheiros profissionais, jornalistas e especialistas em gastronomia, que irão colocar a mão na massa e conversar a respeito dos temas abordados.

Quem encabeça a curadoria do Matula Film Festival é o crítico gastronômico e de cinema Guilherme Lobão.

Ele afirma que, conceitualmente, o desenho curatorial quis desafiar o conceito do gourmet na esfera cinematográfica.

“Parti muito do próprio significado da matula para garimpar filmes que primeiramente colocassem a comida em relação direta e orgânica com o nosso dia a dia e na relação com o agricultor, com a tradição e a cultura”, explica.