Quando amor paga a conta: O que é estelionato sentimental?

Quando amor paga a conta

Quando amor paga a conta : O que é estelionato sentimental? 

Especialistas alertam para prática de golpistas que querem dinheiro fácil ludibriando mulheres 

O tema recentemente ganhou repercussão nacional após o personagem Regis, interpretado por Reynaldo Gianecchini, casar-se por interesse com Maria da Paz, vivida por Juliana Paes.

Na trama “A Dona do Pedaço”, o galã, em troca de afeto, tirar vantagens financeiras da empresária. Essa situação é um exemplo de estelionato amoroso e o aproveitador pode ser punido judicialmente.

Desde 2015, o termo é usado em processos em que uma das partes tem a intenção de “obter para si ou para outrem, vantagem ilícita em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil ou qualquer meio fraudulento”, essa definição é baseada no Artigo 171 do Código Penal. 

A origem foi a partir de um caso que aconteceu na 7ª Vara Cível de Brasília. Na época, o réu foi condenado a ressarcir os gastos que a vítima teve durante o relacionamento. Segundo a psicóloga Lia Clerot, o alvo, em sua maioria, são mulheres, respeitadas profissionalmente e bem-sucedidas. 

“Normalmente quem pratica o estelionato amoroso já se aproxima querendo tirar vantagens. Os golpistas buscam o mesmo perfil e na maioria das vezes conhecem as vítimas pela internet”, explica a Lia.

A psicóloga também conta que o estelionatário amoroso atrai as novas parceiras proporcionando “um namoro” perfeito com declarações apaixonadas. São verdadeiros príncipes encantados. Depois que a vítima está envolvida, usam isso para pedir dinheiro. 

“Por insegurança e até mesmo medo desse conto de fadas acabar as mulheres acabam cedendo aos pedidos, inclusive financeiros. O que acontece é uma manipulação emocional”, comenta a psicóloga. 

De acordo com o especialista em segurança Leonardo Sant’Anna, a prática do estelionato amoroso é, infelizmente, muito comum. “O golpista estuda e conhecem as relações humanas, por isso ludibriam facilmente a vítima. Criam uma forte relação sentimental para conseguir dinheiro fácil”, afirma.

Além disso, Leonardo explica que tais estelionatários possuem vasto conhecimento tecnológico.   

Quando amor paga a conta

Para evitar o golpe, Sant’Anna dá as seguintes dicas: 

  • Mesmo no relacionamento, fique de olho em pessoas que não querem aparecer em fotos, nem falar ao telefone; 
  • Normalmente, os golpistas também não apresentam familiares; 
  • Não apague o histórico de mensagens do celular, pois pode servir para buscar contradições e mentiras; 
  • Não empreste dinheiro para desconhecidos. 

Leia no Cultura Alternativa