Rafael dos Santos e Eduardo Lobo apresentam CD ‘Viajante’

Duo com piano e violão elétrico é inspirado na obra de Radamés Gnattali

‘Viajante’ é o título do primeiro CD do duo Rafael dos Santos e Eduardo Lobo.

O álbum tem o compositor gaúcho Radamés Gnattali como principal inspiração e traz 12 faixas, incluindo duas peças de Rafael dos Santos.

Pouco comum, a inusitada combinação da guitarra elétrica com o piano é a base deste trabalho, que começou a se desenvolver em 2011 quando, o então estudante de Música da Unicamp, Eduardo Lobo, escolheu o compositor brasileiro Gnattali como seu objeto de estudo no mestrado, com orientação de Rafael.

“A opção pelo violão elétrico e o piano traduz uma marca importante do CD, que é a união da música erudita e popular. Essa, aliás, é uma característica marcante dos trabalhos de Radamés Gnatalli, que explorou muito bem em suas obras a música de câmara, de concerto, mas também se envolveu com os ritmos populares urbano ao conviver, especialmente a partir dos anos 1930, com alguns dos melhores músicos populares do país na época”, comenta Eduardo Lobo.

As faixas se alternam entre peças executadas com o piano e guitarra (violão elétrico), e piano com violão, sendo pontuadas com harmonias pouco convencionais que remetem a ritmos populares, como valsa seresteira, moda de viola e o samba-canção, além de elementos musicais vindos do choro e do samba jazz. A faixa título, “Viajante”, é de Rafael dos Santos e traz a mistura de elementos do baião (na forma) e do jazz (na harmonia e na melodia).

O CD foi gravado em 2015 com o apoio da Prefeitura Municipal de Campinas e patrocínio do FICC (Fundo de Investimentos Culturais de Campinas), e todo produzido em Campinas/SP.

 

SOBRE O DUO

O duo Rafael dos Santos e Eduardo Lobo teve início em 2011. Eduardo pesquisava o Concerto Carioca 3 de Radamés Gnattali (1906 – 1988) para seu mestrado, orientado por Rafael. Motivados pela música do compositor gaúcho, passaram a trabalhar juntos com o objetivo de desenvolver um repertório que incluísse a música brasileira de câmara e a música popular. Os músicos interpretam desde peças brasileiras de música de câmara à músicas com abertura para improvisação. Um dos principais focos é aprimorar a sonoridade instrumental do duo e aliá-la ao balanço típico de cada ritmo interpretado.

 

Este balanço pôde ser visto durante sua estreia em 2012, no palco do Clube do Choro de Paris – durante o VIII Festival de Choro. No ano de 2014 estrearam, com o grupo Quatro a Zero e o acordeonista Guilherme Ribeiro, o Concerto Carioca 3 de Radamés Gnattali, juntamente com a Orquestra Sinfônica de Campinas, sob regência do maestro Victor Hugo Toro. No início de 2015, gravaram com a mesma orquestra e maestro o Concerto Carioca 1 para violão elétrico e piano e o Concerto Carioca 3 de Gnattali, disco que tem previsão de lançamento para 2016.

 

Professor do Departamento de Música há mais de 30 anos e um dos fundadores do Curso de Música Popular da UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas), Rafael dos Santos é pianista, arranjador, compositor e regente. Em paralelo à carreira de pesquisador e professor universitário, desenvolve uma intensa atividade como músico popular. Depois de formar-se e fazer parte do quadro docente da Fundação das Artes de São Caetano do Sul (SP), passou uma longa temporada em Londres e nos Estados Unidos. Soma em seu currículo trabalhos com grandes nomes da música instrumental brasileira, como Paulo Moura, Nivaldo Ornelas, Roberto Sion, Roberto Menescal e Paulo Sérgio Santos.

 

Eduardo Lobo é doutorando em música pela UNICAMP e também concilia a área acadêmica e de docência com a carreira artística. Sua pesquisa é voltada justamente às obras do compositor Radamés Gnattali. Tem ainda um livro escrito entre 2012 e 2013, “Cavaco Básico 1”, nas versões para educador e aluno, e desde 2013 leciona disciplinas teóricas na Faculdade Nazarena do Brasil. Tem o seu trabalho artístico voltado, principalmente, à música instrumental e acumula cinco discos gravados com os grupos Quatro a Zero, Ideia de Antes e Fina Estampa, além de turnês pelo Brasil e exterior. Para este ano, prepara o lançamento do CD “Canção do Amor Distante” em parceria com a cantora Ana Salvagni, trabalho que está sendo desenvolvido graças a uma bem-sucedida campanha de financiamento coletivo.

 

FICHA TÉCNICA – CD ‘Viajante’

Produzido por: Eduardo Lobo e Rafael dos Santos

Gravado por: Dimas Estúdio (Campinas/SP), no Auditório do Instituto de Artes da Unicamp

Gravação, edição e masterização: Alexandre Maiorino

Mixagem: Alexandre Maiorino, Eduardo Lobo e Rafael dos Santos

Projeto gráfico: Eleusina Freitas

Fotos: Isabela Senatore

Projeto realizado com apoio da Prefeitura Municipal de Caminas, Secretaria da Cultura, Fundo de Investimentos Culturais de Campinas – 2014

Para conhecer o trabalho: http://eduardolobo.bandcamp.com/album/viajante

Contato para apresentações e informações sobre o CD: rdsantos.piano@gmail.com

 

 

Ana Salvagni & Eduardo Lobo apresentam o CD ‘Canção do Amor Distante’

Produção foi totalmente financiada por campanha de crowdfunding

Com arranjos moldados para voz e violão, ‘Canção do Amor Distante’ é o quarto disco da cantora Ana Salvagni, desta vez em parceria com o violonista Eduardo Lobo, que também assina os arranjos e direção musical.

Fruto de uma campanha de financiamento coletivo realizada em 2015, o CD traz 12 canções que têm em comum o tema universal e atemporal do amor ausente, mas que passeiam por diferentes gêneros, ritmos, épocas e culturas. O disco traz composições conhecidas de nomes brasileiros de peso, como Tom Jobim, Dominguinhos , Carlos Lyra e Sinhô, Adoniran Barbosa, e inclui boas surpresas para o público brasileiro, como a faixa ‘Morna’ do compositor italiano Vinicio Capossela e ‘Viajera del Río’, do venezuelano Manuel Yánez.

A faixa de abertura, “Canção I”, poema de Hilda Hilst e música de Zeca Baleiro, foi também o ponto de partida do trabalho. “O projeto nasceu da vontade de interpretar canções com maior densidade, tanto no texto quanto na música, mas, ao mesmo tempo, buscamos estilos que fogem do caráter nostálgico que normalmente marca as canções com este tema”, explica Ana Salvagni.

 

Todo o CD foi produzido em Campinas, e contou com a participação especial de diversos músicos: Matteo Ricciadi (clarinete), Chico Santana (percussão), Paulo Freire (viola), Fernanda Vieira (marimba), Carlinhos Antunes (cuatro venezuelano) e Thibault Delor (contrabaixo).

 

A opção pelo financiamento coletivo foi uma novidade na carreira da cantora. “Na etapa da campanha para o financiamento, foi muito gratificante ir acompanhando a lista de colaboradores crescer e ver que o projeto poderia realmente ser executado. O financiamento foi de fato uma ação coletiva. Ter estado dentro deste movimento e vê-lo agora, de certa distância, é comovente”, comenta a cantora.

 

Sobre Ana Salvagni

Cantora, regente e poeta, Ana Salvagni concluiu o curso de Regência pela UNICAMP em 1994, mesmo ano em que começou a cantar profissionalmente com o Trio Bem Temperado (José Eduardo Gramani e Patrícia Gatti). Têm dois livros de poesia publicados, “Janela Sem Tranca” e “Fotos do Espelho”, e três CDs lançados, “Ana Salvagni” (1999), “Avarandado” (2005) e “Alma Cabocla” (2009). Este último, dedicado ao compositor Hekel Tavares (1896-1969), foi premiado como Melhor Álbum Regional pelo 21º Prêmio da Música Brasileira, em 2010.

Ana Salvagni também é regente dos corais Açucena, Avis Rara e Da Quinta, todos de Campinas-SP, e integra o espetáculo “Janelas do Tempo” junto ao grupo Choro da Mata. Participou de importantes programas musicais da TV Cultura de São Paulo e, atualmente, apresenta-se em espetáculos ao lado do violeiro Paulo Freire e também em duo com o violonista Eduardo Lobo.

 

Sobre Eduardo Lobo

Guitarrista e violonista, é doutorando em música pela Unicamp e professor no curso de Licenciatura em Música da Faculdade Nazarena do Brasil. Como integrante do grupo Quatro a Zero, obteve segundo lugar no 7º Prêmio VISA de Música Instrumental Brasileira em 2004. Lançou os CDs “Choro Elétrico” (2005), “Porta Aberta” (2008), “Alegria” (2010) e “Viajante” (2015). Em 2009, gravou o CD “Abrideira”, do grupo de choro Fina Estampa, coproduzido por Maurício Carrilho. Em 2013 lançou o disco de música instrumental “Ideia de Antes”.

 

Estreou, ao lado do Quatro a Zero, Rafael dos Santos e Guilherme Ribeiro, o “Concerto Carioca 3” de Radamés Gnattali, juntamente com a Orquestra Sinfônica de Campinas e regência de Victor Hugo Toro. Também ligado à educação musical, escreveu o primeiro livro de aprendizado de cavaquinho para o Projeto Guri no ano de 2011. Atualmente concilia as áreas de pesquisa, docência e artística. Em 2016, lançou também o CD ‘Viajante’, junto com o pianista Rafael dos Santos. Inspirado na obra de Radamés Gnattali, o CD foi gravado em com o apoio da Prefeitura Municipal de Campinas e patrocínio do FICC (Fundo de Investimentos Culturais de Campinas).

Patrícia Nascimento – A2N Comunicação