Rosas Negras,por Ediney Santana.

Rosas Negras

Por que minhas Rosas Negras ficam analfabetas? Morrem em terra seca e sem esperança? Por que o medo sempre vive neste Jardim? Por que o horizonte das minhas Rosas Negras é sempre tão triste?

Por que minhas queridas Rosas Negras são sempre as suspeitas? As julgadas e condenadas tão somente pela aparência? Por que são sempre as Rosas Negras as erradas? As que são deixadas ao acaso? Por que a religião das minhas Rosas Negras é a religião do demônio? Por que apontas com teu dedo preconceituoso e imundo para meu Jardim de Rosas Negras?

Minhas Rosas Negras, em nome do Deus Tempo eu vos saúdo. É possível sobreviver a delinquência do Estado que se nutre do nosso sangue trabalhador, muitas vezes levam nossos corpos para cama de pregos e espinhos, muitas vezes jogam nossos nomes na lama da injúria, mas é preciso ser forte, se preciso morrer que se morra, mas não recuar, não abrir mão do direito de cultivar no jardim da cidadania nossos próprios sonhos.

É impossível ser feliz com o mal, o mal se nutre do próprio mal, mais dia menos dia o mal também morre, porque o mal diante do bem não resiste ao Tempo, o Tempo bate à porta de todos com a conta a ser paga e nesta hora a verdade grita a nossa cara: são todos mortais! E se somos mortais todos podem sentir dor, adoecer e morrer.

A dor não é exclusividade nossa, a natureza é a excelência da vida, jamais criaria rosas frágeis para no jardim ser de outras tantas rosas escravas eternas da dor e humilhação. Nosso jardim pode ser de todas as rosas e cores, ter harmonia e civilidade social. Na diferença, tendo possibilidades iguais é que se faz um jardim sem dor, sem a vida refém da agonia e da falta de esperança.

Não somos feios, não somos preguiçosos, não somos criminosos. Minhas Rosas Negras não se sintam menores, um dia nossa terra será verde como a esperança do bem, nosso sol amarelo e verdadeiramente de todos e não como essa luz triste a nos cegar os olhos, nosso céu azul e acolhedor diferente desse céu cinza e opressor, nossa alegria negra como a paz que tanto desejamos.

O que parece uma derrota hoje, pode ser na verdade um momento de vitória e conquista, depende de como olhamos o prisma da questão, por isso não lamentem a solidão, ou a aparente humilhação. Minhas Rosas Negras, a aparente derrota desse dia nos chama ao aprendizado, a reflexão, olhem para frente, segue o horizonte.

Não lamentes amizades perdidas, pessoas que partiram, não sejam vassalos nos corações dos reis, não se alegrem com a desgraça alheia, não devida teus momentos de paz com os espíritos de porco e corações de rato.

Os que ontem gritavam contra o mal hoje são seus aliados e tramam contra nossas vidas,por isso pensem bem antes de chamar alguém de amigo ou de amor.Amigo e amor são palavras mágicas para serem ditas aos corações fúteis e baratos deste mercado de horrores que é a dita sociedade civilizada.

Minhas Rosas Negras: escutem a voz dos vossos corações, não são como escreveu Charlie Chaplin, máquinas. São capazes de ir além, não aceitem migalhas enquanto os poderosos vivem de vomitar sobre a ruína das vidas de milhares de pessoas o excesso dos seus banquetes, não somos feitos para dor, há sempre a possibilidade de recomeçar, de conquistar o nosso mundo desejado.

  ✔ Por Ediney Santana, para o Cultura Alternativa 

👉 Acesse os – Artigos de Ediney Santana no Cultura Alternativa

  📍 **Este texto é de responsabilidade do autor e não reflete necessariamente a linha do Cultura Alternativa. 📍